Como Falar Sobre Morte Com as Crianças – 9 dicas

como-falar-de-morte-com-as-criancas

Esses últimos dias, aqui em casa , passamos por  2 vivências de morte , com pessoas próximas a nós , a nossa família, e , eu me vi sendo confrontada com a situação de ter que conversar com eles sobre esse assunto .

Não tínhamos ainda , tido conversas mais objetivas sobre o assunto… eles tinham me trazido algumas perguntas, mas , de detalhes , bem específicos , como , por exemplo , o que é o cemitério ? Quando a gente “vira caveira” ? Ou , para onde vamos quando morremos ?

E , o interessante é que, eu percebi, em todas as ocasiões em que eles me trouxeram suas dúvidas , é que , eles queriam saber especificamente, exatamente, só aquilo que estavam perguntando .

Achei que era o momento de , me informar mais , de me preparar mais, para ter essa conversa com eles . E , claro , vou dividir aqui, tudinho com você !

O que eu aprendi , e vou fazer por aqui :

– ser o mais direta e objetiva possível, e no caso de perguntas, responder exatamente o que foi perguntado.

-não mentir ( nem florear , como por exemplo : virou estrelinha, foi viajar, vai dormir eternamente), usar a palavra MORTE é fundamental . Crianças até 10 anos, não “abstraem” , sua mente só consegue trabalhar de forma concreta, então, esses conceitos podem confundí-la.

-a partir dos 4- 5 anos a criança já consegue entender que , a morte é irreversível, e não funcional, ou seja , a pessoa / animalzinho que morreu , não se corre, não dorme, não se mexe .. e isso é importante.

-elas decidem se querem ir ou não á velório / enterro , no caso de parentes próximos. E, os especialistas são unânimes em dizer que , o fato de participarem disso, NÃO TRAUMATIZA as crianças !

-ser coerente com aquilo em que acredito, e , o que ensino para eles . Aqui , entra o lado espiritual da questão … Outro lado que devemos cuidar aqui, é explicar que existem pessoas que acreditam em outras coisas, e que, tudo bem ! Não tem certo nem errado ! é só uma questão de crenças e fé de cada família, de cada pessoa.

-não subestimar meus filhos: eles são crianças, não são bobas !

– não desvalorizar o que elas sentem, nem esconder delas os seus sentimentos: aproveite essa oportunidade para se aproximar ainda mais dos seus filhos .

-com crianças menores, podemos usar uma plantinha, ou a morte de um animalzinho, para ir colocando –a em contato com a morte.

-Se existe um caso de doença grave na família, ou alguém próximo á criança, deixa-la por dentro do processo. Assim, temos a oportunidade de ir preparando a criança, caso a morte chegue.

O escritor Ziraldo escreveu um livro , que virou peça de teatro :Menina Nina, Duas Razões para Não Chorar (Ed. Melhoramentos) “, para explicar, de forma simples e sensível , para os netos , filhos e até para ele mesmo,  a morte repentina da sua esposa ,a D.Vilma, com quem viveu por mais de 40 anos .Esse livro pode ajudar a você e ao seu filho, nesse momento delicado.

Se quiser saber mais sobre esse assunto :

http://revistacrescer.globo.com/Revista/Crescer/0,,EMI213981-10496,00.html

http://delas.ig.com.br/filhos/seis-respostas-como-falar-de-morte-com-as-criancas/n1237794785122.html

No meio de tudo isso, achei que era hora, também, de eu rever a minha posição com relação á morte… sempre tive a tendência de “não pensar” … de me apavorar , só de pensar em perder alguém próximo ….

A morte é natural, faz parte do ciclo da vida … a gente sabe disso, não é ?

Mas , a verdade é que , nunca estamos preparados !

Eu nunca tive medo de morrer … até me tornar mãe ! Hoje, tenho um medo de morrer que me pelo !! rsrs

Perdi meus avós… foi triste e dolorido , mas já estavam bem velhinhos, e , nenhum morreu de repente … eu pude me preparar .

Mas agora, estou entrando numa fase em que , pais de amigos próximos estão começando a partir … E, isso me faz presente para a realidade de que, meus pais estão envelhecendo ! E como isso é dolorido !!

Como imaginar meu porto seguro , trocando de lugar comigo , e passando a ter em mim, nas minhas irmãs, a segurança que sempre representaram nas nossas vidas ?

Tomei algumas decisões , com toda essa reflexão …

E, quer saber ? Isso não foi ruim não, foi muito bom !

E, estou me sentindo grata, por , quem sabe , ter a oportunidade de, na prática, retribuir aos meus amados pais, todo o cuidado que recebi deles a vida toda !!

Não me sinto suficientemente preparada… nem competente para isso … mas , vou lutar todos os dias, para que , sempre que eles precisarem de mim, vou estar ali , disponível, e fazer o meu melhor !

Afinal, esse é o ciclo natural da vida, não é mesmo …

Como você se sente a respeito disso ?

E seus filhos , já te questionaram sobre a morte ?

Você tirou de letra ou teve dificuldade ? Tem alguma dica ?

Deixa seu comentário aqui embaixo ! É sempre muito bom conversar com você !

A gente vai se encontrando por aqui !

Bjos e até tags coração

Lígia

 

Como Fazer o Desfralde do Seu Filho – 10 Super Dicas

IMG_5184

Oi Comadre! Ontem recebi uma mensagem, de uma comadre muito fiel e querida aqui do blog, me perguntando sobre o desfralde… Como fazer de maneira tranquila ? E , então me dei conta de que , não tinha escrito nenhum post por aqui sobre isso ainda, só  no Instagram!! Então , vamos ao desfralde !!

Eu estou finalizando ainda, por aqui, o desfralde da Nina , a minha caçula… então o assunto ainda está bem fresquinho na cabeça !rsrs

Bom , vamos ás dicas então ?

  • 1- Sinta Se é o Momento Certo :

Muitas vezes, a gente decide que chegou a hora de tirar a fralda , mas… ainda não é a hora da criança! E, aí, certamente, o processo vai ser sofrido e lento…

Mas, quando é o momento certo, Lígia ? Bom , “o momento certo” , é o momento do seu filho, mas , em média, por volta dos 2 anos , as crianças estão prontas para controlar o xixi e o cocô.

Num dos muitos livros de maternidade que eu li, uma informação me chamou a atenção : dizia que um desfralde desastrado, pode acarretar até em síndrome do pânico, obsessão por limpeza , desajustes na sexualidade, lá na vida adulta da criança !

Nessa idade, as crianças estão na fase “anal”( mais ou menos dos 18 aos 36 meses) , e o “controle do cocô” está associado tanto ao prazer, quanto ao domínio do ambiente ás primeiras noções de higiene … Então , o assunto é bem complexo !!  Ali me dei conta, de como é importante fazer a coisa de forma mais natural possível , e no momento certo .

Como saber se é o momento certo para o seu filho ? Ele vai te sinalizar . Eles começam a se incomodar com a fralda, começam a observar as nossas idas ao banheiro e parecem se interessar e entender o que acontece ali , eles começam a avisar :” vou fazer xixi”, ou ” vou fazer cocô” !

