Os 3 maiores inimigos das Mamães

Portrait of happy mother and baby

Oi Comadre! Tudo bem?

Como sempre, gostaria de começar a nossa conversa te fazendo uma pergunta –

eu faço isso para te fazer pensar, ok? 😉

BASEADA EM QUE  VOCÊ TOMA AS SUAS DECISÕES?

 

A gente costuma pensar que nossas decisões são tomadas baseadas em fatos concretos e lógicos como informações técnicas, números e validações ciêntíficas, mas a neurociência já tem a certeza de que todas as nossas decisões são tomadas pelo nosso “cérebro emocional” ou seja : Nós, os seres humanos tomamos TODAS as nossas decisões baseados nas EMOÇÕES  e depois , validamos essas decisões com alguma ” desculpa racional”.

Agora para pra pensar aqui comigo um pouquinho QUANTAS decisões você toma por dia?

Baseada em que você toma essas decisões? Em quais sentimentos ?

Qual a diferença faz na sua vida e na vida e na educação do seu(s) filho(s) essa ou aquela decisão?

E vou além: como as nossas decisões impactam a formação, educação e saúde física e emocional dos nossos filhos?

 

Partindo dessas reflexões, eu parei para pensar que, se os sentimentos são a matéria prima das nossas decisões, devemos cultivar com muito carinho os sentimentos positivos, prestar atenção quais deles estão alinhados aos nossos objetivos como mães e como mulheres e, por outro lado, evitar os negativos e destrutivos ao máximo!

Mas somos humanas não é verdade?

Como evitar esses sentimentos? Sentimentos ruins, infelizmente são tão presentes na nossa vida quanto os bons!!

Certamente não podemos evitá-los, mas conseguimos sim, escolher o que fazer com cada um deles!

E o objetivo dessa nossa conversa aqui, é te falar quais são os 3 piores, na minha opinião e dar o seguinte ALERTA:

NÃO TOME SUAS DECISÕES BASEADA NELES!

  • A culpa,
  • A frustração e
  • O cansaço.

O que fazer? Respire fundo, conte até 10, deixe para mais tarde ou para nunca mais… Reflita e, quando sentir que

está dominada por sentimentos saudáveis e produtivos, aí sim, é a hora de decidir. Não aja por impulso…

Vou te dar alguns exemplos práticos para você conseguir encaixar isso melhor aí, na sua rotina de mãe:

Evite decidir oferecer a chupeta ou o complemento para o seu bebê na madrugada, depois dele chorar por quase uma hora e você não saber mais o que fazer. Tome essa decisão ANTES, se possível. Senão, deixe para pensar melhor no outro dia e já ter os planos B e C  em mente, se preciso for!

Sabe aquela semana que o nosso bebê resolve que vai dormir só 2 horas por noite … e que vai acordar de hora em hora… então, esse não é o melhor cenário para decidir pelo desmame precoce dele, ou pela cama compartilhada. Sobreviva a esse momento e, espere a poeira abaixar para tomar a sua decisão, seja ela qual for!

Lembre-se de que o papel de educar seu filho (a) é seu, assim como de ensinar os limites, o que é certo e o que é errado…Se você voltou a trabalhar, ou se acha que está trabalhando demais e se sente culpada por isso, não se deixe guiar pela culpa! Não fique tentada a ser permissiva demais, ou pior ainda, tentar compensar com brinquedos e “presentes” o tempo que passa longe dele(a). Prefira a conversa franca! Por menores que eles sejam… eles vão entender e admirar você por isso.

Antes da gente continuar nosso papo aqui,preciso deixar claro que não sou contra chupeta, ou complementação necessária, ou cama compartilhada, ok? Se você já me segue há algum tempo, sabe das minhas posições 😉

Bom, eu poderia te dar vários exemplos aqui mas, acho que você já entendeu, não é verdade?

Essas dicas de hoje, minha amiga, se você parar um pouquinho para pensar, são aplicáveis a qualquer área da sua vida: casamento, carreira, dieta e saúde, vida financeira e na maternidade também!

Esteja atenta e, antes de perder o controle desse barco, decida a favor dos seus objetivos!

Estou te convidando a ser autora da história da sua vida e não expectadora… ou pior ainda:

Vítima dos seus impulsos, decisões precipitadas e não refletidas, que trarão consequências indesejáveis para você e seu filho!

Eu te convido, minha amiga, a fechar os olhos e, pensar:

  • Que mãe VOCÊ quer ser para o seu filho? As suas atitudes e decisões de hoje, estão coerentes e alinhadas com esses objetivos?
  • Qual é a SUA opinião a respeito de questões importantes da maternidade como aleitamento, sono, alimentação, chupeta, volta ao trabalho, etc ?
  • Como VOCÊ se sente em relação ao seu filho(a) , marido, mãe, sogra, seu trabalho, seu corpo …? Se tem alguma questão te incomodando, o que você pode fazer a respeito disso?

Não são perguntas fáceis, eu sei!!! rsrs

Eu estou dividindo aqui, com você, como EU faço para tomar as MINHAS decisões.

Se está certo ou errado? Não sei !!!

Em alguns momentos tem uns curto-circuitos sim! Em algumas horas a vontade é de comprar uma viagem só de ida para o Taiti – sozinha, claro!! rsrs

Mas em média, tem funcionado bem.

Como tem sido a sua vida de mãe? Mais difícil e complicada do que esperava?

Qual o seu truque, ou o seu jeitinho, para passar por esse momento de peito aberto e de cabeça erguida? Conta para mim… Eu ADORO conversar com você!!

Adorei o nosso papo de hoje e espero ter te ajudado um pouquinho!

Bjos e atétags-coracao

 

Lígia Coimbra

Como se preparar para ser “Mãe”

como-me-preparar-para-ser-mãe

Fala Comadre, tudo bem?

Muitas mulheres , futuras mamães e Recém-Mamães me procuram, me escrevem perguntando o que é ser mãe?

“Como me preparo para a maternidade? O que devo aprender? O que devo esperar?”

E cada vez mais, convivendo com as mamães aqui nas redes sociais, com as minhas alunas do Recém-Mamãe, eu tenho a certeza da diferença que faz o “estar preparada”!

Mas afinal, o que é “Estar preparada para a maternidade”?

Vamos conversar sobre isso?

Vou te fazer algumas perguntas, para que você descubra as suas respostas, ok?

É dessa forma que eu acredito que posso verdadeiramente te ajudar 😉

Se quiser, assista a esse vídeo em que converso com você sobre isso e depois, leia as perguntas e reflita.

