O Sono do Bebê de 9 meses – A temida “Regressão”

o-sono-do-bebe-de-9-meses

O sono do bebê de 9 meses – você já ouviu falar que bebês entre 7-9 meses viram o sono do avesso?

E a regressão dos 9 meses… o que é isso, meu Deus? rsrs

Se por acaso o seu bebê ainda é mais novinho(a) e você quer saber primeiro sobre a regressão dos 4 meses, clica aqui e leia esse post.

Se você está nesse momento, certamente ele dispensa maiores apresentações!! Mas para você que ainda não chegou lá, ou que não sabe ao certo o que foi aquele furacão que assolou a sua vida: a regressão dos 9 meses, que na verdade pode ter início dos 7 aos 9 meses, é aquela situação em que a sensação é de caos absoluto! O bebê “desaprende” tudo o que tinha aprendido até aqui… pelo menos é essa a nossa sensação como mães, tá?

O bebê que já estava se alimentando direitinho, não quer mais comer, só quer mamar. O bebê que já estava com a rotina estabelecida, horários e intervalos regulares de alimentação/mamadas e sonecas… cada dia parece ser diferente! Não quer mais dormir, só quer colo, chora muito durante o dia e durante a noite também.

Quando é contrariado grita e chora sentido. Demonstra irritação, muita insegurança e infelicidade quando a mãe se afasta. Acorda toda hora, o sono é agitado, as sonecas curtas e o sono noturno é picado.

Quer mamar toda hora, não aceita o pai nem os avós, é difícil de consolar e acalmar. Briga para fazer a inalação, para por o cinto na cadeirinha, para tomar remédio… enfim comadre… ELES VIRAM DO AVESSO!

Mas calma 🙂  eu vou te explicar tudinho: o que acontece nessa fase, porque isso acontece e o principal- o que você pode fazer aí para contornar essa fase, que costuma ser uma das mais difíceis para nós mamães, e para os nossos filhotes também.

Nesse momento, ou nessa fase, temos muitas coisas acontecendo na vida do bebê e na nossa também, para aqui comigo para pensar:

  • a nossa volta ao trabalho
  • troca de cuidadora (agora quem vai cuidar do bebê ou é a “tia” do berçário, ou a vovó ou a babá)
  • introdução alimentar
  • dentinhos nascendo
  • o pico de desenvolvimento mais longo
  • doencinhas chegando
  • a angústia da separação instalada no bebê
  • o início da autonomia do bebê para se locomover (engatinhar, andar apoiado, caminhar)

Quando a gente fala assim, parece exagero, não é? Mas por quê situações tão naturais e corriqueiras são capazes de causar um estrago tão grande no nosso bebê e na nossa rotina!!!

Vamos conversar sobre cada um desses ingredientes da “Regressão dos 9 meses” ?

A psicologia tem um conceito ou um termo que é o “separação-individuação”, que explica de forma muito profunda e assertiva os estágios de como nós mamães vamos nos “separando” física e emocionalmente dos nossos bebês e também como nos sentimos e quais os desdobramentos disso para a nossa rotina, num curto prazo, e para a nossa vida como um todo. Se quiser se aprofundar mais nesse assunto, recomendo a leitura desse artigo aqui.

Fazendo uma interpretação bem prática de tudo o que já li e aprendi sobre isso, resumidamente, minha amiga é assim:

Quando o nosso bebê nasce, até o 4° mês de vida ele vive em estado simbiótico conosco, ou seja, ele depende da gente para tudo, sem ter ainda a consciência de que ele “é uma pessoa separada da mamãe”, que provê tudo que ele necessita física, psíquica e emocionalmente.

Os especialistas falam que nós também ficamos totalmente devotadas ao nosso bebê até por volta dos 6 meses de idade dele, que é quando começamos a sentir falta de nós mesmas: da mulher, da profissional, da amiga… e no bebê esse processo se inicia de forma MUITO LENTA E GRADUAL a partir do 4° mês de vida.

Quando o bebê começa a ter uma autonomia para se deslocar e se movimentar, ele então entra em contato com uma realidade muito chocante e assustadora para eles: eu e minha mãe somos seres separados, ela desaparece algumas vezes…  O bebê não tem nenhuma noção de tempo! E para ele, a mãe representa TUDO! O alimento, o acolhimento, o bem estar, a segurança… “E se ela não voltar nunca mais?” Ou ainda “Será que ela volta?”

Ou seja, para o seu bebê, a vida dele está ameaçada cada vez que você se afasta dele! E então conseguimos entender muitas atitudes deles nessa fase.

Essa é a “raiz” de todo esse terremoto que passamos nessa fase. Pelo menos emocionalmente falando, entende? Por isso “regridem”!

Por isso não querem mais comer,  não querem mais dormir, por isso estão tão chorosos e muitas vezes irritados. Não querem se afastar da gente…

E fisicamente, ainda temos vários complicadores como os dentes, os resfriados, e o cérebro deles trabalhando a velocidade da luz para tentar absorver todas as novidades que eles estão aprendendo.

Mas o que fazer então ?

Primeiro, eu preciso te dizer 2 coisas, com toda a sinceridade do mundo:

1- Não é o momento de ensinar nada, de avançar na alimentação, no sono, na rotina. A regra é sobreviver.

2- VAI PASSAR!! Tá demora… em média 6 semanas…

O QUÊ FAZER? ( e o que não fazer também … )

  • Não acumule duas mudanças  bruscas ao mesmo tempo. Por exemplo: não tire a livre demanda junto com a sua volta ao trabalho; faça a adaptação com a nova cuidadora pelo menos 10-15 dias antes de você voltar ao trabalho e, de preferência de uma forma gradual, etc…
  • Não leve para o lado pessoal! NÃO É CULPA SUA! É uma fase pela qual o seu bebê passa para se desenvolver.
  • Não se angustie e ajuste as suas expectativas. Se o seu afilhado, por exemplo, não passou por isso… sorte da sua comadre!! A imensa maioria dos bebês passam por esse momento difícil SIM.
  • Sempre se guie pelo bom-senso e sensibilidade. Mesmo no meio do caos, enfrentando um cansaço extremo, olhe para o seu bebê. Você sabe melhor do que ninguém o que ele está sentindo e precisando naquele momento!
  • Respeite os seus limites! SEMPRE!
  • Tente ter em mente alguns pontos importantes que, se você conseguir manter, depois da tempestade as coisas voltam para o lugar mais rápido e com menos sofrimento. Esses pontos seriam: o horário de acordar, os horários da 3 principais refeições, o horário de ir para a cama a noite.
  • Avançar nesse momento vai ser muuito difícil e até traumático então, tenha assim em mente: se eu não retroceder já sou vitoriosa. Resumindo: não consegue avançar? Se mantenha no mesmo lugar.
  • Tenha em mente que o seu bebê também está sofrendo, ok? Não é manha, birra ou manipulação. Isso NÃO EXISTE nessa idade.
  • Peça VERBALMENTE E COM TODAS AS LETRAS ajuda ao seu marido/parceiro! Esse momento fica um pouco mais leve se você tiver ajuda! Nem que você consiga outra ajuda para descansar um pouco de dia… Isso é sim muito importante!
  • Não tome nenhuma decisão precipitada, tendo o cansaço e o desespero como conselheiros. Por exemplo: não desmame o seu bebê ou ofereça complemento para ele, achando que o sono dele vai melhorar.
  • Tente outras alternativas como a cama compartilhada, por exemplo. Pode ser que nesse momento ela seja uma grande aliada do seu sono e descanso do seu bebê.
  • Sempre se certifique que o seu bebê está sendo atendido em TODAS AS NECESSIDADES DELE: físicas (se está bem alimentado), psíquicas (está se sentindo seguro, tem cuidadoras nas quais confie), emocionais ( está tendo toda a atenção, colo e acolhimento que precisa).
  • Sempre descarte problemas de saúde como refluxo, alergias, outras doenças. Converse muito abertamente com seu pediatra e esteja atenta.

Minha querida e exausta mamãe, essa fase vai servir como se fosse uma luz fortíssima sobre você, seu bebê e toda a rotina de vocês: ela vai trazer á tona uma rotina não fixada, associações negativas para dormir, uma introdução alimentar conduzida de maneira muito lenta ou incorreta mesmo.

Essa fase também, vai por à prova as suas escolhas como mãe como por exemplo a livre demanda, uso de chupeta, local onde o bebê dorme, “técnica” de introdução alimentar escolhida… vai te fazer questionar tudo sabe?