Outra dica que eu te dou é fazer o processo no verão ! Deixe a criança só de calcinha ou cuecas! Não fica

molhando /sujando aquele monte de roupas, é melhor para dar vários banhos, se precisar… Acaba sendo até prazeroso para a criança !

  • 2- Converse com Seu Filho :

Por mais que pareça que são muito pequenos, a gente deve sim, na minha opinião , colocá-los para participar ativamente do processo : perguntar se ele quer deixar a fralda, se quer um piniquinho, se quer fazer no vaso…

Que a fralda dá calor, que o vaso ( ou o piniquinho ) é a “casa dos cocôs” e “xixis”( aqui em casa eles adoram esse papo ! rsrs) .

  • 3 – Vá com Calma :

O desfralde, minha amiga, não é um evento, e sim, um processo ! Ou seja, não vai acontecer de uma vez só!

Cada criança tem o seu tempo! Pode levar 2-3 semanas, como pode levar 2 meses !

Outra coisa importante : O xixi , durante o dia , é o primeiro que eles conseguem controlar … depois vem o da noite, e depois o cocô. Na verdade, não é que não controlam o cocô , mas, que não conseguem ( ou não querem ) fazer no vaso ou no piniquinho ! A maioria pede para por a fralda para fazerem o cocô , e… tudo bem !!

  • 4 – Esqueça a Neura com Limpeza :

Quando você deixar seu filho só de cueca ou calcinha, milhares de xixis , e alguns cocôs vão escapar por aí! E… tudo bem ! Não dê broncas, não faça escândalo, não se mostre muito neurótica com a “assepsia” , não demonstre nojo, não fale “sujeira”…. A criança precisa se sentir apoiada, e não pressionada !Dê o banho , só se precisar mesmo ! Muitas vezes, um lencinho e uma duchinha já são suficientes!

  • 5- Se Prepare :

Compre , pelo menos 10 calcinhas/cuecas ; deixe um pano/ balde , ou o que for usar, meio no jeito; evite fazer esse começo coincidir com viagens, visitas que passam dias na sua casa, ou qualquer outra mudança na rotina. O desfralde deve ser feito inserido na rotina da criança.

A única exceção a essa regra que eu recomendo, é se você puder fazer nas férias ( suas e da criança ) ,para vocês viverem esse momento juntos, e você fazer como acha que deve ser feito.

  • 6- Reveja os  Hábitos  da Criança  :

Por exemplo, comadre, sabe aquela mamadeirona antes de dormir ? Pois é … Pensa assim : se você tomar 250 ml de líquido antes de se deitar, a chace de você precisar ir ao banheiro durante a noite é enorme, não é mesmo ?

Então … Pensa que, enquanto seu filho estiver tomando a última mamadeira logo antes de dormir ( ou ainda mama durante a madrugada) , você não vai conseguir desfraldar ele á noite ! Aí você tem que pesar se, a mamadeira ainda é parte importante da alimentação dele nesse momento, tente só ajustar os horários : ofereça o jantar mais cedo, e , depois  de 2 horas , ofereça a mamadeira ( ou o copo de leite ) de forma que , a criança ainda demore um pouco para ir dormir, assim , dá tempo desse líquido ser liberado no último xixi , antes de dormir !

  • 7- Uma Mudança de Cada Vez :

As crianças são muito sensíveis a mudanças ! Sejam elas de hábitos, de rotinas… Então , tente não acumular muitas novidades , para que ela tenha tempo de absorver uma mudança de cada vez, sem traumas !  Muitas mudanças ao mesmo tempo, podem deixá-la insegura e angustiada !

Então , por exemplo : não ponha a criança na escola junto com o desfralde, não tire a chupeta nesse momento, não faça a transição do berço para a caminha , se trocou a babá , ou quem cuida da criança, espere um pouco;  se vocês mudaram de casa muito recentemente, ou vão se mudar …

Aqui , o  Pedro nunca pegou mamadeira, mas , com as duas meninas, eu primeiro tirei a mamadeira da hora de dormir, depois , iniciei o processo do desfralde .

  • 8- Tire a Fralda do Dia e da Noite Juntas!

Eu me lembro que , quando eu estava desfraldando o Pedro, uma cunhada minha , bem mais experiente, que já tinha passado por essa fase 2 vezes, me deu a seguinte dica : ” Lígia, ele acorda com a fralda seca ? Então , o que você está esperando para tirar a fralda da noite também !! ”  Putz… é mesmo , né ? E segui seu conselho! E deu  super certo !

  • 9- Ajuste As Suas Expectativas :

Se você acha que já é hora de desfraldar seu filhote, mas ele demonstra que não está nada a fim ainda; se você começou , tentou , e a criança não evolui, ou se mostra assustada com o vaso / pinico , ou se o intestino travou de vez, por não conseguir fazer o cocô … Repense , e se achar que te que recuar , RECUE ! Dê tempo ao tempo ! O seu filho tem o tempo dele !

Agora, eu já vi algumas situações que, me deram muita pena , tanto da mãe, quanto da criança… Por exemplo, algumas escolinhas públicas, dão prazo para a criança desfraldar, senão vai perder a vaga…

Ou , algumas escolas particulares, só aceitam as crianças quando andam bem e quado já saíram da fralda …. E a pobre mãe, sem muita opção … imprime o seu tempo, a sua necessidade, no desfralde da criança… que sofre, não aceita …

A realidade de cada mamãe, assim como as necessidades e limitações , são super individuais… eu respeito e entendo isso ! Só estou te falando que, se você tiver a possibilidade de respeitar o tempo e o momento do seu filho, muito melhor para ele !

Aqui em casa, cada um teve um jeitinho… foi mais rápido, mais devagar, um gostava do vaso , outra preferia o peniquinho… uma escapou mais, outro escapou menos xixis na cama… mas , de modo geral: eu esperei eles completarem 2 anos, e esperei o calor chegar… Comprei cuecas e calcinhas dos personagens preferidos, esperei eles estarem de férias e eu também, para acompanhar o processo de perto ( pelo menos o começo) , deixava eles “frequentarem” o banheiro comigo , e darem aquela espiada básica , no que eu estava fazendo, e outros detalhes que quisessem ver ou saber! rsrs

  • 10-Tente Levar com Bom Humor e Leveza :

Encare esse momento como necessário , e natural !

Todo mundo já passou por isso um dia ! Então , evite broncas e escândalos se um cocô sair na cama… ou um xixi no seu sofá novo!

Não deixe a criança se sentir envergonhada , nem constrangida! Essa é uma excelente oportunidade para você, mamãe, mostrar para ela que , ela sempre pode confiar e contar com você! Para estreitarem ainda mais seus laços, e confiança mútua !

Agora , com o desfralde da Nina, passamos por várias situações hilárias !

Numa delas, uma  noite , ela me pediu para por a fralda para fazer cocô… uns minutos depois, ela mesma tirou a fralda e veio me entregar ,dizendo que não queria mais a fralda… Saiu, virou as costas, foi para o seu quarto , agachou e fez  um MEGA COCÔ  no chão , no meio do quarto! Os irmãos , que estavam brincando por ali, começaram a gritar ” SOCORROO” !! “MÃE ACODE!!”

