A Arte de Viver

arte-de -viver 

Com o dia das crianças se aproximando, comadre, fiquei pensando nelas, do que representam no mundo, no papel que representam nas  nossas vidas e o que têm a nos ensinar… E, se tem um assunto em que os nossos pimpolhos são craques, é na “Arte de Viver “!!

Já reparou , comadre?

  • como eles valorizam o que tem realmente valor

 

  • Como sentem com verdade e intensidade

 

  • Como sonham grande

 

  • O encantamento que demonstram diante de cada novidade, de cada coisa simples que observam

 

  • Como são solidárias e generosas

 

  • Como conversam olhando nos olhos

 

  • Como têm um  excelente senso de justiça

 

  • Como ou gostam ou não gostam com muita certeza

 

  • Como não se preocupam demais com o amanhã

 

  • Como lidam com o tempo a seu favor

 

  •  Como priorizam o que mais lhes agrada

 

  • Como são diretas e objetivas

 

  • Como são sinceras

 

  • Como são puras

 

  • Como suas risadas vem da alma

 

  • Como explicam  com simplicidade questões tão complicadas  como o espaço, como o universo

 

  • Como lidam muito melhor que nós com a morte

 

  • Como trazem em sim , tão naturalmente, a espiritualidade

 

  • Como amam desinteressadamente

 

  • Como enchem o mundo que os cerca com sua luz !

 

Pobre de nós , que ainda achamos que temos alguma coisa para ensinar a elas!!!

Aproveite cada minuto com seu filho, comadre!!

 

Veja esse vídeo …

A moça explica que eles vão fazer umas fotos, e , que o fotógrafo se atrasou. E, enquanto ela vai buscá-lo , eles podem ir almoçando…

Em que momento perdemos isso ?

Bjos e até  tags coração

 

 

Esse artigo “A Arte de Viver “foi originalmente escrito pelo blog “Mães Comadres”

Babá ou Berçário?

baba-bercario

Hoje resolvi dividir com vocês uma das experiências mais dolorosas que eu passei como mãe : voltar a trabalhar depois que o Pedro nasceu!

Na época, eu trabalhava no PSF (Programa Saúde da Família), num posto de saúde aqui da cidade, carga horária de 40 h /semanais , e um salário que, na época, não dava para dispensar…

Antes do Pedro nascer, não tínhamos funcionária aqui em casa, só uma faxineira, 2 vezes na semana. Quando cheguei ao final da gestação, procurei e contratei uma pessoa, já contando que , um dia, precisasse dela para me ajudar a cuidar dele.No dia em que o Pedro nasceu, a Tânia já estava trabalhando aqui.

Vivi a minha licença maternidade intensamente, um momento “sabático” para mim!! Eu só cuidava dele!! Amamentava, dava banho, trocava, e quando saía, lá ia ele junto!( Pedro sempre foi uma criança fácil).

Então o tempo foi passando e começou aquele frio na barriga…está chegando a hora de voltar…

Aproveitei uma consulta com o pediatra para conversar a respeito do assunto com ele, me aconselhar… E então recebi , sem esperar a orientação que norteia a minha conduta de mãe até hoje!!!Esse Dr. Francisco…!!!

Contei pra ele que voltaria a trabalhar daí há um mês, e que estava na dúvida, se contratava uma babá pra ficar com o Pedro em casa, ou se punha ele num berçário de manhã,( pois ,á tarde, eu chegava em casa ás 16:30 h, pois entrava ás 7 :00h , e fazia só 1:30 de almoço…) “”

Agora, anota aí a resposta dele 🙁 rsrsrs)  “- Lígia, para a criança de 4 meses, tanto faz a babá ou a escolinha, o que importa é que ela vai ser separada da mãe, o que, idealmente não deveria acontecer antes de 1 ano…(senti um soco no estômago, e engoli o choro)!Desde que você conheça e confie na escolinha , ou na babá, e saiba que ele vai ser bem cuidado e atendido , a escolha é sua!! ( socorro!! cadê as leis desse país, onde ainda os 6 meses são opcionais para o empregador? e um ano então? )  Mas, se eu puder te dar um conselho… Tome a sua decisão, faça a sua escolha e levante a cabeça!! Não se sinta culpada, porque a culpa é  uma péssima conselheira na hora de se educar um filho!Não é porque você passou o dia todo longe dele, que não vai colocar limites, corrigir… E, não caia em tentação de tentar “comprar” a sua ausência com presentes e “coisas” fora de contexto!! Isso sim pode trazer danos ao Pedro!”  … POW!! KABUMMM!!