  • Como vai ser a sua vida após o nascimento do seu bebê? A sua rotina?
  • Como vai ficar o seu relacionamento? Aliás, como é hoje o seu relacionamento? ( se é que você tem um). É saudável, maduro, de parceria e companheirismo ou te faz mal, te põe pra baixo e não existe confiança?
  • Como vai ficar seu corpo? Você espera que ele fique como? E o que planeja fazer para tê-lo de volta?
  • E a sua casa? Tudo arrumadinho, clean, e organizado?
  • Como vai ser o seu trabalho ou a sua carreira?
  • Quem vai te ajudar com a casa, a roupa, a comida? E com o bebê?
  • Como está a sua relação com a sua mãe, com a sua família?
  • Como você lida com palpites, críticas, julgamentos e comparações?
  • Você está se preparando, aprendendo como amamentar, como cuidar e atender o seu bebê ou está confiando no seu “Instinto”?
  • E a sua vida social? Restaurantes, compromissos, viagens… Você acha que continuará tudo do mesmo jeito? Qual é o custo, ou o valor disso para você?
  • Como é ficar em casa para você? Sem sair muito, sem se arrumar muito, sem ver muita gente?
  • Como é dedicar todo o seu tempo, a sua energia, seus pensamentos enfim… todas as suas forças para outra pessoa? Isso é a amamentação em livre demanda. Já pensou sobre isso?
  • Já pensou que o seu bebê é um ser único e que pode não se encaixar em nenhuma regra ou técnica conhecida?
  • Como foi a sua infância, o seu nascimento? Você sabe dessa parte da sua história? Está em paz com ela ou tem algo pendente, que precisa ser resolvido?
  • Como lida com os desafios e dúvidas?
  • Você é resiliente, tem jogo de cintura e sabe se reinventar?

São muuuitas peguntas, não é mesmo?

Pois é! Bem vinda a maternidade!!

Aqui nesse mundo temos muito mais perguntas do que respostas… e vai ser sempre assim 😉

Esse é um dos grandes desafios.

Eu convido você a refletir de verdade e verdadeiramente sobre cada uma dessas perguntas e, se ao terminar de ler já tiver as suas respostas, e mais importante, se essas respostas te agradarem e estiverem muito claras para você, então eu te digo sem medo de errar: VOCÊ ESTÁ PREPARADA para a maternidade!

Agora, se ficaram muitas dúvidas… Se você sente que mexeu em muitas feridas abertas ou se, simplesmente não conhece as respostas… bem-vinda ao clube da maioria esmagadora!!

Mas sempre é tempo de pensar, de refletir, de buscar as respostas!

Não se preocupe demais em aprender a trocar uma fralda, em como se segura um bebê ou como damos o banho nos primeiros dias… Isso tudo é sim importante mas… eu te digo com TODA a certeza: Você vai aprender e vai ficar craque nisso, com a prática! Não te erro!

Agora, as questões mais fundamentais e mais profundas da maternidade, essas … ninguém te conta, minha amiga.

Em muitos momentos sentimos um vazio, uma angústia, um cansaço e uma solidão extremos… que ninguém nos explica o “porquê”, que não conseguimos entender… e que muitas vezes temos vergonha e nos sentimos culpadas por sentirmos assim.

A maternidade, na minha opinião é a maior ferramenta de desenvolvimento pessoal que existe! Não é fácil, não é dor de rosa, não é linear nem perfeita…

Mas se vivenciada em toda a sua profundidade, vale sim MUUITO á pena!

Escrevi esse post aqui sobre os primeiros dias com Recém-Nascido,tem um vídeo também.

Conte comigo na sua jornada como mamãe!

A gente vai se encontrando por aqui 😉

Bjos e até tags-coracao

Lígia

Como escolher o Pediatra do Seu Filho – 7 Dicas

E, A Diferença Que Isso Pode Fazer na Sua Vida de Mãe  !

How-Find-Pediatrician

 

Oi Comadre!

Nosso assunto por aqui hoje, é sobre a escolha do ” seu ” pediatra … Seu sim, porque, muitas vezes, nós mães, estamos precisando mais daquela consulta, daquela conversa e da informação, do que os nossos filhos, não é mesmo ?!! rsrs

Bom , por definição, nós, as mães somos apavoradas, cheias de perguntas e dúvidas, e hoje , ainda, temos as comadres virtuais que nos trazem um monte de informações úteis e práticas….

E os médicos, por definição …Não são exatamente disponíveis, não têm muito tempo / paciência para muitas orientações , são técnicos excelentes , mas , não conseguem  , na maioria das vezes , individualizar as informações …

E , muitas vezes , a gente sai da consulta com a sensação de :”Meu Deus! O que eu vou fazer ? ”

Comadre, só para esclarecer aqui : Isso não é uma regra , tá ? Claro que existem médicos  super humanos, compreensivos, e , com uma paciência de Jó … com a gente, simples mortais ! E,também mamães que não são apavoradas e curiosas ! Isso é uma generalização ! Sem ofensas, de parte á parte, tá ?

O fato que eu queria conversar por aqui hoje é: como escolher um pediatra para os nossos filhos? O que levar em consideração ? Quais critérios usar ? O que é mais importante, já que o ideal, muitas vezes, não é o possível ?

Eu preparei umas dicas aqui, para te ajudar nesse processo de escolha, ou , se você está passando por um momento descontentamento … para te ajudar a levantar, quais os pontos-chave, para a escolha do novo profissional.

1- DISPONIBILIDADE é a palavra de ordem !E, para mim, Lígia , é uma das mais importantes …

Gente do céu, não existe você ligar para um pediatra, seu filho com febre, tossindo, ou vomitando , chorando …. e ouvir que tem consulta para daqui há 10 – 20 -30 dias !! Pediatra tem que atender HOJE! Você já passou por isso ?

Com criança , tudo anda muito rápido ! Tanto a melhora, quanto a piora , de uma doença…

E, com bebês de até um ano então… nem se fale ! É  tudo urgente !

Essa característica, pode te ajudar, ou nortear , todas as outras decisões, quando for escolher seu pediatra !

Eu sempre parto do princípio de que, todos são tecnicamente competentes … isso nem se discute !

 

2-ACESSIBILIDADE :

Se um (a) das suas opções tiver a agenda mais  flexível, ou se for amigo da família, ou parente próximo ou distante…

Mesmo que seja do convênio, mesmo que tenha a agenda lotada … se você tiver outra via de acesso, um pouco mais próxima … Eu recomendo que você considere a possibilidade.

A gente precisa ter uma’ linha aberta’ para nos comunicarmos com o pediatra!

Outro fator que pode fazer diferença entre o seu médico ser acessível ou não , é a secretária .

Ok , elas recebem as orientações deles, mas tem algumas que se mostram bem interessadas e preocupadas em resolver e atender a gente, já outras … blindam o nosso acesso ! A gente não consegue marcar horário, e nem falar com o médico, de jeito nenhum!