Eu saí correndo, cheguei lá com o coração na boca, imaginado alguma tragédia !! Quando me deparei com a cena : Os dois acuados, sem coragem  de saírem correndo do quarto, com medo de passar perto  ” do mega cocô supremo ” !! Como se o cocô tivesse vida própria , e, pudesse avançar neles a qualquer momento ! A coitadinha da Nina , assustada com os irmãos gritando, e , ela sequer associou o griteiro ao cocô  !! rsrs ela estava achando que tinha um  “monstro ” no quarto !!

Eu comecei a rir !! Peguei ela e levei para o banho ( o estrago foi grande ), e , comecei a contar para eles que , todos já tinham aprontado alguma !! E fomos relembrando as histórias… rimos juntos, e eles entenderam que aquilo era normal e natural ! Faxina devidamente terminada, tivemos que dormir com as “janelas abertas” ….

Eu queria saber de você! Você já passou por esse momento ? Como foi ?

Teve alguma dificuldade maior ? Teve alguma dica que te ajudou ?

Conta pra gente ! Divide suas experiências !

Adorei nosso papo de hoje !

A gente vai se falando !

Bjos e até tags coração

Lígia

 

Que Tipo de Mãe Você é ?

over-protective-mom

Oi comadre! Tudo bem ?

Esses dias , li uma matéria num blog americano, e ontem vi num programa de TV daqui , uma discussão sobre os ” 3 tipos” predominantes de pais que existem hoje em dia , e quais as consequências disso na vida presente e futura dos filhos.

E , claro, já fiquei me questionando e refletindo sobre o assunto, e resolvi dividir tudo aqui com você !

Vamos aos “tipos” ( rsrs) :

-Pais Super Protetores : São pais que estão sempre “cuidando ” , olhando , preocupados, não confiam em ninguém para cuidar dos filhos, a não ser eles mesmos . Adoram as câmeras em casa, na escola … assim podem estar sempre de olho !

-Pais Super Solícitos : Fazem tudo pelos filhos, até mesmo as atividades que eles já estariam preparados para fazer! Dão banho, preparam e dão a comida, até a lição e os trabalhos escolares fazem pelos filhos.

– Pais Super “Palpiteiros “: Conduzem toda a vida dos filhos – escolhem o que comem, o que vestem, os esportes que praticam, aonde e com quem devem ir, e , muitos , até escolhem a profissão e namorados/ namoradas dos filhos.

Caraca !! rsrs É quase impossível a gente não se ver em PELO MENOS UM desses perfis, não é mesmo ?

Inclusive, na reportagem de TV que eu vi, a repórter estava abordando pais com filhos em lugares públicos e, mostrava cartazes com os ” 3 tipos ” de pais… e nem perguntava “SE” os pais eram assim ! A pergunta já era “QUAL” TIPO”de pais eles eram ! E , nenhum escapou… na verdade, a grande maioria se enquadrava em mais de um tipo ! rsrs Acho que eu, inclusive !!!

E eu daqui, só olhando, escutando e pensando ….

Como ser diferente num contexto social desses ? Violência, pedofilia… correria, drogas , internet ?

Eu sei que a nossa geração foi criada muito mais “solta” e independente ! Nos virávamos , andávamos por aí sozinhos, íamos para a escola a pé, eu até viajava de ônibus para da minha cidade para SP, na casa das minhas tias, sozinha !! E tinha 12- 13 anos !! Imagine só isso hoje em dia ! Impensável ! Mas o contexto do mundo hoje é diferente ! Socorro !

Mas, infelizmente, o que os profissionais (psiquiatras) que deram suas opiniões nas duas matérias que vi, disseram a mesma coisa : que esse tipo de “criação” tem consequências muito negativas na formação emocional das nossas crianças ! Eles foram bem firmes em dizer que , quando nós , pais, agimos com eles dessa forma, criamos neles uma “dependência ” nada saudável, e um sentimento de “não sou capaz”, “não consigo sozinho”,” não sei o que fazer”…

E , nós , pais, não costumamos pensar muito na realidade “nossos filhos vão crescer e se tornar adultos” … e que “tipo” de adultos serão ? Seguros, determinados ? Ou folgados, inseguros e perdidos ?

Como tomarão as rédeas de suas vidas, de suas decisões, como lidarão com as suas frustrações , dores e angústias ?

Já que , isso , nós nunca vamos poder fazer por eles !! Viver o  que é deles para viver, crescer e amadurecer por eles !

Como prepará-los para a “vida real ” ?

Eu estou nesse impasse , minha amiga, e você ? Como lida com esse assunto ?

Encontrou alguma maneira de fazer valer o bom senso e o  meio termo ? Conta prá mim !!

Andei pensando que , algumas mudanças e atitudes são possíveis começar hoje mesmo, e quem, sabe ir “avançando”? rsrs Será? Vou tentar começar por aqui :

  • permitir que as crianças cuidem dos seus brinquedos ( guardem, arrumem e limpem );
  • ensiná-las a manter seus espaços  e quartos organizados;
  • arrumar a própria cama;
  • cuidar de guardar suas roupas já foram lavadas e passadas;
  • arrumar suas mochilas e lancheiras;
  • retirarem seus pratos da mesa;
  • permitir que me ajudem mais na cozinha ;
  • que decidam, entre algumas opções , o que comer ;
  • que escolham suas roupas;
  • que tomem banho, escovem os dentes e penteiem seus cabelos sozinhas;
  • que façam sua lição de casa e trabalhos sem interferências e opiniões minhas;
  • que aprendam a gerenciar e organizar seu tempo como prazos para entrega de trabalhos ou períodos de provas na escola;
  • permitir que sonhem, falem e imaginem seu futuro sem nenhuma “interferência realista” de um adulto;
  • ensiná-las a lidar com seu dinheiro;

UFAA ! É um bom começo, você não acha ? Tá… algumas dessas coisas eu já venho fazendo  ( pelo menos na teoria !!!) , e , muitas vezes, existe um parêntese ( SOB SUPERVISÃO) … que vergonha! Eu confesso … Será que  Estou fazendo TUDO ERRADO !! Ai meu Deus …

Eu estou nessa luta já há algum tempo … Olha só esse vídeo em que eu converso sobre isso :

Mas prometo que vou, a partir de hoje, vigiar os meus atos e pensamentos, para não ser “intrometida e invasiva” , só por causa da minha “credencial de mãe ” !! Juro juradinho…

A gente vai se encontrando por aqui !

Deixa seu comentário aqui embaixo! A sua opinião , o que você pensa e tem a dizer são fundamentais para mim !

É isso que dá sentido ao meu trabalho ! Saber que eu estou produzindo um conteúdo que faça alguma diferença na sua vida!

Bjos e até tags coração

Lígia

 

4 Motivos Para Você Participar Da Alfabetização do Seu Filho

rp_home-schooling-1-1024x681.jpg

 

Você sabe qual o pior método de alfabetização que existe? Sabe qual  método a escola do seu filho usa?