E lembra: NÃO EXISTE certo/errado! O que existem são escolhas que trazem consequências. E, ao meu ver é importantíssimo que VOCÊ FAÇA AS SUAS ESCOLHAS de maneira consciente, sabendo exatamente se elas estão alinhadas ao seus objetivos e se te levam aonde você quer chegar!

Aliás, esse é o meu papel aqui 🙂 Te mostrar o caminho! As escolhas serão sempre SUAS.

E então… quando as coisas começarem a esboçar uma melhora… quando você começar a ver uma luz no fim do túnel, aí sim é hora de por a casa em ordem!

Normalmente esses terremotos exigem algumas pequenas mudanças na rotina anterior. Feito isso, fixe os horários da alimentação, das sonecas, da hora de despertar e da hora de ir para a cama.

Seja consistente, persistente e paciente…

Uma vez eu ouvi uma frase, que se não me engano era do Rubem Alves que dizia que “ter e criar um filho não é uma plantação de eucalipto, mas sim de carvalho. Exige anos de dedicação, de consistência e paciência, para que vejamos os resultados …

Vamos juntas?

Conte comigo aí na sua batalha 🙂

Se você quiser/precisar de ajuda e do meu acompanhamento mais de perto, clica aqui e conheça o meu programa de consultoria “Recém-Mamãe Sono”, aqui, a maternidade é de verdade!!

A gente vai se encontrando!

Bjos e atétags-coracao

Lígia

 

 

A volta ao trabalho- Dicas de como organizar

rp_o-working-mother-facebook-300x150.jpg

Como organizar a volta ao trabalho, comadre?

Esse momento costuma ser muito temido pelas Recém-Mamães e, não vou te enganar… muito sofrido também!

Tudo que a gente gostaria seria continuar em casa, cuidando do nosso bebê, amamentando e acompanhando cada evolução do desenvolvimento deles muito de perto, não é verdade?

Sim, a gente sabe que até os 12 meses, o ideal seria que mamãe e bebê convivessem o mais tempo possível, que isso tem benefícios físicos e emocionais para os dois, e principalmente para o bebê.

Mas… entre o ideal e o possível… existe a vida real acontecendo todos os dias!

E, olhando por outro lado, a grande maioria das mamães de hoje, são mulheres que se prepararam para exercerem uma profissão, que gostam da sua liberdade financeira, e que participam ativamente no orçamento familiar com os seus ganhos! E talvez,  nem seja mesmo o caso de abandonarmos as nossas carreiras, a nossa autonomia financeira, nossos projetos…

Claro que existem muitos caminhos, muitas realidades diferentes, e a escolha de cada uma é legítima e deve ser respeitada.

O ideal, na minha opinião, seria um trabalho que não exigisse muuitas horas longe dos nossos filhos. Mas, infelizmente, nem sempre temos essa escolha!

E o meu objetivo aqui hoje, com esse artigo, é te dar algumas dicas de como organizar a sua volta ao trabalho, então, vamos a elas?

QUESTÕES EMOCIONAIS

  • -Tome a sua decisão e fique em paz com ela: NÃO SE CULPE!
  • -Não se prive de sentir NADA! Mergulhando a fundo no que está vivendo e sentindo, você consegue trabalhar isso melhor dentro de você.
  • -Não sofra por antecedência,não adiante os problemas e viva um dia de cada vez.
  • -Faça suas escolhas e tome as suas decisões sempre levando você, o que sente e o que acredita, em consideração: se respeite!

QUESTÕES PRÁTICAS

1-Se organize com antecedência (no seu trabalho e em casa):

Quando termina sua licença maternidade? Você tem férias acumuladas?

Existe a possibilidade de flexibilizar seu horário?Ou ainda de diminuir a carga horária (se você assim desejar?)

 

2- Quem vai cuidar do seu bebê na sua ausência?

Babá? Berçário? Algum parente? Como decidir?

Algumas situações que precisam ser levadas em conta, na hora da decisão:

Seu bebê é alérgico? Tem refluxo patológico?Alguma necessidade especial?

Essas são situações especiais em que talvez, seja bacana considerar que o bebê fique em casa ou seja cuidado por alguém mais próximo, até que esteja um pouco maior.

Do que o bebê precisa? AFETO, Segurança, alimentação e condições básicas de higiene, saúde e conforto.

Esses parâmetros devem nortear suas escolhas, e o MAIS IMPORTANTE DELES É O AFETO!

Claro que se considerarmos que as necessidades físicas básicas do bebê serão atendidas.

O que eu quero dizer aqui é que, seja a babá, seja no berçário, seja algum parente, precisa se conectar emocionalmente ao bebê e realmente “maternar”com ele!Esse cuidado, contato, aconchego, acalento é essencial para que ele se sinta seguro.

Importante falar aqui: Seu bebê SEMPRE SABE QUE “NÃO É A MAMÃE”, ok? Então nada de sentir ciúmes das cuidadoras 😉

Qual o seu orçamento?

Quais as distâncias para o seu trabalho, para o berçário ou para a casa da cuidadora?

Qual o seu horário de trabalho? Quais dessas opções se encaixaria melhor dentro da sua rotina?

Seja qual for a SUA decisão, procure fazer uma transição JUNTO com o bebê para que ele perceba que está com uma pessoa diferente, ou em um ambiente diferente, mas que está tudo bem, já que você está por perto.

Escolha o berçário antes, contrate a babá antes ou comece a deixá-lo algumas horas com a nova cuidadora e, acompanhe de perto os primeiros dias (pelo menos duas semanas).Vocês dois precisam de um tempo para se adaptarem e para se sentirem mais seguros com a nova realidade.

E em caso de doença do bebê ou falta da babá? Qual o plano “B”?

3-Como está a ROTINA do seu bebê HOJE?

Sonecas, alimentação-mamadas, banho, atividades, etc?

E a livre demanda? Acha melhor repensar isso já, ou deixa rolar até o momento de você sair?

Se puder, ajuste a rotina ANTES de voltar a trabalhar, nem que mude bastante depois.

O bebê que já tinha uma rotina anterior, se adapta muito melhor a uma nova rotina, do que um bebê que nunca teve rotina!

Ele vai sofrer um pouco mais se precisar entrar numa rotina, pela primeira vez, sem a sua presença.

4-Orçamento Familiar

Quanto o seu salário é importante para o orçamento familiar? É possível reduzir a sua carga horária?

Quanto custa o berçário? E a babá?

Você tem quem te ajude com as coisas da casa? (Roupa, comida, faxina…) ou vai assumir isso tudo também?

5- Alimentação do bebê

Depende da idade que ele terá.

Está no peito exclusivo? Como você vai fazer: Vai ordenhar e deixar estocado?Vai introduzir complemento? Aconselho alguma antecedência(dias) para que você vá ao Pediatra, peça as orientações e dê tempo de fazer a introdução gradual, que é o mais recomendado.

Seu bebê já estará em introdução alimentar?

Quem vai fazer as papinhas?  As compras?

Você pretende congelar? tem boas receitas?

Qual a linha de introdução alimentar você mais se identifica?

Garantir uma boa alimentação, seja em LM-LA ou papinhas (dependendo da fase do seu bebê) vai ajudar a evitar a amamentação em ciclo reverso.(aquelas famosas acordadas de hora em hora para mamar).

Mais umas perguntinhas básicas, minha amiga:

Quais momentos vai ter com SEU BEBÊ?

Quais momentos vai ter com SEU MARIDO?

E, mais difícil e igualmente importante:

Qual momento terá para VOCÊ?

Pense nisso 😉 Se cuide e conte comigo aqui!

Bjos

Lígia tags-coracao

 

 

 

Como Criar Uma Rotina Para o Bebê

 

Young happy mother with newborn baby

A Importância da Rotina – Como Estabelecer a Rotina do Bebê

Oi Comadre! Hoje o assunto por aqui é a ROTINA DO BEBÊ.

Eu tenho percebido que esse também é um assunto que costuma gerar muitas dúvidas e dificuldades para as mamães de bebês.
Lembra que por aqui, nos meus conteúdos, nas nossas conversas, não existe o “CERTO” , a “Verdade absoluta”!