Quando consegui acordar , e sair dos escombros que sobraram de mim…Me agarrei nessa conversa, e decidi: de manhã -escolinha, á tarde-Tânia.

E, depois de andar um pouco , e ligar a “rádio comadre”, escolhi um berçário pequeno, com bastante indicações , onde sabia que ele ficaria bem. A Tânia também foi sensacional, e ficou conosco por 5 anos!E, contratamos uma faxineira 2 vezes por semana, para ajudá-la com a casa, já que as tardes eram do nosso príncipe.

Eu sobrevivi!! E ele também! Mas… não foi fácil, viu comadre? Eu ia trabalhar chorando todos os dias, por uns 2 meses, e o meu peito vazava tanto leite no trajeto até o trabalho, que o absorvente de seio não dava conta! Eu já levava uma troca de roupa…

Mas decidi: com o próximo (ou próxima) será diferente!! Não estou mais disposta a passar por isso!!E ,assim foi…

Mas essa já é uma outra história!!

Hoje eu sei que valeu á pena! Leia mais aqui

Coragem!! Siga em frente,e respeite seus limites e prioridades!!

Já passou por alguma experiência parecida? Ou diferente?Como foi a sua volta ao trabalho?

Me conta!!

Bjos e até tags coração

 

Animais de Estimação x Crianças -Sim ou Não ?

awebic-criancas-animais-6Oi Comadre! Hoje eu queria conversar com vocês sobre um assunto que, está em pauta aqui em casa desde que o Pedro nasceu : Animais de Estimação. Tínhamos 2 gatos, na época: o Vítor, com 10 anos, e a Bia com 3 nos. Hoje , o Vítor já se foi, e temos a Bia, com 11 anos, o Jerry e a Aurora, (dois peixes beta), um visitante eventual – o Chiquinho- um pintinho que virou um franguinho e se mudou para um sítio… e agora, a Piquita, minha filha, que se auto denomina  a”rainha dos animais” (kkkkkk), quer um cachorrinho!! Socorro!! Será que eu vou dar conta de tanta gente? rsrsrs

IMG_0349

Piquita com a Bia

Imagem 172

Esse era o Vítor

Estou tentando ganhar um tempo, só pra Nina andar e correr bem firminha… aí, não terei mais como escapar!!!

Mas, voltando ao nascimento do Pedro… Algumas pessoas próximas perguntavam: “Nossa! E agora, o que vocês vão fazer com os gatos?” … Oi? Como assim? Eu me limitava a dar um sorriso torto… e o meu marido já mandava na lata :” Jogar eles na rua é que não dá, né?”

Pra nossa sorte, sempre tive ao meu lados médicos bem informados , competentes e norteados pelo bom senso!!

Fui orientada pelo Dr.Francisco (o obstetra), na gestação, a fazer alguns exames específicos em mim e nos gatinhos. Quando o Pedro nasceu, o Dr.Francisco ( o Pediatra) só me disse o seguinte: “Imagino que seus bichinhos sejam bem cuidados, saudáveis e com as vacinas em dia… Só tenha bom senso, principalmente nesse comecinho, não deixe ter um contato muito íntimo.” O que seria da minha vida sem esses dois Franciscos? rsrsrs

E assim seguimos adiante! Mas , nos deparamos com outra encruzilhada : a bronquite do Pedro. E lá vem a culpa ,o medo, as dúvidas e o Dr. Francisco !! ” Lígia, você poder sofrer, se desfazer dos seus bichinhos e nada, nenhuma melhora acontecer! Tire isso da cabeça!”UFA!!!

E li, pesquisei bastante. Mesmo hoje, para escrever esse post para vocês, eu gostaria de colocar opiniões favoráveis e contrárias, por que acho que traz melhor a reflexão, e, também porque, não me considero dona da verdade.Mas… não consegui achar opiniõe técnicas contrárias!!Juro!Só benefícios, do convívio das crianças com os Pets!

rp_IMG_1260-225x30011.jpg

Piquita e o Chiquinho

Então vamos a eles:

  • O ANIMAL ESTIMULA OS SENTIDOS

Olfato, visão e audição são provocados pelos sons, cheiros e movimentos dos bichos.

  • DESENVOLVE A COORDENAÇÃO MOTORA

O bebê exercita a coordenação motora fina ao ter de controlar sua força para acariciar um cachorro, um gato, um coelho. Treina a marcha ao engatinhar ou tentar andar (por vezes, correr) atrás do animal.