Sabia que isso pode ter consequências para a vida toda do seu filho?

38% dos Universitários do Brasil, são** analfabetos funcionais? segundo o INAF ( Índice de Analfabetismo Funcional)  . E que , no Brasil todo, o número de analfabetos funcionais chega a 35 milhões de pessoas ?( leia mais aqui).

Qual é o nosso papel , como mães, na educação formal  dos nossos filhos ? Na alfabetização, no interesse pelo conhecimento, pelo aprender ?

 

Faz alguma diferença, nos resultados de desempenho escolar dos filhos, se nós participarmos de forma mais ativa ?

Ah ! Faz! A unanimidade é sempre rara, mas , nesse caso, ela existe! Todos: educadores, psicólogos, pedagogos, professores e estudiosos da educação, são unânimes em afirmar que os pais e o ambiente em casa, interferem sim, no interesse , nos estímulos , e no desenvolvimento da criança-adolescente na escola ! Não só no  seu desempenho escolar, mas no seu aprendizado como um todo! E, o pior… tanto podemos ajudar, quanto podemos atrapalhar!!

 

Assiste a esse vídeo Agora!

Socorro!!

“Mas.. o quê fazer então , Lígia ? Como fazer ? Eu não sou professora, nem pedagoga ! “Como vou saber se a escola que escolhi está no caminho certo?”

“Eu não tenho tempo nem para respirar!” “Gasto uma grande parte do meu salário pagando uma boa ( e cara) escola para o meu filho, e você vem me dizer que eu tenho que participar mais desse processo ?!”” Fazer o quê, em casa?”

Eu sei , minha amiga… calma! rsrs Eu também me sinto assim ! Sobrecarregada e perdida!

Mas, quando dou de cara com esses dados da nossa realidade aqui no Brasil… fico me perguntando:

“o que eu, na prática, como mãe , posso fazer , além de escolher uma boa escola para os meus filhos ?”

Eu moro numa cidade de porte médio, onde as opções de escolas boas , são bastante restritas! Então, entendi que “eu vou ter que fazer o meu dever de casa ” com meus filhos , se eu quiser “algo mais” !!

E, como sempre, saí em  busca de informação de qualidade , que pudesse me orientar… me dar um norte!

E , entre muitas informações que encontrei, me deparei com um conteúdo de extrema qualidade, produzido pelo professor Carlos Nadalim. Entrei em contato com a equipe dele, e eles me autorizaram a colocar esse vídeo aqui, no Mães Comadres, para você! Assiste agora e não perde !

 

Se você gostou desse vídeo, me passa seu melhor e-mail, que eu vou te mandar vários conteúdos de extremo valor, como esse , para te ajudar a clarear aí , o seu caminho !

Assim que você digitar seu e-mail, você receberá um vídeo em que o professor faz um alerta sobre o pior método de alfabetização que existe.

Essas dicas e informações , têm feito toda a diferença para mim, por isso fiz questão de conseguir trazer isso aqui para você!

Queria até aproveitar para agradecer á equipe, a confiança no meu trabalho , e , no nosso espaço aqui no blog!

E , pela generosidade em me deixar compartilhar esses conteúdos com você aqui !

Qual o valor da educação dos seus filhos para você? Qual é a importância que você acha que a educação formal, desde a pré alfabetização, vai ter no futuro do seu filho?

Eu aposto TODAS AS MINHAS FICHAS nisso, comadre! Na educação integral dos meus filhos!

E, só esclarecendo… eu valorizo MUITO o papel da escola, eu entendo que ela desenvolve várias aptidões na criança, a socialização que proporciona é fundamental para o crescimento e amadurecimento da criança! Mas, a proposta das escolas tradicionais, atende a todos de maneira igual, na média… se o seu filho tem alguma dificuldade , ou precisa de alguma atenção especial nessa ou naquela área, aí é que entramos nós , as mães, a família, para aí sim, juntos com nosso filho, o conduzirmos para o seu desenvolvimento. E , o mesmo vale se o seu filho , tem alguma aptidão, talento ou inteligência acima da média !! A escola não sabe lidar com isso … e nem teria como! E, o seu filho acaba sendo “encaixotado”, ajustado , com a média da classe.

Não dá para ACHAR, ou ARRISCAR, não é mesmo?  Vamos juntas ! #vemcomigo

 

Deixa seu comentário aqui para mim ! Me diga o que achou desse conteúdo!

Me conta das suas dificuldades por aí… como é a escola do seu filho?

Como você participa , na formação do seus filhos?

Tem alguma informação ou dica que gostaria de compartilhar por aqui? Fica á vontade! A casa é sua , lembra?

A gente vai se encontrando por aqui !

Bjos e atétags coração

Lígia Coimbra

PS: Não se esquece de me deixar seu melhor e-mail ! Eu só vou enviar esse conteúdo gratuito e de qualidade , para as comadres que estiverem interessadas !

PS1:**”O Analfabeto funcional,é aquele que, embora saiba reconhecer letras e números, são incapazes de compreender textos simples, bem como realizar operações matemáticas mais elaboradas” (Fonte:Brasil Escola . com)

Alimentação Infantil – Um Assunto Sério

Oi Comadre!

Nos últimos 15 dias, eu ouvi de 2 pessoas diferentes, profissionais ligados á área da saúde, um dado assustador :

“Que a geração dos nossos filhos, é a primeira , na história da humanidade, que vai viver menos do que seus pais.”

Para ser exata, a ciência já conta com 5 anos menos , na vida das nossas crianças, quando comparadas a nossa expectativa média de vida!!

Gente eu fiquei tão chocada com essa informação !!

E sabe o por quê ?A ALIMENTAÇÃO INFANTIL!!

Eu fiz um vídeo para conversar disso com você:

E os dados de arrepiar não param por aí:

No Brasil, hoje , estima-se que 35% das nossas crianças são obesas, e , no estado de SP , esse número é de 50% !!

A Alimentação Infantil:

Os grandes vilões são : o açúcar, em excesso, e os farináceos e produtos industrializados ( biscoitos, salgadinhos, sucos de caixinha, comidas congeladas como nuggets, etc) que a gente, na nossa vida moderna , em busca de praticidade, acaba, inocentemente, e sem pensar, incorporando na nossa rotina e nos hábitos dos nossos filhos.

Esses alimentos, causam um excesso de insulina circulando pelo corpo, o que causa estragos graves, como estoque exagerado de gordura corporal, aumento de apetite, desregulação hormonal geral, diabetes tipo 2, são os mais conhecidos.

Além de tudo isso, como se já não fosse ruim o suficiente, esses alimentos, na sua forma refinada, ainda têm um poder de nos viciar , literalmente falando! Eles provocam alguns efeitos químicos no cérebro, que são idênticos aos efeitos de drogas com alto poder viciante, como cocaína e heroína!

E, depois, gastamos muito tempo, energia e dinheiro, tentando correr atrás dos estragos !