Mas eu recomendo fortemente que você pelo menos , experimente aos poucos , introduzir uma rotina para o seu bebê, para a sua casa, para a sua vida !
Quer você queira ou não, agora a sua vida gira em torno das mamadas e horários de sono do seu bebê !
E, ainda…

O QUE A CIÊNCIA DIZ 
Segundo a ciência, a rotina“diminui a angústia e a ansiedade , da mamãe e do bebê , e ainda proporciona melhor qualidade de relacionamento entre os dois ( mãe e filho).”
Explicando um pouco mais : Para o bebê, “saber” o que vem depois , traz muita segurança, já que a psiquiatria diz que , internamente , os bebês são “fragmentados” :
Cada sentimento, para eles, é muito intenso, por exemplo : a sensação de fome é uma sensação avassaladora.
Por isso, garantir um ritmo, uma certa previsibilidade e continuidade àquilo que ele já sentiu antes, àquilo que se repete, no meio de tantas novidades e descobertas é fundamental !
Mas , eu preciso salientar um ponto aqui !
Cuidado para não se tornar muito inflexível  e, muitas vezes,

passar por cima das necessidades e ritmo do seu bebê …
Me pergunta como é que eu sei disso ? Rsrs
Se você tem uma personalidade perfeccionista, ou autoritária…
É hora de rever seus conceitos ! Aliás, por um excelente motivo !
Quanto antes desenvolvermos essa habilidade melhor !
Quando estabelecer uma rotina ?
Em média , aos 3 meses, a criança já se mostra preparada , e até mesmo , “pede” para que alguns padrões se mantenham e se repitam .
Mas , existem alguns bebês que , antes disso já mostram alguns padrões bem “organizados e definidos” …
Aí , é só incentivá-lo, com calma e delicadeza , a estabelecer a sua rotina.

Assista o vídeo! Ele explica de forma bem objetiva o que te conto aqui no post:

Existem 3 maneiras de você estabelecer a rotina do seu bebê:
– A Rotina Dirigida Pelos Pais
Nesse caso, independente dos das preferências do bebê, ou de quaisquer outros fatores “externos” , os pais estabelecem os horários de alimentação, sono , atividades e banho , de acordo com aquilo que ELES acreditam ser o melhor, ou o possível, dentro da sua casa, da sua realidade .
Os “defensores “ dessa técnica são Gina Ford e o especialista Gary Ezzo, um dos autores do livro “Nana, Nenê: Como cuidar de seu bebê para que ele durma a noite toda de uma forma natural” , e
Eduard Estivill e Sylvia de Bejar, autores de um outro “Nana Nenê” ( o mais conhecido atualmente).
– Rotinas Mistas :
Aqui , é o caso em que eu estava te contando da Nina …
Os pais procuram estabelecer a rotina, mas usando os sinais e preferências do bebê como guia !
É o “PERFEITO “ meio termo !
A gente tenta encaixar as demandas do bebê, dentro da nossa rotina, da rotina da casa, etc..
Por exemplo, tem bebês que se mostram mais dorminhocos, e , outros , se mostram mais agitados …
Alguns bebês , querem e precisam mamar a cada 2 horas, outros… Se você não oferecer, ficam mais de 4 horas sem se alimentar ! ( o que é prejudicial, tá ?) …
Então , o “melhor dos mundos” é se agente conseguir encaixar o que o nosso bebê prefere, com aquilo que conseguimos fazer !
Assim , estaremos respeitando a natureza e necessidades dele, mas , usando o nosso bom senso, e ajustando dentro do que é possível para a gente, dentro da nossa rotina !
Os profissionais e autores mais famosos , que defendem essa linha são:
a “encantadora de bebês”, Tracy Hogg, e Harvey Karp, autor de “O Bebê Mais Feliz do Pedaço”.
-Rotinas dirigidas pelo bebê :
As rotinas guiadas pelo bebê são as menos definidas. Você segue exclusivamente, os sinais do bebê.
Ou seja, ele te dá as indicações do que precisa em vez de impor horários para comer, dormir ou brincar.
Isso não quer dizer que seus dias vão se tornar completamente imprevisíveis, porque , depois da primeira semana de vida, a
maioria dos recém-nascidos começa a entrar naturalmente em um ritmo regular de sono, brincadeira e alimentação.
Mas, podem variar de um dia para o outro, se o bebê estiver mais choroso, ou mais esfomeado, ou mais dorminhoco…
Essa linha é defendida pela API ( Criação com Apego) , uma filosofia que está que está sendo difundida pelo ocidente há 20 anos, pelos doutores Sears e Spock ( americanos, pediatras e autores famosos ).
E, não negligencie a importância de ter um tempo para você … Só pra você !
Tempo para um banho demorado , tempo para dar uma volta, tempo para fazer exercícios, tempo para um café com as amigas, ou , simplesmente para bater pernas, olhar vitrines e arejar as ideias !
E , quando temos ”um esquema “ funcionando , isso se torna possível e viável !
Você consegue elaborar e planejar seus dias, suas atividades !
Tenho aqui algumas sugestões de como você pode estabelecer a rotina do seu bebê com relação ao
1. Espaço ;
2. Horários;
3. Alimentação e
4. Sono .
Organizando o espaço
É super importante para o seu bebê que ele tenha um lugar, que ele perceba ser dele, com objetos cores e sons ,colocados ali , estrategicamente para ele, como móbiles, espelhos, bichinhos e chocalhos.
Para que ele se sinta atraído pelo mundo a sua volta , e vá , aos poucos, descobrindo tudo por ali.
Aqui vou fazer um parêntese : muito cuidado com a hiperestimulação dos bebês!
A gente herdou esse conceito dos americanos, que acreditam que os bebês podem e devem ser estimulados, desde cedo ….
Além de isso não ajudar em nada, ainda pode atrapalhar o desenvolvimento natural e pró ativo do bebê.
Ao invés dele se interessar , ele acaba ter que dar conta de “responder e corresponder “ a esses estímulos que lhe são apresentados.
Como consequência, o bebê pode ficar agitado, e irritado, e , em algumas situações até apático…
Por ser “invadido e agredido”no seu tempo , nas suas descobertas !
Um bebê saudável, só precisa de um ambiente claro, ventilado , limpo, e seguro… O resto, deixa com a natureza !
Os horários :
Organize uma rotina que seja possível de seguir e mantenha os horários para as etapas do dia a dia acontecerem regularmente: hora de comer, brincar, tomar banho e dormir.
A constância da programação traz segurança à criança, que passará lidar de maneira mais equilibrada com as suas atividades do dia a dia !
A Alimentação :
Na verdade, aqui em casa , toda a rotina era estabelecida , ao redor da alimentação : o banho não pode ser logo em seguida, os horários da soneca e de ir para a cama, á noite…
O Sono
O horário de dormir, o ritual de como adormecer e a quantidade de horas dormidas são fundamentais para um dia seguinte tranquilo.
O sono é reparador.
O corpo da criança necessita dessas horas para se recuperar de tudo que aconteceu no dia anterior mas , como acostumá-la a dormir sempre nos mesmos horários ?
O famoso”Ritual “ pré sono , funciona muito bem !
Estabeleça uma sequências de atividades que precedem a hora de dormir ( pode ser antes da soneca da tarde também).
Um exemplo de Rotina :
O bebê acorda cedinho , mama e fica acordado, “namorando a mãe”.
Depois , o bebê tira uma soneca …( 1h – 1h e meia)
Acorda, passeia , toma banho de sol ,próximo ao meio dia , mama de novo, cocô, banho e soneca …( 1h- 1h 30’)
Acorda de tarde, mama ,brica , ouve música, se distrai… E dependendo da fase, ainda tem mais uma soneca mais curta aqui ….Acorda , mama.
Toma um Banho bem rápido, só para “relaxar “ (isso não serve para todos, lembra ?), pijama, luzes mais acolhedoras, história, musquinha mais tranquila (lullabies)… Mama e dorme 😉

Começa hoje! Olhe para você, olhe para o seu bebê e comece.

Dê um tempo para que as coisas se encaixem, para que o seu bebê se adapte.

E vai mantendo o que está dando certo e, vai adaptando o que não está funcionando.

Deixa um comentário aqui embaixo! Me conta suas dúvidas e dificuldades.

Se você quer receber de presente 5 vídeo-aulas da exclusiva plataforma do curso Recém-Mamãe,

clica aqui, me deixa seus dados que te mando por e-mail, pode ser?

QUERO RECEBER AS 5 VÍDEO-AULAS DE PRESENTE

Conta comigo na sua jornada!