  • OS PETS SÃO ÓTIMOS ALIADOS CONTRA O STRESS

Cientistas norte-americanos realizaram estudos nesse sentido e constataram que os donos dos bichos que participaram do estudo tinham a frequência cardíaca e a pressão arterial significativamente mais baixa se comparados com aqueles que não tinham um animal de estimação.

  • ENSINAM A CRIANÇA A EXERCER SUA AUTORIDADE

O mascote, sobretudo o cachorro, faz ainda com que a criança exercite sua autoridade num mundo de “adultos-juízes”, que arbitram sobre a vida dela o tempo todo. “Com o animal, ela terá a oportunidade de ser o juiz, mandar e desmandar. Além disso, expõe para a criança o significado de preservação à vida e de limite à dor”, diz a pediatra Sandra Oliveira Campos.

  • TRAZ BEM ESTAR E TREINA AFETIVIDADE

Cachorros, gatos, passarinhos, peixes, ratos e até ursos são figuras constantes no universo dos pequenos. Estão no abajur do quarto, no border do papel de parede. São heróis em filmes e em livros infantis. Essa relação é fomentada, criada, incentivada porque, acima de tudo, traz bem-estar. Estudos mostram que o contato com animais ativa áreas do cérebro relacionadas com as emoções. Não é por outro motivo senão a sensação de bem-estar, físico e mental, que terapeutas lançaram mão da terapia com animais para tratar crianças hospitalizadas ou com deficiências mentais. “É um excelente treino para a afetividade”, diz Sandra.

  • DESENVOLVE O SENSO DE RESPONSABILIDADE NA CRIANÇA

A psicóloga Natércia Tiba, especializada em crianças e adolescentes, afirma que o convívio com animais é muito saudável porque ajuda no processo de desenvolvimento da criança. “Ela irá exercitar o senso de responsabilidade. Além disso, passará a trabalhar seus sentimentos como a auto-estima, a alegria, a tristeza, a frustração, a tolerância e a compreensão”, afirma a psicóloga.

  • FAZ COMPANHIA PARA AS CRIANÇAS

Nos casos em que os pais trabalham e os pequenos ficam muito sozinhos, o bicho de estimação faz companhia e estimula o desenvolvimento afetivo. O animal também ocupa um lugar de destaque na casa onde há irmãos que brigam muito: o bichinho torna-se o foco de atenção e proporciona um relacionamento mais saudável entre as crianças.

  • INSPIRA O AMOR E O CUIDADO

A decisão de levar para casa um cachorro, um gato, um papagaio, um periquito ou qualquer que seja a espécie do bichinho deve ser tomada pelo amor que ele inspira. “O animal nunca deve ser tratado como um brinquedo. Aquele que serve para algumas horas e depois é largado pelos cantos“, alerta Natércia. A psicóloga aponta que nem tudo será um mar de rosas na convivência com o animal, mas os pais devem usar justamente estes momentos para a educação dos filhos.

Veja mais: http://www.revistacrescer.globo.com/

http://www.pediatriaemfoco.com.br/

Tomou coragem? Ou tranquilizou seu coração?

Conte suas experiências! Mande fotos!

Bjos e até  tags coração

 

 

Mamães Virtuais Superpoderosas

amigas computadormae computador2Comadres,quantas vezes você já ouviu da sua mãe, da sua sogra, a seguinte frase numa hora de dúvida ou de apuro com seu bebê: “Ai, filha, eu nem sei como te ajudar, hoje em dia é tudo tão diferente!! No meu tempo não era assim!!”.E essa foi uma das minhas motivações para escrever esse blog pra você… Deve ter mudado muito mesmo!! As orientações, as informações que hoje são infinitas, a forma de encarar a amamentação, a maternidade, o papel do pai….E, pensando bem, ainda bem, não é?

Antigamente(no meu tempo!! kkkkk), as mulheres ficavam restritas as (poucas e técnicas) informações que os médicos passavam, ás informações que passavam de mães para filhas, ás comadres e vizinhas, e ,mesmo assim… nem sempre a coisa dava certo!

E, hoje, com a maravilha do mundo virtual, trocamos idéias a nível mundial!! Eu acompanho alguns blogs de mamães da Nova Zelândia, dos EUA, de Lima -Peru,Porugal, entre outros, e isso é rico demais!!Se formos pensar, tiradas as diferenças culturais, mãe é mãe , e filho é filho em qualquer lugar do mundo!!