Nutricionista, esportes mil ( e transporte para levar e buscar) , psicóloga , médicos , exames… e temos que fazer o caminho de volta, o que é muito sofrido e difícil pra gente e pros nossos filhos!

Por quê não evitar ? Por quê não ensinar nossos filhos , desde o começo da sua alimentação, o que é bom e saudável para eles?

Fiquei me questionando , me martirizando ( como toda mãe que se preze! rsrs)  e analisando os meus “porquês”, e sabe o que eu concluí?

Que além da vida corrida, da falta de tempo , um grande SENÃO é que , para introduzirmos e mantermos , com consistência, bons hábitos nos nossos filhos, temos que rever os NOSSOS hábitos!

Como nos alimentamos?

Como são nossos hábitos?

Como está a nossa saúde?

Qual é a importância que damos para isso, nas nossas vidas, na nossa rotina?

Aí é que está… não adianta querermos fazer nossos filhos comerem legumes, verduras e frutas, se, nós mesmas não comemos?

Ou se adoramos um hambúrguer com batata frita, pizza e sorvete,e fazemos disso não uma exceção , mas a regra , na nossa alimentação?

Ou se exaustas, sem saber o que fazer, permitimos que nossos filhos troquem refeições por mamadeiras “turbinadas” farinhas e engrossantes que se dizem “vitaminados” ?

Se , na nossa insegurança, e enorme amor, temos uma dificuldade visceral de olhar nos olhos dos nossos filhos e lhes dizer “NÃO ” ….

Sei lá , comadre, eu só sei que , se eu já me preocupava com esse assunto, agora, o bicho pegou! rsrs

E, daqui para frente, eu vou jogar prá ganhar!

Afinal, que mãe, se tivesse a possibilidade, não acrescentaria 5 anos a mais na vida dos seus filhos?!

Eu estou na batalha , e você, vem comigo?

Aqui nesse post ( com vídeo), eu dou algumas dicas de como fazer a introdução alimentar do seu filhote numa boa, sem traumas prá ninguém! rsrs

E vou deixar aqui com vocês, alguns links de sites onde busco inspiração e informação de qualidade, quando o assunto é saúde e alimentação:

As Delícias do Dudu

Minha Vida

Deixe seu comentário abaixo ! Qual a sua opinião ? Como é na sua casa?

A gente vai se falando ,

Bjos e atétags coração

TDAH – Entendendo Melhor

tdah-como-reconhecer

Oi Comadre! Você sabe o que é o TDAH – Transtorno do Déficit de Atenção/Hiperatividade ? Como reconhecer e entender melhor esse problema?

Eu escuto falar bastante sobre isso, e , em alguns  grupo de mamães que eu faço parte, eu percebo que o problema está aí , e bem mais do que eu imaginava… e muitas dessas mamães se sentem vendidas… perdidas… A maioria  só recebe  o diagnóstico depois de muitas frustrações e desgaste emocional e , a criança , no meio disso tudo ,termina com a sua auto estima lá no pé…

E fiquei pensando: E se fosse comigo, eu saberia reconhecer, ou pelo menos, suspeitaria de se tratar do TDAH? E descobri que não ! Que sou totalmente por fora desse assunto! E isso pra uma geminiana, mãe e blogueira, é inaceitável ! rsrsrs

Então, fiz uma pesquisa pela web, em materiais médicos e científicos, de fontes super sérias e confiáveis, para aprender um pouco , e , te contar tudo !

Vem comigo:

O QUE É TDAH?

É um quadro neurobiológico (das células do sistema nervoso, da sua organização e do seu funcionamento) crônico, que se caracteriza por falta de atenção, muita agitação e impulsividade.

O TDAH É MUITO FREQUENTE?

Acomete de 3 a5% das crianças em idade escolar e sua prevalência é maior entre os meninos.

O QUE CAUSA O TDAH ?

Existe uma predisposição genética, e também uma desordem nas substâncias dopamina e noradrenalina (neurotransmissores), que são responsáveis pela transmissão de estímulos nervosos, e no caso o TDAH, existe uma falha na região frontal e pré frontal do cérebro , que é responsável  pela inibição de comportamentos inadequados, pela capacidade de prestar atenção, memória, autocontrole, organização e planejamento. O uso de álcool e drogas durante a gravidez também são apontados como possíveis causas.

 

EXISTE SÓ UM TIPO DE TDAH?

Não, a doença pode ser classificada em três tipos:

1) TDAH com predomínio de sintomas de desatenção;

2) TDAH com predomínio de sintomas de hiperatividade/impulsividade e

3) TDAH combinado.

QUAIS SÃO AS” PRINCIPAIS PISTAS ” , DE QUE UMA CRIANÇA APRESENTA TDAH, do tipo “DESATENÇÃO”?

    1- Não consegue prestar muita atenção em detalhes ou comete erros por descuido(baixo rendimento escolar);

 

    2- Tem dificuldade em manter a atenção no trabalho, na escola ou no lazer;

 

    3- Não ouve quando abordado diretamente;

 

    4- Não consegue terminar as tarefas escolares, os afazeres domésticos ou os deveres do trabalho;

 

    5- Tem dificuldade em organizar atividades;

 

    6- Evita tarefas que exijam um esforço mental prolongado;

 

    7- Perde ou esquece coisas;

 

    8- Distrai-se facilmente;

 

    9- Esquece com facilidade de compromissos e de tarefas.

 

Para ser considerada portadora dessa faceta da doença, a criança precisa apresentar , pelo menos 6, desses 9 sinais.

 

E COMO RECONHECER A FORMA “HIPERATIVIDADE/IMPULSIVIDADE”?

A hiperatividade na criança é predominantemente motora, não tem parada, está sempre se movimentando.

A impulsividade se caracteriza pelo fato da criança agir ou reagir antes de pensar, e , geralmente , são muito impacientes.

A criança deve apresentar pelo menos 6, dos 9 itens abaixo:

    1- Está sempre inquieta, sempre se mexendo;

 

    2- Dificuldade em permanecer sentada;

 

    3- Corre ou sobe nas coisas;

 

    4- Dificuldade de realizar uma tarefa silenciosamente;

 

    5- Fala excessivamente;

 

    6- Responde a perguntas antes de serem formuladas;

 

    7- Age como se fosse movida a motor;

 

    8- Dificuldade em esperar a sua vez;

 

               9- Interrompe e se intromete;

 

EXISTEM OUTRAS DOENÇAS RELACIONADAS AO TDAH?

Existe, o que os especialistas chamam de “co-morbidades” , ou seja ,os portadores podem desenvolver  outras doenças que podem estar associadas á presença do TDAH, como a depressão e a ansiedade, por exemplo, que podem trazer consequências mais sérias , do que o próprio TDAH.

COMO É FECHADO O DIAGNÓSTICO ?

É sempre baseado no quadro clínico.

os sintomas devem manifestar-se na infância, antes dos sete anos, pelo menos em dois ambientes diferentes (casa, escola, lazer, trabalhos), durante seis meses, no mínimo.

Devem também ser responsáveis por desajustes e alterações no comportamento, que dificultam o relacionamento e o convívio social dos portadores, nas mais diversas situações.