A gente se encontra por aqui,

Bjos e até tags coração

Lígia Coimbra

 

Introdução Alimentar -19 Dicas e Um Guia Passo a Passo

introdução-alimentar

Essa é a Nina , a minha caçulinha

Oi Comadre!

O seu filhote já começou a se alimentar com papinhas, frutas e sucos? Já está chegando a hora ?D

Ou , o seu filho , já maiorzinho, não come nada, tem uma alimentação super restrita, e a hora das refeições é um drama ?

Se você se encontra numa dessas situações, ou quer umas dicas para evitar problemas, vem comigo que eu preparei um guia prático , e cheio de dicas para você.

Se você já me segue aqui no blog faz tempo, já ouviu as histórias, onde conto os apuros que passei com o Pedro, meu primeiro filho. Ele quase me deixou doida! rsrsrs Simplesmente nem mamava, nem comia !! Imagine isso, para uma mãe de primeira viagem… Quase enlouqueci !

Até  1 ano, ele foi bem, depois, foi limitando seu paladar, aos poucos, e eu demorei para perceber, sabe… Ele chorava no almoço e no jantar, e eu , só não chorava junto de vergonha, mas vontade não faltava!! E assim foi até os 2 anos.

Dos 2 aos 6 , ele era chato e seletivo para comer, e eu fui levando… como ele comia” comida”, e nada de lanches e outras “porcarias”, eu não me incomodava ! Fui deixando… até que a alimentação dele se restringiu a : arroz, feijão, carne ( qualquer uma , mas grelhada , de preferência) , purê de batatas muito bem amassado , bem lisinho, e frutas banana e maçã.

Quando a Maria Beatriz , a minha do meio, completou 1 ano, e já comia de TUDO ( salada crua , inclusive), ele começou a se envergonhar, e , por uma questão de “não posso ficar por baixo”, vendo que eu ( e todo mundo) elogiava muito a irmã, ele começou a se esforçar…

Mas tudo mudou quando um dia, em uma viagem para fora do país, eu desesperada porque ele passava o dia todo sem comer NADA, e , toda noite ,fazia a gente ir a um restaurante de comida brasileira que ficava a 27 km do nosso hotel…  Dei um sermão nele, daqueles que só as mães desesperadas e á beira de um ataque de nervos é capaz …E ele, com toda a sua sinceridade e razão, olhou no fundo dos meus olhos e disse : ” A culpa é sua !!” …

Aquilo caiu em cima de mim como uma bomba ! Respirei fundo… consegui me calar e refletir… E , claro , vi que ele tinha toda razão! Chamei-o para uma conversa um pouco mais branda, e, disse que ele tinha razão, mas , que assim que chegássemos de volta em casa , as coisas iriam mudar !

E , meio que ” abrindo caminho na unha” , lançando desafios, jogando com a sua personalidade e pontos fracos, fui estimulando para que ele virasse esse jogo! Esse sim , era o meu papel ,afinal !

E hoje, olha só o cara ! Detalhe do “menu”: Arroz integral, feijão carioca, espinafre refogado com ovo, cenoura, batata doce e couve flor cozidos temperados azeite , e filé de frango grelhado.

Introdução-alimentar3

Esse é o Pedro – fruto de muito “trabalho”!

Bem , a Piquita, a minha do meio , já nasceu pronta ! rsrs Esfomeada, mamava e esvaziava o peito em 5 minutos! Eu até me assustava, e questionava se eu teria leite suficiente para aquele apetite tão voraz!  E tive sim , viu ?

E, quando introduzi a alimentação para ela, ela continuou uma “Magali”, super curiosa com novidades … come tudo de boca boa, sabe? Hoje, quando vamos a festas mais adultas, casamentos, que tem aquelas comidinhas lindas, e super elaboradas, ela nem pergunta o que é ! Manda prá dentro , e ainda acha tudo uma delícia ! ownn que orgulho ! rsrs

introdução-alimentar1

Essa é a Piquita – a minha linda “Magali”

A Nina, minha caçulinha, é um intermediário, não é tão comilona, mas também come de tudo , sem frescura ! E , agora, com os dois irmãos comendo verduras, frutas e saladas, é mais fácil para mim  ! Ela mesma pede ! Quer tudo o que vê no prato deles ! Aqui , nesse post , eu conto um pouco sobre os meus perrengues , e como eu lidei com eles.

Bom chega de papo , e vamos ao seu Guia ?

 

  • QUANDO INTRODUZIR OS ALIMENTOS ?

Segundo  a OMS , a criança deve ser aleitada exclusivamente com o leite materno até os 6 meses de vida.

Isso é o ideal . A partir do 6° mês , começamos , então a introduzir os alimentos.

Existe uma linha de pediatras ( o meu pediatra, inclusive) , que orienta assim: se , no 5°mês de vida, a criança não estiver mais mamando exclusivo no peito , e , estiver bem de saúde,  já podemos iniciar a introdução alimentar.

*Dica: observe o seu filho! Não vai começar o processo com ele doente, com tosse ou tomando alguma medicação.

Também não recomendo que faça isso , em situações fora da rotina, como viagens, por exemplo.

 

  • POR ONDE COMEÇAR ?

Existe uma linha de pediatras, que entram com frutinhas e suquinhos primeiro, nos horários de “lanche”, e depois de um mês, mais ou menos, começam as papinhas.

E, existe uma outra linha, ( que é a do meu pediatra) , em que a criança é apresentada a tudo ao mesmo tempo.

Como assim?

Começamos a introduzir o almoço , com a comidinha salgada, a fruta de sobremesa e o suquinho – tudo na mesma refeição.

E , seguindo essa mesma linha, depois de uma semana, se correu tudo bem , se a criança aceitou bem, já fazemos a mesma coisa no jantar : comidinha salgada, fruta e suco .

Se a criança não está aceitando bem, está com dificuldades para comer, ou manifestou alguma desordem gastrointestinal, ou algum sinal de alergia, espere um pouco mais, até perceber que as coisas estão evoluindo, para entrar com o jantar.

  • COMO ENCAIXAR AS MAMADAS E  AS REFEIÇÕES NO DIA?

Nesse começo, as refeições vão , aos poucos se tornando a principal fonte de alimento para a criança, mas até lá, o leite ainda é o principal responsável , principalmente o materno.

Então , se o seu bebê ainda mamar no peito, pode dar em livre demanda ainda, no começo da introdução alimentar, para o bebê não sofrer com uma “ruptura” muito repentina; isso pode ocasionar uma rejeição á comida, já que ele entende que , agora ele não tem mais acesso á mamãe/ ao peito , por causa do alimento, então, ele acaba escolhendo o peito , e recusando o alimento.

Se o seu bebê já estiver só na mamadeira, procure fazer assim : uma mamadeira de manhã ( 6-7 horas) , e lá pelas 10-11 horas já oferece o almoço ( experimente o esquema comida-fruta-suco tudo na mesma refeição).

Á tarde, lá pelas 14-30 h oferece outra mamadeira , ou um mingau de leite com aveia e fruta, por exemplo (sem farinhas e sem açúcar , por favor!).

Lá pelas 17:30 -18:30 horas , dá o jantar completo ( igual o almoço).

Ás 21:30 – 22:00 horas , a última mamadeira do dia.

A partir desse modelo, quando a criança já estiver almoçando  e jantando, pode ficar tranquila que, fisicamente, não há mais necessidade das mamadas da madrugada ! Claro que , se for um hábito, principalmente no caso do peito, é preciso ir tirando aos poucos, sem traumas… Mas com o coração em paz, sabendo que seu bebê não está com fome!

 

  • QUAIS ALIMENTOS OFERECER ?

É uma loucura mesmo, organizar o cardápio dos pequenos! A gente se sente perdida, e nunca sabe se , estamos conseguindo atender ás necessidades nutricionais e sensoriais , para fazer desse momento , um momento de descobertas, prazeroso, sem traumas, ou maus hábitos que podem levar para a vida toda!

Bom , uma orientação importante é : Introduzir um alimento novo de cada vez, para ver se a criança, ou o seu organismo, vão reagir bem.

Então, comece com um cereal (arroz ,aveia, ), um grão (feijão, lentilha, ervilha , grão de bico), uma carne ( de boi, de frango, um peixe) , um tipo de  verdura, um tipo de legume .  E observe ! Se o intestino funcionou bem, se não seu nenhuma reação alérgica … vá introduzindo aos poucos , uma novidade por vez, assim, se um ingrediente causar uma reação indesejada, fica fácil você saber qual foi .

