7 Dicas Top para as Futuras e Recém-Mamães

7-dicas-para-futuras-e-recém-mamães

Oi minha amiga, tudo bem?

Quando a gente está grávida, ouve muitas informações, histórias, e ficamos ali, tentando imaginar como vai ser quando ” a nossa hora chegar”…

Ao mesmo tempo, vamos criando expectativas (tá, algumas surreais), vamos tentando ligar uma informação na outra e tentando encontrar a nossa maternidade ou, o nosso papel nisso tudo!

Muitas vezes, depois que tive meus bebês, principalmente o primeiro,  fiquei pensando:” Como eu gostaria de saber disso tudo ANTES!” ou então : “Por quê NUNCA me contaram isso?” Sabe quando você se sente enganada? Pois é…

Eu me senti assim! E hoje eu te trouxe aqui essas “coisas” que eu gostaria que alguém tivesse me contado.

Pronta? Ah ! Preciso de dar um alerta: Se você ainda está naquela fase de acreditar na maternidade dos comerciais de margarina, ou na maternidade perfeita, exibida nas redes sociais, com mamães arrumadas, glamourosas e descansadas… bebês gordinhos, sorridentes e impecavelmente limpinhos… Talvez seja melhor parar por aqui e não continuar  lendo esse artigo: ele pode ser um duro golpe para você.

Agora se você acredita que a maternidade pode ser construída, dia após dia, com informações de qualidade, respeitando quem você é, a sua personalidade e as necessidades do seu bebê, então vamos lá 😉

Antes, deixa eu te contar uma história?

Quando o Pedro, meu 1° filho nasceu , eu já tinha lido muito MUITO MESMO… Conversado com a minha mãe, minhas tias, tias-avós, amigas e comadres e, achava que estava pronta para a maternidade afinal, tinha me informado tanto!!

Mal sabia eu que a forma que eu me preparei, as informações para as quais dei mais importância, não eram as mais importantes!E, infelizmente não me dediquei a construir DE FATO a minha maternidade!!

E o pior, esse caminho que, sem querer, sem imaginar, eu trilhei nos 2 primeiros meses de vida do Pedro, me levou á frustração, a tristeza e … por muito pouco, não pus tudo a perder!

Não tive o parto que sonhei e imaginei… Depois a amamentação se mostrou um desafio enorme! Muita dor, muita entrega e dedicação e, um bebê que se mostrava mais interessado em dormir do que em mamar…

A vida de todo mundo foi aos poucos voltando ao normal: meu marido voltou a trabalhar depois de 1 semana, minha mãe que na época morava a 900 Km de mim, depois de 15 dias voltou para a sua casa, voltou para a sua vida!E então me vi ali… sozinha, num corpo que eu não reconhecia como meu, de cabelo preso, cheirinho de leite e meu bebê nos braços 100% do tempo! Um amor que não cabia em mim, que chegava a me sufocar em alguns momentos.

Mas também me sentia incrivelmente sozinha e perdida, como nunca tinha me sentido antes! Nada do que eu “sabia” conseguia me ajudar naqueles momentos.

Até que numa tarde quente de novembro, o Pedro que costumava ser um bebê calmo, chorou, chorou, chorou… como nunca tinha chorado e eu tentei tudo o que imaginei e NADA ! Não conseguia acalmá-lo! Até que no desespero, entrei com ele embaixo do chuveiro, e choramos juntos… e ficamos assim por nem sei quanto tempo.

Até que ele se acalmou e dormiu. E eu ali, naquele momento muito difícil, me senti “um lixo” de mãe! E então, tomei a minha decisão! Não é possível que a maternidade com a qual eu tanto sonhei, tinha que ser assim? O que estava errado? O que estava faltando? E entendi…

Entendi que, aprender a dar o banho, segurar o bebê, trocar uma fralda, por para arrotar… isso tudo mais dia ou menos dia, eu acabaria aprendendo!!

Aquela montanha de informações estavam me angustiando, me oprimindo! Eu ficava tentando encaixar meu bebê e a minha maternidade naquelas “regras”, técnicas  e informações …E isso é uma cilada! Eu precisava virar a mesa e o jogo todo e então, enfim, descobrir o MEU caminho na maternidade!

E descobri um novo caminho, encontrei muitas respostas e, percebi o grande mal que as expectativas muito elevadas e o radicalismo podem causar na vida das Recém-Mamães e dos seus bebês.

E as dicas que vou te dar aqui AGORA é para que você não precise passar por tudo isso que passei, combinado?