Apesar de estar presente desde o nascimento, o problema costuma aparecer na escola e o diagnóstico deve ser feito por especialistas com base nos critérios de protocolos médicos estabelecidos .

Avaliações precipitadas podem dar origem a falsos positivos , o que acaba com uma excessiva e desnecessária prescrição de medicamentos.

COMO É O TRATAMENTO?

Depende. Cada caso é um caso, mas, normalmente, em crianças, o tratamento deve ser multidisciplinar, com Terapeutas Ocupacionais, Psicólogos, Psico-pedagogas…

É preciso restaurar auto-estima da criança, e , ensiná-la a driblar suas limitações e , conviver com elas , sem maiores traumas, com alguns truques e ajustes na sua rotina.

Em alguns casos ( na verdade, muitos,infelizmente), é necessário o uso de medicação( prefiro não falar em nomes de medicações por aqui, tá? me desculpe).

 

Existe uma grande discussão , hoje em dia, sobre o “modismo “,  que essas doenças são “a bola da vez”… Que muitas crianças “mal educadas”, sem limites , recebem esse diagnóstico, até por pressão dos pais que, por não saberem o que fazer, ou como agir, com crianças mais difíceis, preferem que sejam medicadas….

Eu não gosto de pensar desse modo… O que me dói, é imaginar o grande sofrimento que essas crianças, as escolas, professores  e familiares passam, até que a solução se apresente para essas crianças! Que essa doença pode , simplesmente apagar a auto estima de uma criança… que ela pode descobrir, cedo demais, as suas limitações… e ter que aprender a lidar com elas ! Tem muito adulto que não consegue !!

A discussão de “crianças difíceis” e sem limites,  e pais perdidos e culpados , que não conseguem impor limites na criação dos seus filhos, eu prefiro deixar para um outro post, pode ser? rsrs

Não estou fugindo, não ! Juro ! rsrs é só prá gente não misturar as coisas !

 

Seu filho tem o diagnóstico de TDHA?

Você já passou por alguma experiência ruim, ou diferente do que eu conversei aqui?

Me conta ! A gente divide… a gente multiplica ! Deixa um comentário aqui embaixo!

A gente vai se falando!

Bjos e até tags coração

 

As Crianças e a Tecnologia – Qual o limite ?

 

Meet the experts: children often find tablets more instinctive than adults.

Eu não sei você, comadre, mas eu sempre tenho a sensação de que , meus filhos exageram com a TV, Tablets , joguinhos eletrônicos etc… Mas aí , eu olho pro mundo ao nosso redor , e acho que isso tudo , cada dia mais, vai fazer parte da vida deles ! Que é preciso saber mexer sim, ter intimidade com a linguagem, com a linha de raciocínio de como essas “jeringonças” funcionam ! rsrs

Sim, porque , eu sou uma mulher das cavernas ! rsrs Você não sabe a dificuldade que eu tenho de entender isso tudo ! O que alguns , como a “Apple” chamam de “intuitivo”, até me ofende!! kkkk  Para mim, não existe nada intuitivo nesse ambiente virtual ! E , eu não acredito que isso seja tolerável, em se tratando de presente, e muito menos de futuro !!

As crianças precisam ter essa intimidade ! Além do que, existem muitos aplicativos bacanas , adequados para cada fase do desenvolvimento das crianças, que são super educativos !

Como saber qual é o limite ?

Andei pesquisando, ouvindo opiniões de especialistas tanto em educação infantil , como pediatras… li bastante coisa também… Enfim, vou dividir com vocês o que encontrei por aí, tá ?

Vamos lá :

  • EXISTE UM CONSENSO : o equilíbrio … o bom senso . A criança não deve SÓ “brincar”no mundo virtual, ela deve ter a chance , de preferência diária, de frequentar espaços abertos, e brincar com outras crianças e com brinquedos “reais “. Limitar o uso , em crianças acima de 3 anos, entre 1 -2 horas por dia, no máximo !Assim, o contato com a tecnologia não será prejudicial.
  • QUEM DEFENDE O USO DIZ : que esses aparelhos podem sim estimular o aprendizado das crianças, desenvolvem a criatividade, o raciocínio e a tomada de decisões são rápidos ( o que não quer dizer acertados…)
  • QUEM É CONTRA O USO DIZ : que  o excesso do contato da criança com esses aparelhos, pode trazer problemas sociais, como isolamento, e egoísmo exagerados. E, que,  essa sobrecarga tecnológica pode ter efeitos no comportamento como irritação e ansiedade, queda no rendimento escolar. E , também , efeitos físicos : dor de cabeça, alteração no sono e obesidade.

 

Agora, a opinião dessa mãe que está escrevendo :

– Monitore o que o seu filho está acessando! Não permita que ele entre em contato , precocemente ,com informações e imagens , que não são adequadas para a sua idade!

– Crie um ambiente favorável para que seu filho possa ter contato com cores  , texturas, cheiros e sabores REAIS ! Se ,o ambiente em que a criança vive é pautado no NÃO … ela não terá vontade de explora-lo, e experimentar o  mundo e suas sensações ! Deixe seu filho pintar , mexer com massinhas, cortar / rasgar papel, comer com as mãos, cheirar e lamber as frutas ! Isso vai ser muito interessante e rico para ele! Mas também, permita que entre em contato com esse mundo virtual !

 

-Não tente adiantar a estimulação do seu pequeno, apresentando letras, números, cores antes da hora !

 

-Eu sei que , tem momentos em que é necessário esse” transe” em que eles ficam diante dos eletrônicos ! Aproveite ! Sem culpa ! Uma viagem de carro muito longa… um jantar para fazer… uma conversa importante no telefone… só a gente que é mãe sabe !! rsrsr

 

– Não adianta tentar tapar o sol com peneira !! rsrs Esse papo de “no meu tempo não era assim… a gente brincava na rua … a gente subia em árvore … ”  não cola com nosso filhotes mais não, viu ? O mundo deles é realmente muuito diferente do  que o nosso foi!!

 

Se isso é bom ou ruim… só o tempo dirá !

Enquanto isso … vamos fazendo aquilo que acreditamos ser o melhor para eles, não é mesmo?

Você deixa seu filho usar os eletrônicos ? Desde que idade ?

Qual a sua experiência e opinião ?

A gente vai se falando !

 

Bjos e até !!tags coração

Eu Subestimei os Meus Filhos …

atividades extracurriculares

Oi Comadre! Acho que as atividades extra curriculares são sempre motivo de muitas dúvidas, entre nós , as mamães de plantão, não é mesmo ?Quando iniciar o inglês, um esporte… Será que meu filho não está muito ocioso, parado… será que meu filho não está sobrecarregado ?

Ontem , aqui em casa passei por uma situação que , foi como um” soco na boca do estômago” , para mim!Escuta só:

Desde que começou o ano letivo, com todas as atividades extra curriculares que as crianças fazem , eu venho achando que  a rotina está muito pesada ,sabe ? O Pedro faz inglês,(que ele adora) , futebol depois da escola ( que ele ama ) e o Kumon de matemática ( que , de uns tempo pra cá , está meio pesado… ) e , a Maria Beatriz, faz Kumon de matemática ( que ela detesta) , inglês( que ela gosta), aulas de circo depois da escola ( que ela adora) e aula de artes ( que ela ama) … ufa… cansa só de ler , né ? Então… eu comecei a me sentir culpada!