 

3- PREÇO / CONVÊNIO :

Claro que aqui, não dá pra gente fingir que , isso não faz diferença … Muitas vezes , usamos os profissionais que o nosso convênio médico nos disponibiliza , já que , pagamos por isso, por esse benefício … Mas, infelizmente, o profissional que gostaríamos de frequentar, não está ali…

Aí, é com você , minha amiga … Você sabe da sua realidade financeira, e , a forma como lida e administra seu dinheiro…

A dura realidade é : os profissionais que atendem por convênio , são mal remunerados nas consultas , e , para conseguirem ter uma remuneração mensal digna , agendam consultas a cada 15 minutos, lotam suas agendas … e , como são seres humanos, assim como eu e você…por mais que queiram e tentem fazer diferente, o esquema não permite !

É uma questão de sobrevivência …

 

4-LOCALIZAÇÃO  E HORÁRIOS :

Ás vezes, em cidades maiores, esse ponto pode ser decisivo … não adianta nada o profissional ser excelente , acessível, se você demora 2 horas para chegar  á sua clínica !

Aqui na minha cidade tem um pediatra de convênio, muito bom , por sinal, mas que é famoso por atender até de madrugada !! As mamães chegam, e , as consultas vão atrasando, ás vezes ele tem um parto de emergência para atender … e as mamães vão ficando ali, até meia noite, uma hora da manhã!!

É muita judiação ! De todos os lados envolvidos ! Mães, crianças e dele mesmo… imagina a condição desse profissional, atendendo até esse horário !! Mental e fisicamente , ele já terá ultrapassado todos os seus limites !

 

5-INDICAÇÕES :

Converse com as suas amigas, familiares, e pegue indicações ! Sabe aquelas mulheres com que temos mais afinidade?

Então , fale com essas ! Por terem “coisas em comum ” , é provável que , uma indicação delas , seja o que estamos procurando !

A boa fama, assim como a má fama correm rápido… se um profissional é muito bom, ou o contrário … sempre tem histórias sobre ele correndo por aí!

6- AFINIDADE :

Lembra que aqui, eu estou considerando que, tecnicamente, todos os profissionais são bons …

Acontece que , tem alguns que são mais técnicos, outros que são mais acolhedores, ou ainda , que complicam muito, gostam de detalhes , outros que são mais práticos … Alguns apoiam irrestritamente o aleitamento materno, outros não valorizam tanto… Uns que adoram uma medicação pesada, outros que preferem observar e acompanhar a evolução do quadro …

Outros são mais secos e objetivos, outros são mais carinhosos com a gente…

Aí já são questões bem individuais e subjetivas… e , dependem de você !

E, por fim …

 

7- CONFIANÇA :

Ela é o elo , que une todas as outras características, e que , ao mesmo tempo, sem ela , nenhuma outra qualidade ou característica , fazem sentido ou têm importância !

Claro , a gente pode e deve perguntar , questionar … isso faz parte do processo ! Agora , pense bem :

O pediatra é o nosso guia nessa estrada! Muitas vezes, a saúde e bem estar do nosso filho, podem depender desse profissional! É por isso que precisamos confiar nele, de olhos fechados ! De todo o nosso coração!

Essa confiança, pode fazer toda a diferença, na sua rotina, na sua vida de mãe!

 

Agora , eu preciso te falar uma verdade :  Cuidado para não exagerar !! Nós , as mamães , muitas vezes, fazemos tempestade em copo d água , muitas vezes enfiamos os pés pelas mãos …

Na nossa ansiedade, não escutamos o que o médico nos fala , tiramos as nossas próprias conclusões , usamos o

” dr. Google” para tirarmos as nossas dúvidas e conclusões …

Deixamos que as nossas crenças e vivências , nos impeçam de aprender  coisas novas … de escutar de verdade !

Ao mesmo tempo, não devemos ficar com dúvidas !

Eu penso que somos uma equipe : ele me dá as coordenadas, e eu , executo ! Tiro minhas dúvidas, levo as individualidades de cada uma das minhas crianças em conta, se for o caso, pergunto se é possível adaptar isso ou aquilo ….  mas , confio de todo o meu coração ! E , isso … não tem preço !!

Como você escolheu seu pediatra ? Que critérios usou ?

Está feliz com a sua escolha ?

Deixe seu comentário aqui embaixo, conta prá mim !

Conversar com você, saber das suas histórias , participar da sua vida…

É isso que dá sentido ao meu trabalho por aqui !

A gente vai se encontrando …

Bjos e atétags coração

Lígia

O Sono do Bebê – 7 Fatores que Podem Interferir

rp_untitled-15931-1024x684-1-e1453203851314.jpg

 

Oi Comadre!

Hoje eu escolhi esse assunto, para a gente conversar : O Sono do seu bebê .

Essa “parte ” da maternidade costuma ser bem difícil e, alguns bebês demoram muito para estabelecer uma rotina de sono satisfatória, deixando suas mamães exaustas e perdidas !

Gravei esse vídeo sobre o assunto também . Assiste Agora!

1- Mudança de Rotina

A rotina , na  vida do bebê , é muito importante. Ele se sente seguro assim, e sente muito , quando sai da sua rotina habitual. E , não mudanças nas suas sonecas durante o dia, mas das atividades cotidianas como alimentação, banho, passeios , cuidadoras. Alguns bebês são mais sensíveis que os outros , mas todos sentem as alterações em sua rotina!E isso reflete , diretamente na qualidade do sono do seu pequeno.

2- Ambiente Diferente

Aqui, entramos na mesma questão da mudança de rotina : se mudamos o bebê de quarto, de casa, ou se estamos viajando, o bebê sente e percebe a diferença , e já tem a sua qualidade de sono comprometida.Algumas mamães já me contaram que, só de mudar o berço do bebê de lugar , ou de posição, dentro do quarto, o bebê já percebeu e sentiu a mudança!

3- Ausência de um Membro da Família

Se a mamãe, ou mesmo outro membro da família que não participa diretamente do seu ritual do sono, como o pai, ou um irmãozinho não estão em casa na hora de dormir, o bebê sente a falta e, isso vai pode diferença no seu sono !

4-Nascimento dos Dentes

O período do nascimento dos dentes , costuma trazer bastante alterações físicas no bebê além do desconforto local: pode soltar o intestino, pode dar febre baixa , e pode atrapalhar a alimentação . E, esses desconfortos todos, acabam refletindo na qualidade de sono do bebê.

5- Picos de Desenvolvimento

Os picos de desenvolvimento, são momentos da vida do bebê em que existe uma atividade maior no seu cérebro e no seu corpo, onde ele adquire rapidamente , muitas habilidades, como engatinhar, mandar beijos, pronunciar as primeiras palavrinhas , explorar o ambiente… e isso o deixa muito empolgado e agitado, e , a hora em que dorme, é quando o cérebro faz o “download” dessas novidades ! Além do que, o bebê não desliga completamente… fica pensando em tudo e que aprendeu naquele dia !