Bora para as dicas então:

1- Se conecte com o seu passado: TODA mulher, ao se tornar mãe, entra em contato íntimo com o momento da sua primeira infância, do tipo de cuidado e acolhimento que recebeu lá atrás ( querendo ou não, sabendo disso ou não). E é muito importante que você esteja preparada para viver essa experiência. Como você vai reagir a essas lembranças inconscientes, vai ser determinante no tipo de acolhimento e conexão que se formará entre você e o seu bebê.

2-Se conecte com o seu parceiro: Você não sabe que pai será o seu marido/ noivo/ namorado até que seu bebê nasça e que ele assuma esse novo papel. Muitas diferenças vão surgir entre vocês, ele pode se sentir enciumado, pode se sentir excluído do momento e com muita saudade da mulher dele. Aproveite o  momento da gravidez para se aproximarem profundamente.

3- Se organize: Se organizar eu quero dizer em relação a tudo: financeiramente(custos do parto, cobertura do convênio, custos de farmácia e vacinas). No seu trabalho, deixe o quartinho e o enxoval pronto com antecedência; já pense em quem vai te ajudar nos primeiros dias com a casa, com a roupa, com a comida. Pense mais ou menos assim: Alguém cuida de VOCÊ e você cuida do seu Bebê.

4- Se tiver amigas, parentes, vizinhas passando pelo mesmo momento que você, se conecte a elas! Faça parte de grupos de pessoas com as quais você se identifica, com pessoas que te põem para cima! Troque idéias, vivências, angústias e dúvidas… assim não se sentirá tão sozinha! Hoje com o Whatsapp e a internet, isso é super possível, já que sair mesmo de casa, por uns meses, sairemos muito pouco.

5- Não se baseie em EXCEÇÕES e use sim os números para te dar parâmetros sobre o que “é normal”… sobre o  que “esperar”, mas NÃO se deixe paralisar por eles. E NUNCA  se compare a ninguém, por mais difícil e tentador que isso seja. Você é única e seu bebê também! Não é porque a sua mãe teve 3 partos “normais” em casa, que os seu parto será igual ou, não é porque aquela sua amiga nunca teve problema algum para amamentar, que isso acontecerá com você.

6- Entenda que a sua vida VAI MUDAR SIM! Vai mudar MUITO! Vai mudar tudo! E é de dentro para fora… são mudanças profundas… e não restará pedra sobre pedra! A forma como você vê e se relaciona com o mundo, com as pessoas, seu parceiro sua família, sua carreira… e se você conseguir, sairá disso tudo muito melhor do que entrou. Vai descobrir uma força que nunca sonhou ter. Vai se sentir inteira, realizada, madura e poderosa!

7-Pensa que nesse universo da maternidade não existe “certo/errado” e sim, escolhas e consequências. Procure estar muito bem informada para que faça as suas escolhas da forma mais consciente possível.

Enfim,minha amiga,use as informações a que tiver acesso a seu favor! Se por acaso perceber que essa ou aquela linha não tem nada a ver com você, com a maternidade que você escolheu, simplesmente deixe passar… Sem culpa, sem dó!

Á primeira vista pode parecer simples o que está escrito aqui… mas eu te digo que eu demorei muito tempo para entender e conseguir viver isso tudo aqui!

Agora é com você… é pegar ou largar essas dicas!

Aqui tem um post com vídeo em que a gente conversa sobre os primeiros dias com seu Bebê Recém-Nascido. Aqui tem outro sobre a depressão pós-parto e aqui outro sobre amamentação.

Quais as suas maiores dúvidas e angústias como futura e Recém-Mamãe?Conta para mim! Deixe seu comentário abaixo, se eu puder, vou adorar te ajudar.

Se tem alguma amiga querida precisando escutar essas dicas, compartilha com ela! Me ajude a ajudar;)

A gente vai se encontrando por aqui então!

Bjos e até tags-coracao

Lígia

Como se preparar para ser “Mãe”

como-me-preparar-para-ser-mãe

Fala Comadre, tudo bem?

Muitas mulheres , futuras mamães e Recém-Mamães me procuram, me escrevem perguntando o que é ser mãe?

“Como me preparo para a maternidade? O que devo aprender? O que devo esperar?”

E cada vez mais, convivendo com as mamães aqui nas redes sociais, com as minhas alunas do Recém-Mamãe, eu tenho a certeza da diferença que faz o “estar preparada”!

Mas afinal, o que é “Estar preparada para a maternidade”?

Vamos conversar sobre isso?

Vou te fazer algumas perguntas, para que você descubra as suas respostas, ok?

É dessa forma que eu acredito que posso verdadeiramente te ajudar 😉

Se quiser, assista a esse vídeo em que converso com você sobre isso e depois, leia as perguntas e reflita.