O Pedro , que já está no 3° ano tem bastante lições, trabalhos, e provas mensais e bimestrais… e a Piquita… só tem 5 anos ! E adora seu mundo de princesas, príncipes, nenês dodóis, massinhas , tintas e pincéis !

E, não é só isso ! Tem o vovô , que vem jantar com a gente todas as 4°feiras, tem o jogo de basquete do papai , todas as 5° feiras,aniversários dos amiguinhos – alguns durante a semana, tem as roupas que foram lavadas e passadas para guardarem nas gavetas, brinquedos e mochilas para organizarem; gostamos de ir para a cozinha juntos, e fazermos alguma delícia, sempre que podemos… TV, Video game, bicicleta, quintal… Além da leitura diária , obrigatória aqui em casa. Que horas?

Pensei, pensei pensei… conversei com o Guilherme, meu marido, e ele concordou comigo , também acha que a rotina está pesada.E decidimos por tirar do Kumon , porque, além das duas aulas por semana, ainda tem lição TODO DIA( sábados , domingos e feriados ).

Aliviada por ter tomado a decisão, fui toda contente conversar com eles : ” Eu tenho uma novidade que , eu acho que vocês vão gostar muito … Vou tirar vocês do Kumon ! Eu e o papai conversamos e, achamos que vocês estão com pouco tempo para brincar, tempo livre para fazerem o que gostam… resolvemos experimentar deixar vocês um pouco mais liberados, o que acham ? ”

A Piquita saiu comemorando : “oba! vou sair do Kumon !!” E o Pedro, fez uma carinha… esboçou um sorriso e disse : ” “Quando? ” , ” amanhã você ainda vai, porque eu preciso conversar direitinho com a Harue, e explicar direitinho pra ela o que está acontecendo “. ” Mãe, explica bem prá ela que eu naõ pedi para sair, tá ? “… Hum… aí eu percebi que tinha alguma coisa errada…

Na hora de dormir, como tento fazer todos os dias, deitei do lado dele para conversarmos um pouquinho sobre como foi o dia… E papo vai, papo vem… entramos no assunto do Kumon. E me vem ele :” O mãe, deixa só eu aprender fração, que é o próximo bloco que eu vou entrar… depois eu saio , tá bom ?” … … … Ainda bem que estava escuro, pra ele não ver as lágrimas que começaram a cair na hora ! Um misto de vergonha, por ter tomado a decisão por ele, achando que o estava ajudando, com orgulho do meu pequeno homenzinho !

Dei um abraço bem apertado, enchi ele de beijos e disse : “Todo final de mês voltamos a conversar ! E, se você achar que está muito pesado pra você , me fala, tá bom ?” ” Tá bom mãe! é que essas contas de divisão de 3, com resto, são mais difíceis mesmo, e , eu estou demorando um pouco mais para fazer as lições , mas … tudo bem , viu ? ”

Saí da sua cama atordoada, fui contar pro Guilherme ,e ele … só deu um sorrisinho de orgullho.

E agorinha, enquanto eu estou escrevendo esse texto aqui, pra você, adivinha aonde está a minha Piquita ? Sentadinha bem aqui , ao meu lado… fazendo ” só uma folhinha, tá mamãe” – da lição do kumon que ainda ficou na pasta !!

As lições , para mim , foram :”Conversar sempre ANTES de tomar as decisões que envolvam a vidinha deles” e “sim, eles são muito mais capazes e maduros do que eu imaginava ! ” .

Seu filho faz atividades extra curriculares ? Já teve problemas ?

Você precisou de orientação profissional, tipo psicóloga ou pedagoga ?

Conta prá mim !

Bjos e até tags coração

O Ciúmes Entre Irmãos

o-ciumes-entre-irmãos

Oi comadre! Tenho recebido muitos emails me pedindo para falar desse assunto! O que fazer com a chegada de um irmãozinho/irmãzinha ? Como administrar o ciúmes, a insegurança do filho maior ?

Normalmente são mamães que estão grávidas do segundo filho, querendo saber o que fazer… como evitar , como lidar com esse bichinho tão destrutivo que é o ciúmes !

Eu me lembrei da minha sogra , contando que , quando meu marido nasceu, seu irmão mais velho tinha 1 ano e 9 meses, já falava tudo e , de repente… ficou gago ! A orientação do pediatra, na época, há 41 anos atrás , foi: ” Pai, você vai ‘esquecer’ o bebê, pelo menos na frente do mais velho, e vai dar o máximo de atenção que conseguir pra ele ! ” .

E, assim foi… como a mãe sempre é mais exigida pelo bebê, eu acho que o conselho foi sábio! Meu sogro saía para passear com ele, brincava… e , em dois meses, a sua gagueira estava curada ! E , hoje eu posso dizer que são ” Big Brothers “: amigos , e , que se amam pra valer !

Comigo e com as minhas irmãs, minha mãe conta que , nunca rolou nada muito escancarado, nem que precisasse de alguma intervenção.Ela conta que , quando a sua barriga estava grande, já perto da minha irmã do meio nascer, eu ,do alto dos meus 3 anos,cheguei pra ela e disse: ” O seu coração também está crescido assim, mamãe?” , e ela , rápida no gatilho respondeu : “Isso mesmo ! Como você sabe ? Está dando prá ver? ” , e eu :” Não , mais é que pra caber o amor por mais uma filhinha, ele tem que crescer bastante , igual á barriga, não é ? ” Pronto! Eu mesma tratei logo de achar uma solução! Se a barriga crescia para comportar o bebê, por que o coração não poderia crescer também ?!! rsrs

Bom, experiências individuais á parte… fiquei pensando em tudo o que li, e como tenho agido com as minhas crianças.

Aqui em casa, também não rola nada muito notável … As crianças não me deram grandes demonstrações de ciúmes , umas das outras.

Quando a minha segunda filha nasceu, o Pedro tinha 2 a e 9 meses, uma fase difícil! Ele teve uns momentos meio “fora da casinha” , de chorar muito , sem motivo, tipo crises de birra , umas 2 vezes. Tratamos os episódios com paciência, e sem valorizar muito … e passou !A Maria Beatriz nasceu em julho de 2009, foi quando chegou prá valer por aqui a gripe A , lembra ? Isso foi bom e ruim… O pediatra me orientou para não mandar o Pedro para a escola por uns 40 dias, ou até que se soubesse a extensão e o impacto daquela doença nas nossas crianças, e também proibiu visitas ! Então, comadre, ficamos eu e as duas crianças de quarentena, viu ? rsrs Um frio  danado que não dava nem pra ir no quintal tomar um solzinho ! Tomávamos sol dentro de casa !!