6- Mudanças Alimentares

A alimentação interfere diretamente na qualidade de sono de qualquer pessoa, e nos bebês então , qualquer mudança , ou a introdução de um novo alimento, já pode ser motivo para mexer com seu sono ! Nós , adultos, se comemos alguma coisa mais pesada a noite, já sentimos o sono diferente, assim como , se estamos com fome, não conseguimos dormir direito e acordamos toda hora ! Com os bebês acontece o mesmo ! Até que eles conheçam e se habituem a vários alimentos, seu corpo pode sentir dificuldade para digerir alguns alimentos , ou até mesmo, a gente demora a ajustar a quantidade de alimento adequada para eles ! Então, ás vezes podem comer demais , e , outras vezes, comer de menos, e ficarem ainda com um ” rabinho de fome” , como dizia a minha avó .

7-Mudanças climáticas (Frio / calor )

Outro fator regulador da nossa qualidade de sono é a temperatura do nosso corpo . Se estamos com frio, ou com calor, despertamos. E , assim é com o bebê também ! Se conseguirmos manter a temperatura do seu quarto estável e agradável , ele vai conseguir dormir melhor! Muitas mamães são muito friorentas ( eu , por exemplo) , e , acham que seus bebês devem dormir agasalhados, ou , quando maiorezinhos, com edredons bem quentinhos… os pobrezinhos acordam encharcados de suor !

E , ao ouvir informações como essas, você pode estar pensando : ” Meu Deus do céu ! Sempre vai ter um dente nascendo, um alimento novo , alguma alteração na rotina, ou alguma nova habilidade adquirida !! Quando é que as noites, por aqui , serão mais tranquilas ? ”

Pois é … E você tem toda razão !

E, você também pode estar querendo saber o que eu fiz com meus 3 bebês … Eu vou te contar :

Cada um teve as suas necessidades e preferências ! Com o Pedro, eu cheguei a um ponto de cansaço e exaustão , que desmaiei um dia de manhã, de tanta tontura por falta de dormir direito ! Cansei de “brigar ” com as minhas expectativas , e coloquei um bercinho desmontável ao meu lado, no meu quarto – ou seja, aderi ao co-sleeping.

A Piquita, minha filha do meio , sempre gostou de dormir no seu bercinho . Sua única exigência era adormecer no peito .. nunca aceitou chupeta ; ela  acordava de 3/3 horas para mamar , e tinha um sono super leve !

Com a Nina , a minha caçula , foi cama compartilhada até em próximo dos 2 anos ! Eu precisava descansar para amamentá-la, cuidar dos 3 durante o dia, trabalhar e não pirar !

E , sendo muito sincera com você : até hoje , por aqui, tem noites que mais se parecem com a dança das cadeiras ! É um troca troca de lugar sem fim ! As crianças vã para a minha cama, eu vou para a cama delas, e até entre elas, elas correm … vão dormir com o irmão/ irmã  ! Tem manhã que eu acordo e preciso de 30 segundos para me localizar !

Aí , quando estou cansada, penso que , na adolescência, quando começarem as baladas… a coisa fica um pouco pior , não é mesmo ! rsrs Assim está bom , vai !

Se você quiser saber mais sobre ” sono do bebê” , lia esse post completo que fiz sobre

” o sono do bebê e as 4 transições”.

Aqui nesse outro , escrevi sobre a cama compartilhada.

E , nesse outro, mais sobre as minhas histórias com o sono dos meus bebês por aqui !

 

Conta pra mim, agora eu quero saber de você ! Como é o sono do seu bebê ?

E as noites aí na sua casa ? Você tem algum truque que aprendeu, alguma tática que funcionou super bem com seu bebê ?

Deixa seu comentário abaixo ! Conversa comigo !

É isso que dá sentido ao meu trabalho por aqui : saber que estou fazendo alguma diferença na sua vida!

Segue a página do “Mães” lá no Face ! Deixa seu curtir lá !pequena facebook-logo-

Se inscreve no nosso Canal do Youtube ! Toda semana tem novidade por lá!pequena youtube-logo

 

Bom, a gente vai se encontrando por aqui !

Bjos e atétags coração

Lígia

 

 

Ser Mãe de um Recém Nascido – Na Prática , a Teoria é Outra !

barulho1

Oi Comadre, tudo bem ?

Cuidar de um Recém Nascido  não é fácil, não é mesmo ? E, nessa minha jornada de mãe de 3 , de quem pesquisa a fundo o assunto há 10 anos , de quem já leu quase 100 livros sobre o assunto, de quem tem o privilégio de conversar aqui, todos os dias , com dezenas de mamães diferentes… tem uma coisa que vem me deixando bem p… da vida,( com o perdão da palavra) : a chatice e a opressão que cercam a maternidade hoje em dia !

Gente do céu !! É um tal de isso é proibido, isso não pode, a ciência comprovou que…

Vou dar a minha opinião sobre isso tudo, tá ? Se você me permite !

Em primeiro lugar, eu não consigo entender qual é o objetivo dessa “linha” … é de informar? Ou , como está na moda agora, empoderar , as mulheres / mães ? É assegurar a democratização da informação, da ciência, e oferecer a todas as mães a oportunidade de receberem informações “confiáveis, científicas, atestadas e comprovadas em teses de mestrado / doutorado”, em publicações científicas pelo mundo afora ?

Ou ainda, querer espalhar a sua mensagem, as suas vivências, para que todas consigam os mesmos resultados positivos ?

Seria alertar contra os índices alarmantes de cesáreas no Brasil, quando comparado ao resto do mundo ? Ou , ensinar ás mães que , o leite materno é o melhor e mais completo alimento que existe para os bebês até 6 meses ?

 

Eu não sei você, minha amiga e comadre, mas, quando eu escuto um discurso radical , de vozes inflamadas e dedos apontados , a minha primeira reação , é me encolher no meu canto, com medo de ser julgada, condenada e queimada viva na fogueira das mães “irresponsáveis , fracas e desinformadas”… com medo de descobrirem que , só amamentei exclusivo os meus 3 filhos até os 4- 5 meses , por exemplo, ou que tive 3 partos cesáreos, ou ainda… que ofereci chupeta para todos , mas só 2 pegaram ! Que fiz cama compartilhada com todos os que mostraram necessidade disso! Que já dei muita papinha industrializada para o meu filhos mais velho! Vixe… será que eu tenho salvação ? rsrs

 

Brincadeiras á parte, comadre, eu andei pesquisando á fundo a depressão pós parto ( é , eu também ADORO uma pesquisa científica !! rsrs) , Leia o post sobre depressão pós parto aqui  ,e, aluns dados me assustaram bastante : (Resumindo e simplificando bem, tá ?) Esse novo modelo de maternidade opressora , cheio de obrigações, metas e modelos engessados, associado ao período hormonal tumultuado e desfavorável, e, a algum histórico anterior da mulher, é o grande responsável pelo aumento dos casos de depressão pós parto nos últimos 10 anos !