E, é para esse mundo sem fronteiras que temos que preparar nossos filhotes! Então, nada melhor do que essa infinita rede de troca de idéias, dicas e informações, para nos dar suporte! Quanto mais histórias escutarmos, quanto mais dicas e produtos conhecermos, quanto mais informações tivermos sobre educação e comportamento… mais preparadas estaremos para essa batalha de criar filhos saudáveis, e seres humanos completos!

Existem muitas diferenças, mas muitas semelhanças também! E muito para aprendermos e muito para ensinarmos!!Não só em se tratando de chupetas, mamadeiras, refluxos e alergias…mas de gente também!

Se pensarmos bem, e, conseguíssemos criar nossos filhos conhecendo e respeitando as diferenças, sejam elas culturais, raciais, religiosas,sociais… imaginem só como eles seriam seres humanos melhores! Quantas guerras e barbaridades foram , e são cometidas até hoje, em nome das diferenças!! Já pensou nisso? “Era uma vez um menino austríaco chamado Adolf  Hitler . Ele adorava soltar pipas e sonhava em ser artista, e entrar para a Academia de Belas Artes de Viena. Seu melhor amigo, Jacob, também de origem humilde, sonhava em ser um relojoeiro famoso. Passavam suas tardes frias, imaginando como estariam dali a 20 anos, e fazendo planos ambiciosos. As famílias, que eram amigas, sempre que podiam, se reuniam para almoços de domingo, e passeios pelos campos na primavera.Chegaram á vida adulta, e devido á crise mundial de 1929, tiveram que se mudar, em busca de emprego, para a Alemanha. Cada um batalhando pela sua sobrevivência e de sua família,numa vida dura e sofrida… Tão diferente daquela que sonhavam! Seus filhos agora eram amigos,e, os pais, sempre que conseguiam, se encontravam para dividir suas dores, e recordar suas histórias daquelas  frias tardes em Viena…” Bem que poderia ter sido assim, não é mesmo, comadre? Ou , poderíamos trocar os nomes por  “Osama Bin Laden e John”…  Quantas mortes não poderiam ter sido evitadas!

Somos , comadres, um grande exército de mães, formando seres humanos tão diferentes entre si, mas tão iguais em sua natureza e necessidades!!

Temos , em nossas mãos, o maior poder de transformação desse mundo!! Somos nós que formamos os seres humanos que aí estão,e que amanhã serão os políticos, os médicos, os professores, os engenheiros, os artistas, os religiosos…

Entre comigo nessa luta, comadre!! Filhos melhores, por um mundo melhor!!

frase Ghandi

Bjos e até tags coração

O difícil Período das Birras dos 2 Anos (terrible two)!!

birra

Aos 2 anos, em média, começa o difícil período das birras …Comadres, vou contar a minha experiência e fazer uma análise sincera e de coração aberto para dizer onde acho que acertei e onde acho que errei. Aproveite!

Se preferir assistir ao vídeo :

 

A Maria Beatriz, minha filha do meio era uma bebê grande, linda , saudável, esfomeada. Sorridente , esperta, bagunceira… mas já demonstrava um temperamento forte! A minha avó costumava dizer, ” o espinho já nasce com a ponta”!!rsrsrs  Ela chorava bastante, desde de que nasceu, era muito sensível a barulho, modificações na rotina, e quando chegava a hora de dormir… só dormia no berço, e depois na cama DELA! Isso é bom? É ótimo por um lado , mas… se tínhamos um aniversário, um jantarzinho em casa de amigos, um programinha qualquer… a bichinha azedava geral!! Ficava brava, irritada e abria um berreiro que só parava quando dormia, em casa e na sua cama!

Quando chegou o temido período dos 2 anos e meio, a coisa começou a ficar feia… Não tinha um dia em que ela não desse um show!!

Não tinha uma vez que saíssemos  de casa, que ela não entrava nessa crise!

Se jogava no chão, chorava, berrava, gritava como se estivesse levando uma surra!! E o que desencadeava essas crises? Qualquer coisa!! Muitas vezes eu nem consegui descobrir!!E , normalmente ela só parava quando , exausta, dormia!!