O suco , no começo, é ideal que seja de laranja lima espremida , pura. E, as frutas, que sejam frescas, maduras e da estação. Não acrescente açúcar, a não ser em casos especiais, como no abacate , por exemplo,  mas , não antes dos 9 meses. E , se tiver que usar , que seja o de merara, que contém menos componentes químicos.

Os especialistas recomendam que , não seja dado doce ( açúcar ) para as crianças até os 2 anos de idade! Existe uma série de benefícios , entre eles , não criar o hábito mesmo, da ingestão do açúcar. Eu sei que isso soa meio radical, e difícil de cumprir, principalmente se não for o primeiro filho… mas adie o quanto puder, e , que o consumo de açúcar seja moderado.

Aqui, tem um vídeo com as 17 primeiras dicas . Aproveite!

  • DICA 1 : Não bata a papinha no liquidificador ! Você pode amassar com um garfo , ou peneirar . Assim , você mantém a textura, paladar e nutrientes dos alimentos.

Veja mais aqui :http://www.pediatriaemfoco.com.br/posts.php?cod=57&cat=8

  • DICA 2: Não ofereça leite/peito e ou derivados, muito próximo ás refeições, que têm fontes de Ferro. O cálcio , presente nesses alimentos, atrapalha a absorção do ferro . Existe uma corrente de pediatras que falam que isso “não existe”, mas a orientação que eu tive, e , o que encontrei pesquisando por aí, é que devemos sim evitar oferecer laticínios antes de 1 h , depois das principais refeições ( almoço -jantar ).

Veja mais aqui :http://www.rgnutri.com.br/sqv/saude/bda.php

  • DICA 3: Não force seu filho a comer nada. Com naturalidade vá apresentando os alimentos para ele!
  • DICA 4 :Não acostume seu filho a distrações para comer. Acho que uma história, ou cantar uma música está valendo!O ruim é TV, DVD, ou sair para passear , enquanto come, por exemplo.
  • DICA 5: Ofereça os alimentos separadinhos, no pratinho, não misture tudo ! Deixe a criança ir descobrindo os diferentes sabores, e texturas . Deixe o pratinho com uma aparência apetitosa, e não com cara de “gororoba” !
  • Dica 6: Vai observando o comportamento e as reações do intestino do seu filho, e vá mexendo na alimentação, para tentar ajustar . Se estiver preso, ofereça mamão, ameixa , controle os carboidratos como batata e macarrão; se estiver solto, experimente dar goiaba, maçã , polenta.
  • DICA 7 : Tente manter a calma, e não demonstrar ansiedade, porque eles começam a usar essa nossa “fraqueza”, a favor deles ! E usam as refeições como moeda de troca, de barganha, ou só para testar os nossos limites mesmo!!
  • DICA 8 : Passado o período de adaptação, quando a criança já aprendeu a mastigar, a engolir, já tem a sua rotina alimentar estabelecida, não substitua uma refeição por nenhum petisco, nem lanchinho( nem peito , nem mamadeira ). Se a criança se recusar a comer, ok ! Sem stress. Tira do cadeirão, e diz : ” Muito bem , filho, você só deve comer quando estiver com fome mesmo ! Agora, ás 14:30 h , será a hora do seu lanche !” Sem valorizar muito, e sem compensar no lanche , fazendo um lanche reforçado e cheio de guloseimas. Senão , ele vai se sentir premiado por não ter feito sua refeição !
  • DICA 9: Não passe o dia oferecendo lanchinhos e petiscos para o seu filho ( mesmo que seja fruta!), a criança, principalmente aquelas com menos apetite, precisa, em média, de 3 horas em jejum, para ter uma fome de verdade, sabe? Então, siga o esquema comida -fruta -suco nas principais refeições ! e não ofereça nada entre a mamadeira da manhã e o almoço! E , á tarde, um lanchinho á base de leite e fruta , como uma papa , ou mingau , é bem completo e tem “sustância” , como dizia a minha avó ! rsrs
  • DICA 10 : Não ofereça, nem apresente para o seu filho , alimentos “lixo” , ou “porcarias” , como chamamos aqui em casa , do tipo : refrigerante, aqueles benditos salgadinhos de pacote, lanches tipo “habúrgueres americanizados e empacotados ” bolachas recheadas, enfim , tudo aquilo que , um dia eles vão conhecer , e vão querer experimentar, mas que sempre fique claro que “aquilo ” não é saudável , e que o consumo é uma exceção , e não é regra !
  • DICA 11 : Não ofereça suplementos vitamínicos para para o seu filho, sem necessidade , ou orientação médica, e, eu preciso te contar que, a não ser que seu filho tenha algum problema se saúde, ou de absorção de nutrientes, os suplementos NÃO CONSEGUEM SUBSTITUIR os nutrientes dos alimentos ! Quimicamente, existe uma situação chamada “biodisponibilidade”, e , quando consumidos in natura, as vitaminas e os macro  e micro nutrientes , conseguem ser aproveitados pelo nosso corpo, o que NÃO OCORRE com a maioria dos suplementos vitamínicos ! Eles, sozinhos, isolados, vão direto para a “lixeira” do nosso organismo, e eu te digo mais: por muito tempo, a gente , as mamães desesperadas ,e os médicos , pensavam, que ” mal não ia fazer “, tomar essas vitaminas… hoje , a ciência já descobriu que , não é bem assim ! Que essas vitaminas originadas de suplementos , podem sim causar danos , e efeitos inversos, do que se esperava delas! Leia esse post bem completo onde eu falo sobre os suplementos vitamínicos.
  • DICA 12 : Evite , o quanto puder, oferecer “farinhas”, e engrossantes , em mamadeiras e mingaus , na rotina alimentar dos seus filhos ! Essas farinhas têm muito açúcar, muitas calorias e poucos nutrientes, e ainda , costumam prender o intestino. Prefira “farinhas ” naturais, como aveia, e outros grãos como quinoa, chia, amaranto( depois de um ano).
  • DICA 13: Aproveite que vai ter que estabelecer um hábito alimentar para o seu pequeno, e reveja você, os seus hábitos e do restante da família também ! Como esperar que o pequeno adquira hábitos saudáveis, se , em casa, a comida é congelada, muita fritura, e alimentos industrializados, refrigerantes e açúcar em excesso… Eu acho que é melhor já aprender o certo, do que , mais prá frente, quando os problemas aparecerem, os pequenos terem que fazer o caminho de volta, e reaprenderem  a forma correta e saudável de se alimentarem ! Quem sabe não é a sua chance de se livrar daqueles quilinhos extras, que acabaram ficando por aí ? Ou , de regularizar os índices de glicemia, triglicérides e colesterol dos seus exames e do seu marido ? Pense nisso! Pelo bem de toda a sua família ! Pode valer á pena.
  • DICA 14 : Faça VOCÊ o cardápio da sua casa, da sua família, dos seus pequenos, mesmo que não seja você quem vai preparar as refeições. E, se é você, quem cozinha aí na sua casa, para a sua família, eu sugiro que você faça os cardápios semanais ( almoço / jantar ) com antecipação, se informe , pesquise receitas saudáveis e práticas pela internet ( tem um  monte !) ; assim você pode fazer a lista de compras, fazer as compras nos dias em que já sabe que as frutas e verduras são mais fresquinhas no seu fornecedor. Se deixar sempre para se decidir em cima da hora, vai ter que preparar o que tem  na geladeira ou na dispensa, e não uma refeição balanceada.
  • DICA 15: Use pouco sal e pouca gordura , no preparo dos alimentos do seu filhote, evite aqueles caldos prontos também;  use e abuse de temperos e sabores naturais, como salsinha, cebolinha, cebola, alho, alho poró, erva doce, salsão, orégano , louro,por exemplo. A comidinha fica cheirosa e saborosa !
  • DICA 16: Deixe a criança interagir com a comida, pegar, cheirar, comer com a mão !Essa experiência sensorial vai ajudar muito a criança aceitar melhor os alimentos , e faz parte do processo.
  • DICA 17: Evite os alimentos que são muito alergênicos,  como amendoim, carne de porco, frutos do mar, chocolates , até um ano , pelo menos.
  • DICA 18 : Não se engane ! “Danoninho NÃO vale por um bifinho !” O mesmo serve para mamadeiras turbinadas com engrossantes e “vitaminas” !!
  • DICA 19 : Vai com calma tenha paciência e persista !