Segundo a OMS ( Organização Mundial da Saúde), os índices mundias são de 10-15% das puérperas são acometidas pela depressão pós parto. Aqui no Brasil, atualmente se fala em 26% , podendo chegar até 40% , em algumas amostras  do estudo. ( Fontes : leia mais aqui , e aqui )

A mulher que não conseguiu( por várias razões) ter o parto que sonhava, que não consegue amamentar exclusivamente seu bebê no peito… que está exausta, sem dormir direito, sem ajuda ou , bons conselhos… Se sente tão perdida, tão sozinha, tão frustrada … que , o que era pra ser o momento mais feliz e pleno da sua vida, se transforma num grande pesadelo !! Ela olha ao seu redor, e não encontra uma saída ! E, ela está  muito fragilizada, nesse momento, para reunir forças e reagir!!

E, se tem algum histórico familiar associado, ou alguns outros fatores associados, como dificuldades financeiras, problemas no seu relacionamento com seu parceiro ou seu relacionamento com a mãe, ou se perdeu algum bebê antes ( só para citar alguns exemplos) , pronto ! Está feita a receita para a “Depressão pós parto ” , que deve ser tratada com medicações e terapia, e, que tem a duração média de 18 meses ! E, se não tratada, pode virar um quadro crônico de depressão, muito mais complicado de ser acudido depois.

E , para mim O PIOR DISSO TUDO : A depressão pós parto prejudica o desenvolvimento físico, afetivo e cognitivo do bebê, e compromete PARA SEMPRE o estabelecimento do VÍNCULO mamãe /bebê, que é de vital importância que seja estabelecido o quanto antes !

Olha só o estrago , comadre! Olha as consequências de criarmos uma fantasia, uma expectativa, irreal, e inatingível a respeito da maternidade !

O que informações boas, de qualidade, mas, mal aproveitadas são capazes de causar !!

No meu ponto de vista: Tudo o que é RADICAL BURRO ! Não leva em conta as particularidades, os sentimentos, as histórias dos personagens envolvidos nisso tudo !

Além de ser cruel e covarde, a forma como alguns médicos, cientistas, profissionais da saúde e até muitas mães, acharem que, por estarem respaldados por teorias e números, têm o direito de nos acuar dessa maneira !

 

Não se deixe intimidar ! Não se deixe oprimir !

E , nunca se envergonhe de ser a mãe que você é !!

 

Se informe sim! Se prepare, física e emocionalmente para o que está por vir … Mas se permita sentir o seu filho como o ser único que ele é ! Se permita amar infinitamente, sem limites , sem pudores…construir a sua maternidade , a sua relação e vínculo com seu bebê, com a sua cara, com o seu jeito !

Conte comigo para esse jornada ! Eu quero e posso te ajudar !

Aqui no “Mães Comadres” , você pode se sentir livre e orgulhosa para viver a sua maternidade do seu jeito !

Eu queria saber de você… me conta a sua história ! As suas dificuldades !

Qual a sua opinião sobre esse assunto ? A sua opinião é sempre muito bem vinda aqui , mesmo que seja diferente da minha!

A gente vai conversando por aqui !

Bjos e até tags coração

PS :Dá um curtir lá na nossa fanpage !pequena facebook-logo-

Se inscreve no nosso canal do Youtube ,pequena youtube-logo e receba as novidades !

High Need Babies – As 12 Características e Mais Uma Mãe ….

bebe-high-need

Oi comadre ! como vai ?

Anda meio “na moda ” esse assunto de “Bebês High Need” por aqui, então hoje, resolvi conversar um pouco sobre o assunto com você, vamos lá ?

Eu gravei um vídeo também , falando sobre isso . Clica e assiste !

O que é um ” bebê High Need “?

É aquele bebê que chora prá caramba, que não é fácil de ser consolado, mama vorazmente, não dorme por muitas horas seguidas, quer colo e /ou peito o tempo todo …. E , do outro lado : uma mãe desesperada, muitas vezes frustrada e culpada, fazendo uma “via sacra” atrás de diagnósticos físicos, como “refluxo” ou APLV, cansada ao extremo , julgada e incompreendida pela família e amigos…. Ufa!

Esse “termo” – High Need Baby , foi criado pelo Dr.Sears, um pediatra Americano, ( também responsável e defensor pela “filosofia” da Criação com Apego  ( API ).

O Dr.Sears, e a sua esposa Martha, tinham 3 filhos “normais” , e, então veio seu 4° filho … E eles conheceram e sentiram “na pele” , o que era ter um “High Need Baby” em casa ! Por causa das suas experiências pessoais e profissionais, eles ( o casal)  passaram a entender que , não era “culpa da mãe , que estraga a crianças” ou “Exagero da mãe , que diz que o filho chora mais e mais alto que os outros”,  “mama o tempo todo” e”não dorme mais do que 3 -4 horas seguidas , durante a noite ” … ou falta de segurança, de experiência… eles já tinham 3 ! E ele era um profissional !!! E , ainda assim… passaram poucas e boas com seu caçula ( e ainda tinham mais 3 crianças para cuidar!!).

Então , o Dr.Sears reuniu as 12 principais características de um “High Need Baby”, que eu vou te contar aqui , resumidamente :

  • Intensos : Choram e gargalham alto , mamam vorazmente, e protestam com muita vontade e força !
  • Hiperativos : Deixo claro que não é a “doença” aqui, mas o padrão de comportamento ! Tipo “não para 1 segundo”, sabe ?
  • Esgotam as mães : tanto o leite, quanto as energias !
  • Querem estar no peito o tempo todo : ou para mamar, ou para o contato e o consolo com a mãe ( já que , normalmente não aceitam chupetas)
  • Impacientes e inflexíveis : querem tudo para “Já” e não negociam “alternativas” ;
  • Não dormem muito : de dia praticamente não dormem, e á noite , dormem no máximo de 3-4 horas seguidas.
  • Insatisfeitos :  por mais atenção , músicas, colo, peito que a mãe ofereça… nunca está bom !
  •  Imprevisíveis e Difíceis de agradar : O que hoje serve para acalmá-lo, amanhã já não serve mais !
  • Super Sensíveis : Estão sempre ligados ao que está acontecendo no ambiente ao seu redor, e percebem e sentem qualquer alteração de pessoas, cenário , ou barulhos. Se sentem seguros nos ambientes que está acostumado , e não gosta de “novidades e passeios longos”.
  • Querem colo e contato “pele a pele” o tempo todo : Seja para mamar, seja para brincar, seja para dormir…
  • Não conseguem se consolar ou se acalmar sozinhos : eles precisam e gostam de gente ( da mãe, na maioria das vezes) , não serve “bichinho de transição”, chupetas, dedo na boca…
  • São super sensíveis á separação ;

Eu , sinceramente falando, não sei dizer se eu tive ( ou tenho), por aqui, um High Need Baby… A Maria Beatriz, a minha filha do meio , é uma suspeita … kkkkkk !