Meu Deus do céu, como eu sofri!!Prá mim era muito dolorido e frustrante vê-la daquele jeito!! E não havia nada que eu , ou qualquer pessoa fizéssemos, que resolvia a situação.Resolvi ligar a rádio comadre, e perguntar pras minhas amigas com filhos como elas lidaram com essa situação , já que , com o Pedro eu NUNCA vi nada parecido!! Não sei se por dó, ou , sinceramente elas falavam:é uma fase! Vai passar!Tenha calma e paciência! Minha mãe dizia que também nunca havia passado por isso com nó três…

Então , resolvi marcar uma consulta com meu Pediatra , para uma conversa franca. Eu precisava de ajuda! Eu precisava ajudar a minha filha! E não fazia a menor idéia do que fazer…Contei tudo para ele, e ele pacientemente me ouviu, no final perguntou: e na escola ,como ela é? E eu respondi: -Um doce!! A “tia”Maristela a chama de minha florzinha!!” Ela é uma graça, meiga e educada! Todos os amiguinhos adoram a Bibi!” E ele- Então a história é com você , Lígia.- Pronto! Agora mais essa! E o que eu faço?  e ele: Tente descobrir o que desencadeia as crises( fome, sono, contrariedade) e aja antes, porque durante ela não vai te ouvir! Ignore! Cuide para que ela não se machuque e dê a ela um bom chá de pouco caso!” Pedi para fazer um eletro nela, e ele: ” Podemos fazer sim, se isso te deixa mais tranquila, mas é comportamental. Essa menina não tem nada mais sério!”

Saí de lá mais perdida do que entrei, então a culpa é minha? Calma , Lígia, ninguém falou em culpa!! E como fazer ? vou simplesmente ceder sempre ás vontades dela, só para não passarmos por isso? Não , também não foi isso que ele falou. Ele falou para tentar controlar e intervir nas causas ANTES, ou seja,se perceber que ela está com sono ou cansada, ponha para dormir! Não deixe a fome chegar! E, quando uma crise começar… simplesmente ignore!! ( Esse diálogo eu tive comigo mesma, tá? rsrs).

Decidi dar mais um tempo … E a situação só piorou !! Não tinha uma vez em que saíssemos de casa, que não passávamos por situações de stress, vergonha ou constrangimento !!

Resolvi voltar ao pediatra , e pedi para fazer um “eletro”… a impressão que eu tinha é que ela tinha “surtos”!! Como se saísse completamente de si , de quem ela era de verdade… e isso me assustava demais . O pediatra deu uma risadinha, e, me disse que , como não era um exame de risco, invasivo, em que a Bibi não sofreria para fazer, ele ia me passar o pedido  para fazer o exame, apesar de achar totalmente desnecessário… Fiz o exame, e … adivinha só: tudo normal!! Ainda bem , claro ! Mas , e agora ? O que fazer ? Eu me  sentia cada dia mais perdida !!

Resolvi buscar orientação com uma psicóloga , que me deu algumas orientações e explicações adicionais: que nessa fase, a criança passa por um desenvolvimento cerebral muito abrupto, e que isso interfere em processos intelectuais importantes para a criança. E, que , nessa fase também , a criança descobre que tem mais autonomia em suas vontades, em explorar o mundo , e em se comunicar verbalmente… e percebe  , que consegue interferir na reação das pessoas que a cercam e no mundo ao seu redor, de acordo com as suas reações !!

Então , resumindo… ela descobre que o mundo tem limites, e começa a testar formas de desafiá-los, assim como as regras e condutas sociais !! Então , mamãe , não se deixe levar por esses ataques , para ceder á todas as vontades da criança!! é o momento de negociar, sempre que possível, mas mostrar que, independente de choros e gritos, existem regras e limites que devem ser respeitados. Sempre com calma ( meu Deus, essa parte é difícil, heim !)  mas com firmeza. E , não adianta conversar ou negociar, depois que a crise começou … Espere a crise passar , e aí sim converse sobre o que aconteceu.

E assim começamos uma nova etapa… as crise continuaram , foram se espaçando,  não eram  mais diárias… Já conseguíamos passear algumas vezes sem ter um shopping inteiro olhando pra gente, num misto de dó, raiva e faz alguma coisa…

Descobri que se a deixasse em seu quarto, como não tinha mais a platéia, a crise durava menos tempo, eu não me sentia tentada a argumentar com ela,ou ameaçá-la com castigos e tapas na bunda que nunca vieram ,e, acho que ela via a sua caminha cheia de almofadas,fofinha, e deitava logo pra descansar.