Assista a esse vídeo que gravei, sobre os hábitos alimentares das nossas crianças, e , as  consequências disso no futuro das suas vidas !

Ah ! Você já ouviu falar da Técnica BLW (baby-led Weaning ) , para introdução alimentar?

Clica Aqui , que nesse site tem um monte de dicas e informações bacanas.

E, esse blog aqui , na minha opinião é campeão em dicas e receitinhas para a comidinha dos pequenos.

Ufaa ! Eu vou deixar o assunto  “Crianças maiores que dão trabalho para comer” para um outro post, tá ? Senão , esse aqui vai virar um livro ! rsrs

Como é a aí na sua casa, comadre? Como você fez a introdução alimentar dos seus filhos?

Teve muita dificuldade ? Tem alguma dica porreta ?Conta prá gente, vai !

Adoro falar sobre isso, sabia!

A gente vai se falando !

Bjos e atétags coração

 

 

 

Alimentação x Crianças – Super Dicas

 

1 (2)

Oi Comadre ! Se o seu filho come mal, faz charme para comer, ou só quer saber de porcarias… Bem vinda ao clube !!

A grande maioria das crianças, em algum momento, passa por essa fase tão difícil e desesperadora !

Mas tem uns truques que podem ajudar! Quer saber mais?

Vou te contar a minha história com os meus filhos , e , onde acho que errei e acertei:

O Pedro mamou exclusivo no peito até os 4 meses, quando eu comecei a introduzir uma papa de leite com aveia, já que ele não podia nem ver mamadeira! Chorava só de olhar ! E , eu fui ficando desesperada, porque, dali uns 15 dias, eu voltaria ao trabalho… o que ele iria comer nos intervalos, enquanto eu estivesse fora?

Você pode estar se perguntando porque eu não ordenhava o leite, e deixava pra ele… eu não tinha leite “sobrando”… o que eu tinha ele mamava. E , mamadeira com ele… nem pensar !

Então, conseguimos dar uma fruta, no “café da manhã” ( ele mamava no peito umas 6:30h, depois comia a fruta umas 8:30 no máximo. E , á tarde, comia a papa de leite com alguma fruta. Tocamos assim até os 5 meses e meio, qunado começamos a introdução alimentar.

O meu pediatra tem uma linha assim : se a criança não está mais exclusiva no peito, aos 5 meses- 5 meses e meio, ele orienta :

entre 6-7 h da manhã  : leite ( peito , mamadeira, o que for…)

entre 10:30 e 11:30 h :almoço , suco de fruta e sobremesa

entre14:30 3 15:30 h: papa de fruta com leite

Toca assim, num esquema que ele ensina , de ir oferecendo um alimento de cada grupo , por vez, para testar a aceitação da criança e do seu organismo.

Se está tudo bem…1 semana depois  já vem o jantar! Por volta das 18-19 h.

 

E assim fizemos… Só tinha um porém, como o pediatra orientou a peneirar e amassar os alimentos, e NÃO BATER ou no liquidificador, ou na centrífuga… era barra pesada para mim fazer as papinhas ! Muitas vezes, era 1 hora da manhã, e lá estava eu, com a mão ardendo, tentando passar uma bendita beterraba pela peneira! kkk

Eu trabalhava o dia todo, e , aproveitava todo o tempo que o Pedro estava acordado, para ficar com ele ! Depois que ele dormia , lá ia eu, para a minha ” guerra ” das papinhas. Ele comia bem, só não queria saber de leite artificial, só na forma de papa ou mingau( depois descobrimos uma APLV- alergia a proteína do  leite de vaca- que rendeu uma bronquite insistente e até uma pneumonia ! ).

Bom , eu comecei a ficar exausta… estava magrinha! Só o pó ! rsrs

Eu e o Guilherme resolvemos conversar com o Pediatra sobre as papinhas industrializadas. Ele disse: ” Nutricionalmente, ok, não vai faltar nada. Mas ele vai ficar bem limitado nos quesitos textura-paladar dos alimentos.”

BINGO, Dr. Francisco ! DITO E FEITO ! Ele comia as papinhas super bem, mas , lá pelos 8/9 meses, quando eu comecei a oferecer já os alimentos que comíamos , como arroz, feijão, legumes, carnes- ele apresentou resistência…

Mas , devagar, com paciência, ele foi evoluindo… mas , não tomava leite, de jeito nenhum !

E , nesse período, começaram as tosses, a bronquite… e ele não comia… nem tomava leite … nada !

Eu fui ficando desesperada! E, muitas vezes, forçava a barra pra ele comer ! Cantava, ligava DVD, e , enquanto ele não comia o que EU achava que era suficiente, eu não deixava o coitado em paz !

O período dos 12 aos 24 meses foi muito sofrido ! Ele só comia chorando! Olha que absurdo ! E eu… não chorava de vergonha, mas o desespero era imenso , e vontade não faltava !

E tinha mais um detalhe… o Pedro , por sua personalidade, não gosta de “meleca “… não comia com as mãos, não interagia com as texturas, cheiros , formas e sabores da comida… Eu acredito que isso também fez muita falta.

Foi melhorando, fases melhores, fases piores… Seu peso e altura, sempre normais… tirando a APLV( que trouxe a bronquite) , ele sempre foi saudável ! Nem amidalite, viroses… nada ! Mas a mãe… neura total !! Você se sente assim , também?

E veio a M.Beatriz, uma Magali ! Comilona, curiosa, que sempre comeu de tudo ! Salada, papinha, comida, frutas… E ele foi aprendendo com ela… meio que questão de honra sabe ? rsrs

Nina comendo sozinha

Nina comendo sozinha

1 (1)

E , a Nina então! Come sozinha desde os 11 meses, não gosta que a gente ajude! Come comida, come fruta… tudo com as mãos! E não gosta nada amassado, só em pedaços , ou inteiro, e ela vai mordendo!Ela cheira, aperta, lambe… é tão bonitinho de ver ! E , claro! Isso faz toda diferença !

Então, comadre, resumindo:

O QUE AJUDA:

-ter horários regulares para as refeições,

-Intervalo de 3-4 horas , entre o lanche/ mamadeira e as refeições. A criança precisa estar com fome ! Senão, pode ter preguiça , ou simplesmente não se interessar pelo prato de comida.

– Não oferecer alguma coisa “mais gostosa ou mais fácil e mastigar”, como , danoninho , por exemplo, depois de uma tentativa frustrada de refeição.

-deixar a criança interagir com a comida, ter experiências sensoriais, tipo cheirar, pegar, morder , lamber… faz sujeira, sim, mas é uma beleza ! Elas criam uma boa relação com a comida,se divertem , e comem melhor!

-Se possível, ofereça a refeição da criança junto com a da família, assim ela se sente parte do processo, e não fica como o centro das atenções.

-Observe seu filho: tem criança que prefere alimentos mais moles, outras gostam do sabor de temperos, outras preferem o alimento mais frio… respeite a individualidade dela ! Aos poucos ela vai descobrindo outros sabores e texturas.

O QUE ATRAPALHA :

-criança sem fome( mama toda hora, ou belisca fruta/suco /danoninho)

-mamãe ansiosa, a criança vai te chantagear( me pergunta como eu sei disso ? rsrs )

-ambientes diferentes , com muitas distrações.

– doenças e remédios – mesmo sabendo que a criança está doente, está tomando medicação, a gente insiste que ela “tem que comer prá sarar ” !

-Ficar empurrando comida na criança- “Tem que comer tudo ” ! . A criança sabe a quantidade de comida que é suficiente pra ela, respeite!

Agora, comadre, uma coisa eu te falo,: as crianças, assim como nós, passam por fases! Tente não se apavorar e respeitar isso ! Alguns períodos estão com mais apetite, outros com menos… podem estar enjoadas dos mesmos alimentos… Vai tentando conduzir , sem se apavorar, e sem forçar nada !

 

Eu tenho ouvido bastante a respeito da BLW( baby led weaning) , você conhece ?

Em tradução livre é: ” o desmame que o bebê comanda”… prometo escrever um post falando sobre isso.

Por enquanto , leia mais aqui :” Tá na hora Do Papá“. A Aline, autora do blog, é fono, com mestrado na área de introdução alimentar…    é  mamãe do Nicolas,de  1 ano e 3 mese,  e entusiasta do assunto !

Vai fazer até um congresso virtual, sobre o tema ! o “CONALCO”… de 19 a 25 de maio. Dá uma olhada no face … aqui tem o link , se você quiser saber mais!