É que, quando a gente lê essas 12 características listadas pelo Dr.Sears, falando a verdade , a maioria dos bebês tem uma ou algumas dessas características, principalmente até os 3-4 meses! Mas, o Dr.Sears fala que, se a criança tiver 3 , ou mais delas, ela pode ser considerada um High Need Baby… E , que também , existem diferenças entre eles !

Outra coisa que ele deixa bem claro, é que isso Não É Uma Doença , e que não traz consequências para a vida adulta da criança… porém , essas características estarão  mais “sob controle” a partir dos 7 anos, mas,  acompanharão a pessoa por toda a vida. Se pensarmos bem , essas características, na vida adulta , são qualidades !  Paixão, intensidade, saber o que quer, gostar de contato / de gente , lutar pelo que quer, não aceitar ” menos” da vida …

Se  você é mamãe de um “high need baby”, não se deixe culpar ! Nem permita palpites ou julgamentos ! Ajuste as suas expectativas … Só você sabe o que é a sua rotina , a sua vida , quais as necessidades do seu filho e, o tamanho do seu amor por ele !

Eu tenho um pouco de cisma de rótulos, sabe ?  Mas, entendo que , quando entendemos melhor o que está acontecendo, fica mais fácil lidarmos com a situação e com nossas angústias e inseguranças  ….

Ao meu ver, o que cabe a nós , os pais, é reforçar e estimular as características positivas dos nossos filhos! Ajudá-los a desenvolver , sempre, o “seu melhor” !  Todos nós temos qualidades, e , eu acredito que várias características de personalidade , têm o lado A e o lado B !! Caráter não se negocia ! O resto…

Precisamos dar limites, ensiná-los a pensar nos outros, respeitar a si , aos outros , os animais , a natureza… serem gentis  e generosos. Mas , se forem diferentes da maioria , tudo bem também , não é mesmo ?  E , muito cá entre nós.. eu acho que eles levarão uma grande vantagem nessa vida… nesse mundo !

Quer saber mais , leia aqui :

http://seupediatra.com/comportamento/o-mito-do-bebe-high-need/

http://www.bagagemdemae.com.br/sera-que-eu-tenho-um-bebe-high-need/

 

Você está passando por isso ? Ou conhece alguém que está ?

Me conta ! Como tem lidado com seu cansaço … Tem alguma dica ?

A gente vai conversando por aqui .

Bjos e até !

Lígia Coimbratags coração

 

Você já curtiu a nossa Fanpage ? Vai lá ! Dá um curtir !pequena facebook-logo-

Se inscreve no nosso canal do Youtube e receba as novidades em primeira mão !pequena youtube-logo

O Luto e a Depressão Pós Parto – Entenda os “Porquês “

depressão-pos-parto

Oi comadre! Tudo jóia ?

A depressão pós parto é um assunto delicado, muitas vezes negligenciado , e pouco comentado…

As mamães se envergonham , se culpam e se escondem …

Os profissionais consideram “normal”, já que , estatisticamente, 80% das mulheres passam por uma “melancolia” , nesse período, conhecida como “baby blues” , e , muitas vezes , casos mais sérios, acabam sendo diagnosticados como ” dentro do esperado” .

Eu gravei um vídeo falando um pouco sobre o assunto . Clica e assiste !

O que acontece afinal ? Por quê isso acontece ?

Bom , fisiologicamente, a explicação é que a mulher, no período do pós parto  + amamentação , entra numa montanha russa hormonal, com queda brusca de alguns hormônios e aumento brusco de outros … E isso, por si só, já deixa a gente bem sensível, com os sentimentos “á flor da pele”.

 

Mas , e emocionalmente, lá dentro , da nossa cabeça, e do nosso coração, o que acontece ?

Aí é que está , minha amiga … Tem muita coisa acontecendo ali dentro , ao mesmo tempo !

Primeiro , os especialistas no assunto ( psicólogos e psiquiatras ) consideram que a recém mamãe, passados os primeiros dias, começa a vivenciar um luto . Mesmo que esteja tudo bem com seu bebê, que seu parto e a sua recuperação esteja  ocorrendo dentro do  esperado… Existe uma “morte ” da mulher que existia “antes ” do bebê : morre o corpo enxuto , morre o cabelo e unhas impecáveis, morre a vida social agitada, morrem as viagens , morre o casamento , morre a profissional super dedicada e eficiente, morre a filha , que era mimada e cuidada o tempo todo, ela agora, tem que cuidar …

 

É claro que,  a gente que já passou dessa fase,  sabe que  isso é uma questão de tempo ! Que , aos poucos, a nossa vida vai voltando … Não exatamente como era , mas é possível voltar a forma, ir ao salão, trabalhar e se realizar na sua profissão, ter um casamento bacana e sólido, voltamos a viajar ( para destinos mais tranquilos) , vamos á festas e restaurantes …

 

Mas , naquele momento ali, sozinha, exausta … o primeiro choque é muito grande, e a mulher se sente perdida , pois , a vida que tinha , não existe mais ! E , a vida que ela está vivendo agora, não é , nem de longe , o que ela queria e esperava ! “Eu quero a minha vida de volta !” “Eu quero o meu corpo de volta” “Eu quero o meu casamento de volta” , “Aonde é que eu estava com a cabeça, quando decidi ter esse filho ?”Esses são pensamentos recorrentes em 100% das mulheres , minha amiga ! Mas, quem não consegue lidar com isso, começa a se sentir frustrada e culpada…

E, a situação ainda piora em alguns casos, como , por exemplo : se ela não consegue amamentar, se o seu bebê é um “High-need baby “( daqueles que choram muito, querem muito colo, não dormem muito tempo seguido…) !Aí , ela começa a se achar incapaz, um lixo de mãe e de mulher !

Começa a ter vergonha do marido, da mãe, da sogra … não quer sair com o bebê, de jeito nenhum ! É um misto de “medo que algo ruim aconteça com ele” com ” e se ele começa a chorar , eu não vou saber o que fazer !”

Desenvolve um pavor de “perder o seu bebê ” , de “passar vergonha” , de ser julgada…

Sempre tem os palpites e as comparações inoportunas, não é mesmo ?

Ou , a incompreensão , por parte das pessoas mais próximas , que deveriam ajudar e apoiar . Eu me lembro de uma amiga minha que o marido dizia : “Mas o que te falta? Você tem tudo ! Nossa filha é saudável e linda ! ” e, mais culpada e triste  ela se sentia !