E, antes da minha caçula nascer, eu senti que eles estavam ansiosos… meio que sem saber como seria . Principalmente porque eu ficaria no hospital… Mas, depois que a bebê nasceu, não percebi nada diferente neles ! E olha que, ela nasceu dia 18/06… e dez dias depois , os dois entraram em férias !!! rsrs  E lá ficamos nós 4, curtindo mais uma quarentena !! kkkkkk

Algumas dicas do que fiz, (ou tentei fazer) que podem ter funcionado :

  • Tente começar a formar os laços entre os irmãos desde a gravidez ! Leve o maior junto nos U.Sons, ensina ele a conversar com o bebê ! Diga a ele o quanto o bebê se mexe quando escuta a sua voz !( no meu caso isso era a pura verdade ! Minhas meninas quase pulavam pra fora da barriga quando os irmãos conversavam com elas).
  • não colocar o maior na escola logo que o bebê nascer! Ou tenta por um bom tempo antes, ou é melhor esperar um pouco mais.
  • Não tirar nada do maior , para passar para o menor : o berço, o carrinho, o quarto… Claro que hoje em dia , tudo que conseguirmos reaproveitar, o nosso bolso e a  natureza agradecem, não é mesmo ? rsrs Mas tem que ter tato ! Ao invés de fazer um quarto novo pro bebê, que tal fazer um novo para o maior ? Com um tema já diferente, com uma caminha… Tenta ter bastante sensibilidade e jogo de cintura !
  • Se for uma roupinha que era do maior, mostre uma foto pra ele , dele vestido com a roupa! Elogie ! “olha que fofura você, com a roupinha também ! Parece que beleza aqui é um mal da família !! Por isso que o bebê é tão lindo ! Se parece tanto com você! “…
  • Preste atenção no seu filho mais velho: ele vai expressar seus medos, suas inseguranças… vai contando histórias verdadeiras para ele, de irmãos … das aventuras, das artes. Ou compre livrinhos que tratem do assunto, crianças mais novinhas, ás vezes, não conseguem verbalizar o que estão sentindo, e, com as histórias e conversas sobre outras pessoas, elas vão trazendo para si as experiências…
  • Pense que a casa é de todo mundo, então, evite ficar exigindo silêncio o tempo todo, conversas sussurrando, penumbra … combine os horários com o maior. E,normalmente, os bebês que tem irmãozinhos maiores não costumam ser muito sensíveis a barulho !! rsrs
  • Deixe o maior interagir com o pequeno ! Não trate o bebê como se fosse de cristal ! Deixe que o maior pegue , toque, converse…
  • Inclua o maior na rotina de cuidados do bebê ! Peça ajuda para pegar uma fralda, ou para distrair o bebê enquanto você troca sua roupa.( tudo bem, eles mais atrapalham do que ajudam, eu sei ! rsrs mas faz parte !)
  • Deixe que o irmão ajude no banho, penteie o cabelinho, coloque a meia…
  • Mostre fotos de quando o maior era bebê, fotos dele mamando, tomando banho…
  • Conte como ele era! Se chorava muito, se era dorminhoco, guloso…Eles adoram !
  • Mostre os vídeos do seu nascimento, diga a ele como ele foi esperado!
  • Demonstre todo o seu amor por ele, e repita que amor não tem limite ! Que você o ama, ama o papai , ama seus familiares, ama seus amigos… Que conseguimos amar várias pessoas … sem tirar nada das outras !
  • Explique e converse com  o maior, que agora, você vai ter que atender a ele e ao bebê , então, que talvez, em alguns momentos, ele vai precisar ter um pouquinho de paciência… Que você se sentiria muito feliz se pudesse contar com ele nesse momento !
  • Contar com a ajuda de alguém, nesse momento, pode fazer toda a diferença ! Assim, você consegue se desdobrar mais com o mais velho. Minha mãe e meu marido foram fundamentais nesse período!
  • Explique a importância da amamentação para o bebê . Que ele foi amamentado também !Mostre fotos !
  • Leve junto nas vacinas, ele se sensibilizará com a dor do bebê , e colabora melhor depois.
  • Explique para ele que é normal sentirmos raiva, ciúmes… Mas que , se agente não tomar cuidado, esses sentimentos tomam conta do nosso coração ! O melhor jeito de deixar eles saírem , é conversando , falando sobre eles ! Que eles não precisam se sentir culpados, por sentirem essas coisas ! Isso traz muita angústia !
  • Evite comparações , boas ou ruins.
  • Quando chegarem as visitas, deixe o bebê, vá com o maior atender a porta ! As visitas ás vezes não têm muito tato com os maiores… eles aparecendo primeiro que o bebê, te dá a chance de chamar a atenção da  visita para o maior: conte  como ele está te ajudando, como o bebê adora quando o irmão está por perto … coisas assim.
  • Deixe em casa um estoque de “brinquedinhos baratinhos ” que o maior goste, como adesivos, tatuagens, massinha, embalados para presente… quando a visita não trouxer nada para o maior, dê as suas lembrancinhas, como se fossem presentes para ele ! Se a visita ficar constrangida, se explique depois… o importante é preservar seu filhote !
  • Não deixe de ir á festinhas escolares, ou outros eventos importantes para o maior… Dá um jeito ! rsrs

E, por fim comadre… se você teve a felicidade de ter irmãos na sua vida, divida com seu filho o que seus irmãos representaram na sua infância, o que fizeram juntos, e, o que representam hoje para você… para a sua vida!

Aqui nesse post, eu te conto o que eu respondi para o Pedro quando ele me perguntou ” Por quê você quer outro filho?”….

Vai dar tudo certo ! Cada criança é uma … cada uma reage diferente… mas , se você conseguir se manter sempre muito próxima emocionalmente de cada uma, a sua sensibilidade e jogo de cintura maternos vão te ajudar a tomar as atitudes certas !

Me conta ! Você já passou por isso ?

Como foi ? Tem alguma dica ?

Estou esperando !!

Bjos e atétags coração

O Medo nas Crianças – Como lidar com ele ?

Blond Boy Crying

Oi comadre !

Quando a criança chega a idade dos 3 anos ( um pouco menos , um pouco mais… depende da criança ) , ela começa a manifestar seus medos : medo do escuro, medo de alguns  barulhos , medo do lobo mau, da bruxa … enfim…

O que é o medo afinal ? Por que ele existe ?

Como lidar com ele , e ajudar nossos filhos a se desenvolverem de forma saudável ?

Isso, prá mim, na minha história de mãe do Pedro, sempre esteve muito presente… e de uma forma em que eu me sentia MUITO culpada ! Então , resolvi agir! rsrs

Com a M.Beatriz, o “medo” não se materializou tanto, nem a angustia… o processo vem sendo bem mais tranquilo.

E , a Nina, ainda não chegou lá ! Vamos esperar…

Fiz um vídeo, contando algumas histórias do Pedro, algumas conversas com psicólogas, e , alguns truques e recursos de uma mãe culpada e bem intencionada … !!!

Vem ver !

 

Você tem alguma história de como lidou com os medos dos seus filhos ?

Alguma dica preciosa ?

Conta prá gente, vai !!

 

Bjos e até tags coração