Foi um período muito difícil!! Meu marido sempre me apoiou, e deixava por minha conta. O Pedro , tadinho, arregalava os olhos e tapava os ouvidos… a gata desaparecia!! E eu, muitas vezes me fechava no meu quarto e chorava… de tristeza, de raiva , de cansaço… Cheguei a desistir de ter mais um filho!! Mas… passou!!! E , aí está a Nina,minha caçula, para provar que ninguém saiu traumatizado dessa história!

E hoje, todos os parentes e amigos mais próximos dizem:” nossa!! nem parece a mesma criança!!” E, eu , meio sem graça, concordo, e, intimamente sei que tudo que passamos valeu á pena…  agradeço todos os dias a oportunidade de tê- la na minha vida!!

Quer saber mais , leia aqui :http://www.marisapsicologa.com.br/crise-dos-dois-anos-de-idade.html

E nesse post , eu converso sobre os limites, porque é tão difícil, e tão necessário que a gente estabeleça!

E nesse aqui, eu te conto mais uma história da minha doce Bibi , e suas armas ! rsrs

Que venha o “TERRIBLE TWO” da Nina!! Que aliás… já está começando … socoorrooo !!

Como foi aí com você ? Seu filhote já está nessa fase ? Como você lida com ele ?

O que você fez que deu certo? Recebeu alguma orientação  que te ajudou? Deixa seu comentário aqui embaixo !

Divide comigo e com as comadres!

Curta a nossa fanpage , lá no facebook!

Se Inscreve no nosso canal do Youtube ! Toda Semana eu posto novidades para te ajudar a se tornar uma mamãe de alta performance ! Você , na sua melhor versão !

A gente se vê!

Bjo e atétags coração

É …eles estão crescendo!!

happy childrenMais um pé de chinelo arrebentado…Mamãaaeee, preciso de mais um chinelo!!!O meu arrebentou na aula de  inglês!! (oi? o que você faz lá?).

Vamos lá! Cheguei em casa feliz por ter encontrado um par de chinelos preto e amarelo , que são suas cores preferidas, então veio o choque: este não serviu, mamãe!! Gente , o meu menino está calçando 33!!! Eu , do alto do meu 1,63m calço 34!!!!Socorro!!

Na mesma noite, fui escovar os dentinhos da M.Beatriz e … o primeiro dentinho está amolecendo!!!! Já já ela estará com a sua primeira janelinha!!

Após o ritual, estórias, beijos e últimas conversinhas, fui pra cama, mas não consegui dormir… fiquei pensando: eles estão crescendo, e agora? Socorro!! Será que eu estou preparada? Será que estou fazendo um bom trabalho? Será que serão felizes? será que farão boas escolhas…

Então , resolvi : o que eu posso fazer é HOJE, porque , como dizia minha avó, o futuro a Deus pertence!!

E, tomei algumas decisões:

Vou passar o maior tempo possível com eles.

Vou dar todos os beijos e broncas que eu tiver vontade.

Vou ouvir com atenção todas as estórias mirabolantes e nonsense.

Vou sentar no chão , brincar do que inventarem, enquanto ainda me quiserem por perto.

Vou enxugar todas as lágrimas, beijar todos os dodóis e espantar todos os lobos e zumbis da madrugada.

Vou guardar todos os dentes que caírem, anotar todas as pérolas que sairem.

Vou dar risada com eles até a barriga doer, mesmo que o motivo das risadas seja eu mesma.

Vou atrás de todas as luas gigantes, luas vermelhas e estrelas cadentes que tiverem interesse em ver.

Vou assistir a todos os transformers, tartarugas ninja, thinker bell e cocoricós que eu conseguir acompanhá-los.

Vou varrer a cidade toda atrás de pintinhos, ajudar a fazer casinhas e caminhas para tatus bolinha e centopéias.

Vou fazer guerra de água de mangueira, de bolinhas plasticas e competição de pulos bomba na piscina até eu não conseguir mais.

Vou tirar semanas de férias sempre junto com eles, para podermos, sem pressa, cumprir o itinerário escolhido, recheado de pic nics, passeios no bosque, idas a zoológicos e aventuras na cozinha, acampamentos na sala…

Vou orientar sem desistir, falar até me cansar.

Vou chorar todas as  dores , pintar com eles todas as cores

Mas vou viver de forma inteira e completa essa missão , assim, quando chegar a hora de baterem suas asas, traçarem seus destinos, sempre teremos um lugar para revivermos tudo isso sempre que quisermos… nossos corações.

Estou chorando, acredita?

Bjos e atétags coração