Existem alguns fatores que podem aumentar as chances da mulher passar por uma depressão pós-parto, como histórico anterior de depressão, transtorno bipolar, perda de outro bebê … e também , quanto mais normal e tranquila foi a sua gestação, quanto mais normal continuou a sua vida , até o momento do parto, maior o baque nesse primeiro momento ! A “Ficha cai de uma vez “, sabe ?

Se ela não tem muita ajuda ou apoio da família , se o casamento não está numa fase boa, ou se a família está passando por problemas de saúde graves ou financeiros, isso também pode afetar a sua segurança e abalar seu psicológico.

E , ainda, quanto maiores as expectativas dessa mãe, quanto mais exigente consigo mesma ela for , ou perfeccionista…Ou ainda, se teve acesso a informações muito radicais e engessadas…se alguma coisa não sair como ela esperava ou como planejou, ela vai se sentir perdida! Vai se cobrar, vai se culpar… e vai desistir !

A gente que é mulher e mãe, na minha opinião, tem a OBRIGAÇÃO de enxergar que o julgamento, as críticas e as comparações , são CRUÉIS E DESUMANAS !

Uma recém mamãe , não precisa de palpites ! Precisa de acolhimento e de ajuda!

Se você é uma gestante, minha amiga, busque sim , o máximo de informações que puder ! Mas , além de informações, tente se preparar , emocional e fisicamente para o que virá !

E, se , de repente, você estiver passando por esse momento difícil, não se recolha , não se culpe , não se envergonhe! Peça e aceite ajuda! Existe tratamento para isso ! E, nem sempre , medicamentoso ! Em muitos casos , só a terapia já resolve ! E, se precisar de medicação , aceite… e pense que, quanto antes você sair desse beco escuro, melhor!

E , acredite, isso vai passar !

Saiba Mais :  http://www.minhavida.com.br/saude/temas/depressao-pos-parto

http://www.ip.usp.br/portal/images/stories/lefam/ATT00026.pdf

ohttp://www.abcdasaude.com.br/ginecologia-e-obstetricia/depressao-pos-parto

Conte comigo , de coração, nessa sua jornada !

Ajudar a mulheres / mamães é a minha grande missão de vida! é por isso que estou aqui … é a isso que dedico meu tempo, minhas pesquisas, meus estudos !

Você tem alguma experiência semelhante? Já passou por isso ? Conhece alguém que está nessa situação ?

Compartilha esse conteúdo ! Me ajude a ajudar!

A gente vai se falando por aqui !

Aqui nesse post com vídeo , eu te dou dicas para os primeiros dias com seu bebê ! E, nesse outro aqui também!

Bjos e até !tags coração

Lígia

Como Amamentar Seu Bebê – Vídeo na Prática

 

Oi Comadre!

Como Amamentar , na prática !

Hoje tem visita especial por aqui ! Eu gravei um vídeo , “vida real”, para te mostrar a amamentação acontecendo na prática!

Meu sobrinho Augusto , que completou 1 mês no dia em  que gravei o vídeo, e a minha irmã, são os “modelos voluntários” desse vídeo de hoje !!

O meu” Muito obrigada”a vocês dois, de coração, por dividirem esse momento com a gente !

 

Além da posição do bebê em relação ao corpo da mamãe , na hora de mamar, aqui  no vídeo, você também vai poder ver:

  • A Pegada da Boquinha do Bebê no Peito da Mãe;
  • Como é o Sutiã Ideal para as Mamães que estão Amamentando;
  • Como é a Posição para o Bebê Arrotar;
  • A Almofada de amamentação e o seu Papel;
  • A Posição da Mamãe para Amamentar;
  • A Massagem que é legal você fazer no seus seios para “liberar” o leite ;
  • O Que Usar Para Hidratar e Cuidar do Bico do Seio;

Assiste ao Vídeo Agora Vai ! Clica Aqui embaixo!

Link para o Vídeo

 

Se você quer mais informações sobre amamentação e a sua importância, clica aqui, que tem um post bem completo para você! E aqui, tem um post com 7 dicas para você amamentar seu bebê  com mais segurança!

Se você quer saber se amamentar emagrece , ou como aproveitar a amamentação para entrar em forma , clica aqui nesse post com vìdeo !

Esse site  é super bacana e completo , com várias informações e dicas super valiosas sobre a amamentação: eu vivo dando uma olhada e fazendo algumas consultas… entra lá você também !

Eu queria te lembrar, minha comadre e amiga, que aqui , nesse nosso espaço , NÃO TEM LUGAR para julgamentos e dedos apontados, tá?

A minha missão aqui, é te deixar segura, bem informada, para fazer as suas próprias escolhas e tomar suas próprias decisões! Fazer de você, a melhor mãe que você pode ser para o seu filho!

Eu quero te ver feliz e realizada na maternidade, e não oprimida, angustiada ou culpada, combinado?

Conte comigo na sua jornada!

Deixa seu comentário aqui embaixo! Conta para mim quais são, ou foram,  as suas dificuldades para amamentar! Você pode ajudar outras mamães com a sua experiência!

Você acompanha a nossa página no Facebook? Segue o !”Mães Comadres” por lá! Dá o seu curtir!

Se Inscreve no nosso canal do Youtube ! Toda segunda e quinta tem novidades por lá !

 

A gente vai se falando!

Bjos e atétags coração

Como Limpar a Boca do Bebê

limpar a boca do bebe

Oi Comadre ! Tudo Jóia ?

“Jura mesmo que precisa higienizar a boca do bebê ? Mas ele nem tem dentes !!! ”

Isso não é paranóia e nem exagero de dentista ( juro!Se você não sabe, eu sou cirurgiã dentista ) rsrsr e , eu vou te explicar direitinho “POR QUÊ” E “COMO ” fazer !

Vamos lá…

Aqui tem um vídeo bem legal, onde te mostro na prática, o passo a passo de como fazer .

Assiste Agora!

 

POR QUE LIMPAR  A BOCA DO BEBÊ ?

São vários os motivos :

1- O leite , seja ele o materno, ou fórmulas infantis, têm na sua composição açúcares, proteínas e gorduras. A nossa língua, ( inclusive a do bebê), não é lisa, a sua superfície parece uma toalha felpuda… Ao entrar em contato com resíduos alimentares , mesmo líquidos,  ela se suja, e por estar num ambiente quente e úmido, que é a boca, é um ambiente ideal para a proliferação de microorganismos como bactérias (boas e ruins) e fungos ( ruins)…

 

2- Todos nós temos bactérias na nossa boca ( a nossa flora bacteriana) , e , tem que ser assim : Pensa só – a boca é a primeira porta de entrada de “invasores” que podem nos causar doenças ! E, logo ali, na entrada, essa flora bacteriana é responsável por já conter uma boa quantidade desses microorganismos patológicos (que nos causam doenças) . No caso do bebê, essa flora bacteriana ainda está se configurando… e, nesse período, em que a flora está se formando, se não houver uma higiene adequada, as bactérias que passarão a “fazer parte da casa”, podem não ser exatamente aquelas que nos protegerão dos invasores, e sim, podem vir bactérias que apareceram ali para aproveitar os restos alimentares presentes na região , que, mais tarde, causarão cáries e outros problemas para a saúde bucal da criança.