Eu vou participar ! Vamos também ?!

 

Como você fez a Introdução alimentar do seu filho?

Foi tranquilo ou foi traumático? rsrs

Conta pra gente aqui !

 

A gente vai se falando

Bjos e atétags coração

 

 

 

 

Babá ou Berçário?

baba-bercario

Hoje resolvi dividir com vocês uma das experiências mais dolorosas que eu passei como mãe : voltar a trabalhar depois que o Pedro nasceu!

Na época, eu trabalhava no PSF (Programa Saúde da Família), num posto de saúde aqui da cidade, carga horária de 40 h /semanais , e um salário que, na época, não dava para dispensar…

Antes do Pedro nascer, não tínhamos funcionária aqui em casa, só uma faxineira, 2 vezes na semana. Quando cheguei ao final da gestação, procurei e contratei uma pessoa, já contando que , um dia, precisasse dela para me ajudar a cuidar dele.No dia em que o Pedro nasceu, a Tânia já estava trabalhando aqui.

Vivi a minha licença maternidade intensamente, um momento “sabático” para mim!! Eu só cuidava dele!! Amamentava, dava banho, trocava, e quando saía, lá ia ele junto!( Pedro sempre foi uma criança fácil).

Então o tempo foi passando e começou aquele frio na barriga…está chegando a hora de voltar…

Aproveitei uma consulta com o pediatra para conversar a respeito do assunto com ele, me aconselhar… E então recebi , sem esperar a orientação que norteia a minha conduta de mãe até hoje!!!Esse Dr. Francisco…!!!

Contei pra ele que voltaria a trabalhar daí há um mês, e que estava na dúvida, se contratava uma babá pra ficar com o Pedro em casa, ou se punha ele num berçário de manhã,( pois ,á tarde, eu chegava em casa ás 16:30 h, pois entrava ás 7 :00h , e fazia só 1:30 de almoço…) “”

Agora, anota aí a resposta dele 🙁 rsrsrs)  “- Lígia, para a criança de 4 meses, tanto faz a babá ou a escolinha, o que importa é que ela vai ser separada da mãe, o que, idealmente não deveria acontecer antes de 1 ano…(senti um soco no estômago, e engoli o choro)!Desde que você conheça e confie na escolinha , ou na babá, e saiba que ele vai ser bem cuidado e atendido , a escolha é sua!! ( socorro!! cadê as leis desse país, onde ainda os 6 meses são opcionais para o empregador? e um ano então? )  Mas, se eu puder te dar um conselho… Tome a sua decisão, faça a sua escolha e levante a cabeça!! Não se sinta culpada, porque a culpa é  uma péssima conselheira na hora de se educar um filho!Não é porque você passou o dia todo longe dele, que não vai colocar limites, corrigir… E, não caia em tentação de tentar “comprar” a sua ausência com presentes e “coisas” fora de contexto!! Isso sim pode trazer danos ao Pedro!”  … POW!! KABUMMM!!

Quando consegui acordar , e sair dos escombros que sobraram de mim…Me agarrei nessa conversa, e decidi: de manhã -escolinha, á tarde-Tânia.

E, depois de andar um pouco , e ligar a “rádio comadre”, escolhi um berçário pequeno, com bastante indicações , onde sabia que ele ficaria bem. A Tânia também foi sensacional, e ficou conosco por 5 anos!E, contratamos uma faxineira 2 vezes por semana, para ajudá-la com a casa, já que as tardes eram do nosso príncipe.

Eu sobrevivi!! E ele também! Mas… não foi fácil, viu comadre? Eu ia trabalhar chorando todos os dias, por uns 2 meses, e o meu peito vazava tanto leite no trajeto até o trabalho, que o absorvente de seio não dava conta! Eu já levava uma troca de roupa…

Mas decidi: com o próximo (ou próxima) será diferente!! Não estou mais disposta a passar por isso!!E ,assim foi…

Mas essa já é uma outra história!!

Hoje eu sei que valeu á pena! Leia mais aqui

Coragem!! Siga em frente,e respeite seus limites e prioridades!!

Já passou por alguma experiência parecida? Ou diferente?Como foi a sua volta ao trabalho?

Me conta!!

Bjos e até tags coração

 

O Bebê de 9 meses

bebe-9meses

O bebe de 9 meses é a coisa mais fofa desse mundo!! Fala a verdade comadre!! Ele já é gentinha!! Já participa de tudo, é firminho,gostoso de dar uns apertos !!rsrs

Retirei do livro “A Vida do bebê ” do Dr. de Lamare, e da Sociedade Brasileira de Pediatria, as informações a seguir, tá?

Aproveite!

Nessa fase, o ganho médio de peso mensal, é de 450 g, e 2 cm no  comprimento.

Já se senta, tenta engatinhar, reconhece a imagem no espelho, aponta com o indicador , gosta de ser aplaudido por suas gracinhas, e sua linguagem está evoluindo; presta atenção nas conversas, imita tosses e espirros.

Infelizmente, essa é a fase da insegurança! Eles tem medo dos barulhos estranhos, se lembra de lugares que já caiu e se assustou.

Já deve ser incentivado a fazer “tarefas” que é capaz, a mãe vai mostrando como faz, vai induzindo , e ele vai acompanhando.

Nessa fase ele já pode apresentar alguns dentinhos( em média, os primeiros aparecem aos seis meses, mas até os 12 meses não é considerado um atraso). A higiene da boquinha, agora que ele já come , deve ser semelhante a dos adultos: três vezes ao dia, com escova apropriada e creme dental sem flúor.

Nessa fase , o bebê se mostra bastante interessado em conhecer sabores e a mãe deve aproveitar para desenvolver seu paladar, apresentando uma variedade maior de alimentos a ele. A partir no 9° mês, o peixe já pode ser oferecido ( cuide para que seja fresco e cuidado com as espinhas).

A quantidade de leite necessária nessa fase, é de 500 a 600 ml, então, não exagere nas mamadeiras, comadre!! Senão ele (a) não vai ter fome para comer as refeições, super importantes para seu desenvolvimento.

Outra informação que eu julgo importante: ferro e cálcio não combinam entre si, o santo não bate, sabe?rsrs Brincadeiras a parte, um evita a absorção do outro, portanto… mamadeiras, danoninhos,e outros laticínios de sobremesa das refeições nem pensar!!Tem que dar um intervalo de , no mínimo , 1 hora ( o ideal são duas).

Evite tudo o que é artificial , enlatado,embutido e de caixinha. Além de não ser saudável, contém conservantes e corantes que podem ocasionar alergias.

Procure manter uma rotina de horários para sono, banho, passeios e refeições. O bebê se sente seguro e confortável dentro desse esquema.

Vacinas

Idade Tipo de Vacina
A partir do nascimento BCG-id e Hepatite B
2 meses Pólio, Tríplice 1, Hemophilus, Hepatite B, Pneumococo, Rotavírus
3 meses Meningococo C
4 meses Pólio, Tríplice 1, Hemophilus, Pneumococo, Rotavírus
5 meses Meningococo C
6 meses Pólio, Tríplice 1, Hemophilus, Hepatite B, Pneumococo, Influenza 2, Rotavírus
7 meses Influenza 2
12 meses Tríplice viral 3, Hepatite A, Varicela, Meningococo C
15 meses Pólio, Tríplice 1, Hemophilus, Pneumococo
18 meses Hepatite A
4 a 6 anos Pólio, Tríplice 1, Tríplice Viral 3, Varicela, Meningococo C
11 a 12 anos HPV (3 doses), Meningocócica Quadrivalente 4
14 a 16 anos Tríplice acelular tipo adulto

Observações

  1. Tríplice: contra difteria, tétano e coqueluche
  2. Influenza: Gripe
  3. Tríplice viral: contra sarampo, caxumba e rubéola
  4. Meningocócica conjugada para meningococo A, C, W135 e Y.

Super importante, heim comadre!! Não se esqueça!!

Espero ter ajudado!!

Manda pra gente fotos do seu bebê !! conte suas experiências! divida suas dúvidas e angústias!!

Bjos e atétags coração

Os Dentes do Bebê – Dicas de Uma Mãe Dentista

dentinhos

E lá vem os dentes do bebê!! Comadres, dos meus três filhos, a única que sofreu os efeitos dos dentinhos nascendo foi a Nina, minha caçula!A bichinha começou a ficar irritada, bochechas vermelhas, por as mãozinhas na boca sem parar, e salivando bastante.O sono agitado, refeições interrompidas, intestino levemente solto… Peraí!!! Isso é dente!!