 

3- O tipo de Flora bacteriana presente em cada boca, depende de alguns fatores como: alimentação, higiene e , do contato e convívio com as pessoas ( a flora bacteriana dos bebês, tendem a se assemelhar á das pessoas mais íntimas como pais e irmãos). A flora bacteriana muda durante a vida ? DIFICILMENTE …. Para conseguirmos uma mudança na  flora bacteriana, exige muito esforço… mudanças de hábitos e, muitas vezes… não conseguimos! outro fator que pode causar alteração na flora são alterações hormonais, como no período da gravidez, por exemplo…

 

4- Como a imunidade do bebê ainda está se formando, outra turma que tira proveito , se não cuidarmos bem, são os fungos , ou mais conhecidos como “sapinho” … Placas esbranquiçadas, que se espalham por toda a língua e bochechas das crianças… costumam ser muito doloridas, causam febre e falta de apetite. Em casos mais graves, é necessária até a internação da criança, para hidratar e alimentar por soro.

 

Resumindo , minha amiga : Precisa higienizar sim, para ajudar a prevenir problemas a curto , médio e longo prazo ! A saúde bucal do seu filho, durante a vida inteira, vai depender do tipo de bactérias que ele traz na boca, e, também , dos hábitos alimentares e de higiene . E, quanto antes seu filho adquirir os hábitos saudáveis, melhor !

 

COMO LIMPAR A BOCA DO BEBÊ

Em bebês recém nascidos, até os 6 meses ( antes de nascerem os dentes) :

Lave as mãos, tire seus anéis. Use uma gaze ou fraldinha de boca limpa.

Enrole na ponta do dedo indicador, molhe numa água limpa( filtrada ou fervida);

Segure o bebê e, delicadamente passe o dedo com a gaze, em toda a cavidade oral: língua, bochechas e gengivas.

Sempre faça movimentos de dentro para fora, e cuidado para não colocar o dedo muito para dentro, perto da garganta do bebê, para não dar náusea. O bebê costuma gostar da massagem nas pregas palatinas e no “biquinho” do lábio superior ( que são as áreas que ele sente prazer ao ter contato com o bico do peito da mãe).

Faça isso 3 vezes ao dia. Procure não fazer muito em seguida das mamadas, por dois motivos:

1.Se ele estiver com a barriguinha muito cheia, ele pode ter náusea e vomitar e

2.O leite materno tem anticorpos fundamentais para a formação do sistema imunológico inicial do bebê , que , se limparmos em seguida da mamada, podemos removê-los.

Procure fazer com rapidez e delicadeza, e , encaixar a higiene bucal , na sua rotina de mãe, e na rotina do bebê !

Vocês vão se acostumar !

 

QUANDO NASCEM OS PRIMEIROS DENTINHOS

Aqui ,enquanto forem só os dentinhos da frente, você pode escolher: Continua como vinha fazendo , com a gaze na ponta do dedo, ou pode começar a usar a escovinha para bebês, sem o creme dental, ou com aquele tipo sem flúor.

 

QUANDO COMEÇAREM A NASCER OS DENTINHOS DO FUNDO

Usar escova macia, com creme dental sem flúor.

Hoje, existe uma linha que recomenda o uso, de creme dental com flúor , em pequena quantidade…

Eu , pessoalmente, não usei e não uso o creme dental com flúor, até eles aprenderem a cuspir direitinho. O excesso de flúor, causa manchas marrons e esbranquiçadas nos dentes permanentes , que são irreversíveis …

E visitas no dentista ? Quando começar ?

Se você estiver conseguindo fazer a higiene , espere nascer os primeiros dentinhos, e faça visitas periódicas, para receber orientações específicas para o seu filhote! Prevenir é sempre o melhor caminho!

 

E aí, o que achou ? Tem dificuldade para limpar a boquinha do seu bebê?

Conta prá mim !

Conversa comigo! Eu adoro saber de você !!

Me conta como você tem feito ! O seu bebê gosta ? E você , já está craque , ou está tendo dificuldades ?

Acompanha a nossa  a nossa fanpage ! Dá um curtir aqui !

E  nosso canal do Youtube , você já se inscreveu ? Entra lá Agora !Clica aqui !

Você já viu o post ” Os primeiros dias com seu recém nascido “? Leia aqui

Deixe seu comentário abaixo ! A casa é sua !

A gente se encontra !

Bjos e atétags coração

 

A Cólica do Recém Nascido – Saiba Tudo !

 

imagem cólica

Oi Comadre! Toda recém mamãe se apavora , quando pensa no seu bebezinho, chorando , de forma bem sofrida, se contorcendo, com carinha de dor… É ela … a D.Cólica !! Socorro ! O que fazer? O que não fazer ? Como saber que é cólica mesmo ?

Eu fiz esse vídeo , pra te contar tudinho!

Assiste Agora! Não perde tempo! rsrs

E ainda, eu prearei com todo carinho, só para você, esse material inédito, com texto e mapas mentais , em PDF, para você ler e baixar para consultar quando quiser !

Clique  para baixar ! Aqui tem o texto e aqui os mapas mentais !

Aproveita Comadre!

Eu usei a minha experiência com meus três, e fiz uma pesquisa caprichada pela web , para te dar esse conteúdo!

O Pedro, meu mais velho, teve muito pouco… Já a Piquita ( Maria Beatriz, a minha do meio ) … meu Deus !! Todo dia o “trem das onze ” chegava, e vinha forte ! rsrs Ela chorava muito ! Uns 40 minutos! No começo, eu ficava desesperada! Depois fui aprendendo a contornar … aconchegava ela, aninhava no meu peito, cantava baixinho… Deixava ela bem pertinho para escutar a minha voz, sentir o meu cheiro… até que nossa respiração e batimentos cardíacos ficavam no mesmo compasso… e ela adormecia.

E foi passando! As crises foram espaçando… até que foram embora de vez!

A Nina, minha caçula, teve um pouco mais que o Pedro, mais não durou muito…

 

Então , acredita em mim, vai passar ! rsrs

Só fica atenta se não é alguma outra coisa, e a cólica está levando a fama, tá? Refluxo patológico e  APLV são sempre os principais suspeitos !

Mas, confie no seu pediatra e , esteja atenta aos sinais que o seu bebê vai te dar! Cólica é choro com hora marcada !

Seu bebê sofreu muito ?

Você tem alguma história pra contar ?

Divide com as comadres! A gente ADORA ouvir histórias ! rsrs

A gente se vê!

Bjos e até tags coração