E sou dentista , viu comadre!! Não sou odontopediatra , mas estudei sobre tudo isso… além do que , já tive dois filhos que passaram por  esse período!! Mas, cada um é diferente!E a ficha demorou pra cair! Ao fazer a higiene da boquinha dela percebi o inchaço e vermelhidão da  sua gengiva superior.Além do intestino levemente mais soltinho, e as bochechinhas bem vermelhinhas, por causa do aporte sanguíneo no local.

E agora , o que fazer?Eu não quis lançar mão de analgésicos e antiinflamatórios tradicionais, pelo menos não a princípio… Vamos tentar outras coisas,eu combinei com a Maria ( meu anjo da guarda e babá da Nina):

Primeiro, providenciei mordedores com líquido dentro, daqueles que a gente põe pra gelar… Sabe que é bom!! Mas o líquido esquenta logo, então tem que ter mais de um.

Tentei dar brinquedos macios e rugosos, higienizados, os quais ela pudesse morder á vontade… foi bom também, mas ela logo se cansava , e ás vezes, se mordia de canto ou muito forte, reclamava de dor.

Tentamos algumas pomadas tópicas naturais recomendadas… só traziam alívio por alguns minutos.

Quando me lembrei da homeopatia, com a qual eu já tenho tido experiências positivas!!

O desconforto dela melhorou visivelmente! ela voltou a se alimentar melhor e o mau humor sumiu!

Vivendo e aprendendo, graças a Deus!! Mãe de três, dentista, e vem a bichinha me ensinar mais uma…

Fiz esse guia abaixo , para você acompanhar o período do nascimento dos dentinhos do seu bebê:

Entre 5 e 12 meses:

Nascem os Incisivos inferiores;

-Entre 7 e 10 meses:

Nascem os Incisivos Superiores;

-Entre 9 e 12 meses:

Nascem os Incisivos laterais superiores e inferiores;

-Entre os 12 e 18 meses:

Nascem os 1°s molares de leite- inferiores e superiores;

-Entre os 18 e 24 meses:

Nascem os caninos inferiores e superiores;

-Entre os 24 e 30 meses:

Nascem os 2°s molares de leite-inferiores e superiores;

 

Você tem alguma receitinha mágica? Me conta vai, vamos dividir!!

Bjos e atétags coração

O bebê de 6 meses

6 meses

Ai que delícia que deve estar seu(sua) bebê, não é mesmo?

Já vai começar a deliciosa fase das papinhas e das descobertas de sabores e texturas!! Se prepare, lá vem aventura!!rsrs

As informações que vou dar aqui , tirei da Sociedade Brasileira de Pediatria, do livro ” A Vida do Bebê”, do Dr. de Lamare ( meu livro de cabeceira desde que o Pedro nasceu) , e do Ministério da Saúde.

Características do Bebê de 6 Meses:

Nessa fase, seu(sua ) bebê deve estar ganhando , em média, 1 cm e 600 g por mês.

Conselho de mãe: não fique tentada a comparar o tamanho , peso e façanhas do seu anjinho … Sempre vai se deparar com um bebê muito maior, muito mais pesado e muito mais” ninja “que o seu!!

Cada criança tem o seu tempo, tá?Eu fui mãe de 2 pititicos e uma gigante( a M.Beatriz) , e, posso te dizer… dá tudo certo!!

O bebê de 6 meses já se vira quando é chamado, e é evidente nele(a) a inteligência , o raciocínio e o relacionamento social.

Gosta de chamar a atenção, e , o amor para o seu bebê é indispensável e vital. Quanto mais próximo da sua mãe ele puder estar dos 3 aos 18 meses , melhor para os dois!Entre o 4° e o 7° mês, o bebê pode passar po uma mudança brusca de personalidade! Crianças que até agora eram dóceis,tranquilas e passivas, se contentando com o carinho e afeto materno, comida e sono na hora certa, á medida que vai conhecendo o mundo á sua volta, revelará aspectos de sua personalidade:ragugento ou gentil,teimoso ou dócil, etc

Não se preocupe, só vá procurando desvendá-lo , para que continuem em sintonia!

Os mais arrojados , já estão quase sentando sem apoio!

Esse é o período ideal para iniciar a introdução de alimentos pastosos e salgados, as famosas papinhas! Cada pediatra orienta de um jeito, eu fui orientada , com meus 3 anjinhos assim: Introduzir o almoço, a fruta e o suco juntos , na mesma refeição , e continua o restante como antes, nada de mingaus e lanchinhos nos intervalos , que roubam o apetite da criança.

Então:

Entre 6 e 7 horas :Peito e/ou complemento  ( deixar dar um intervalo mínimo de 3 horas,para acriança ter fome)

Entre 10 e 11 horas:Almoço com papinha salgada / fruta/ suco,

Entre 14 e 15 horas: peito e/ou complemento

Entre 18 e 19 horas: peito e/ou complemento

Entre 21 e 22 horas: peito e/ou complemento

E , depois de uma semana almoçando, sem apresentar problemas, já introduzir o jantar, igual ao almoço: papinha salgada/fruta e suco.

Aqui vão algumas “dicas Diamante”:

O seu bebê, a não ser 1 em 1 milhão, não vai adorar a papinha salgada de cara!! Vai ser aos poucos, não desanime!

Se ele não quiser comer no começo, não ofereça o peito ou a mamadeira imediatamente, espere uma hora , mais ou menos, para ele perceber que , se não comer, vai ficar um pouquinho com fome.

Dê uma colherada da papinha doce e uma da salgada, vá enganando ele(a)!! O leite é doce! Ele está conhecendo o gosto salgado agora! Dá um tempo pro(a) pobrezinho(a)!!rsrs

Se você fica oferecendo leites, mingaus, a toda hora , ele(a) nunca vai ter fome para comer a comida!! A digestão do leite,principalmente das fórmulas, é lenta e difícil, leva mais ou menos 3 horas, então, tente dar pelo menos esse intervalo entre uma mamada e uma refeição.

Não bata as papinhas no liquidificador! leia mais :  http://www.asdeliciasdodudu.com.br/2012/08/sobre-consistencia-das-papinhas-e-uma.html  – Nesse site ótimo, você encontrará tudo o que quiser saber sobre a alimentação infantil.

Converse muito com seu pediatra, esclareça todas as suas dúvidas .

Não crie muitas expectativas e não demonstre muita ansiedade!! Ficar empolgada vale, poi seu bebê está crescendo!!

Nessa fase dos 6 meses a necessidade do ferro aumentará, porque as reservas que o (a) bebê trouxe ao nascer, se esgotaram entre o 5° e 6° mês.Então é super importante a carne, a gema de ovo( comece dando uma pontinha de colher de café até chegar a duas gema por semana).

As vacinas:

Ao nascer BCG-ID Dose única
Hepatite B 1ª dose
2 meses Pentavalente (DTP+Hib+Hep. B) 1ª dose
Vacina Poliomielite Inativada
Pneumocócica 10-valente (conjugada)
Vacina Oral Rotavírus Humano
3 meses Vacina Meningocócica C 1ª dose
4 meses Pentavalente (DTP+Hib+Hep. B) 2ª dose
Vacina Poliomielite Inativada
Pneumocócica 10-valente (conjugada)
Vacina Oral Rotavírus Humano
5 meses Vacina Meningocócica C 2ª dose
6 meses Pentavalente (DTP+Hib+Hep. B) 3ª dose
Pneumocócica 10-valente (conjugada)
Vacina Oral Poliomielite
9 meses Vacina contra Febre Amarela Dose única
12 meses Tríplice Viral 1ª dose
Vacina Pneumocócica 10 valente Reforço
15 meses Tríplice Bacteriana (DTP) 1º reforço
Vacina Oral Poliomielite Reforço
Vacina Meningocócica C
Tetraviral Dose única
4 anos Tríplice Bacteriana (DTP) 2º reforço
Vacina Oral Poliomielite 2º reforço

Vacinas gratuitas, disponíveis no SUS. Muito importante, heim comadre!! Não vai dar bobeira!!

Vamos á luta! Agora um novo mundo se abre ao seu bebê… o mundo dos sabores!! Seja bem vindo bebê!Aprecie com moderação!!rsrs

Espero ter ajudado

Bjos e até tags coração