  • Como vai ser a sua vida após o nascimento do seu bebê? A sua rotina?
  • Como vai ficar o seu relacionamento? Aliás, como é hoje o seu relacionamento? ( se é que você tem um). É saudável, maduro, de parceria e companheirismo ou te faz mal, te põe pra baixo e não existe confiança?
  • Como vai ficar seu corpo? Você espera que ele fique como? E o que planeja fazer para tê-lo de volta?
  • E a sua casa? Tudo arrumadinho, clean, e organizado?
  • Como vai ser o seu trabalho ou a sua carreira?
  • Quem vai te ajudar com a casa, a roupa, a comida? E com o bebê?
  • Como está a sua relação com a sua mãe, com a sua família?
  • Como você lida com palpites, críticas, julgamentos e comparações?
  • Você está se preparando, aprendendo como amamentar, como cuidar e atender o seu bebê ou está confiando no seu “Instinto”?
  • E a sua vida social? Restaurantes, compromissos, viagens… Você acha que continuará tudo do mesmo jeito? Qual é o custo, ou o valor disso para você?
  • Como é ficar em casa para você? Sem sair muito, sem se arrumar muito, sem ver muita gente?
  • Como é dedicar todo o seu tempo, a sua energia, seus pensamentos enfim… todas as suas forças para outra pessoa? Isso é a amamentação em livre demanda. Já pensou sobre isso?
  • Já pensou que o seu bebê é um ser único e que pode não se encaixar em nenhuma regra ou técnica conhecida?
  • Como foi a sua infância, o seu nascimento? Você sabe dessa parte da sua história? Está em paz com ela ou tem algo pendente, que precisa ser resolvido?
  • Como lida com os desafios e dúvidas?
  • Você é resiliente, tem jogo de cintura e sabe se reinventar?

São muuuitas peguntas, não é mesmo?

Pois é! Bem vinda a maternidade!!

Aqui nesse mundo temos muito mais perguntas do que respostas… e vai ser sempre assim 😉

Esse é um dos grandes desafios.

Eu convido você a refletir de verdade e verdadeiramente sobre cada uma dessas perguntas e, se ao terminar de ler já tiver as suas respostas, e mais importante, se essas respostas te agradarem e estiverem muito claras para você, então eu te digo sem medo de errar: VOCÊ ESTÁ PREPARADA para a maternidade!

Agora, se ficaram muitas dúvidas… Se você sente que mexeu em muitas feridas abertas ou se, simplesmente não conhece as respostas… bem-vinda ao clube da maioria esmagadora!!

Mas sempre é tempo de pensar, de refletir, de buscar as respostas!

Não se preocupe demais em aprender a trocar uma fralda, em como se segura um bebê ou como damos o banho nos primeiros dias… Isso tudo é sim importante mas… eu te digo com TODA a certeza: Você vai aprender e vai ficar craque nisso, com a prática! Não te erro!

Agora, as questões mais fundamentais e mais profundas da maternidade, essas … ninguém te conta, minha amiga.

Em muitos momentos sentimos um vazio, uma angústia, um cansaço e uma solidão extremos… que ninguém nos explica o “porquê”, que não conseguimos entender… e que muitas vezes temos vergonha e nos sentimos culpadas por sentirmos assim.

A maternidade, na minha opinião é a maior ferramenta de desenvolvimento pessoal que existe! Não é fácil, não é dor de rosa, não é linear nem perfeita…

Mas se vivenciada em toda a sua profundidade, vale sim MUUITO á pena!

Escrevi esse post aqui sobre os primeiros dias com Recém-Nascido,tem um vídeo também.

Conte comigo na sua jornada como mamãe!

A gente vai se encontrando por aqui 😉

Bjos e até tags-coracao

Lígia

Como escolher o Pediatra do Seu Filho – 7 Dicas

E, A Diferença Que Isso Pode Fazer na Sua Vida de Mãe  !

How-Find-Pediatrician

 

Oi Comadre!

Nosso assunto por aqui hoje, é sobre a escolha do ” seu ” pediatra … Seu sim, porque, muitas vezes, nós mães, estamos precisando mais daquela consulta, daquela conversa e da informação, do que os nossos filhos, não é mesmo ?!! rsrs

Bom , por definição, nós, as mães somos apavoradas, cheias de perguntas e dúvidas, e hoje , ainda, temos as comadres virtuais que nos trazem um monte de informações úteis e práticas….

E os médicos, por definição …Não são exatamente disponíveis, não têm muito tempo / paciência para muitas orientações , são técnicos excelentes , mas , não conseguem  , na maioria das vezes , individualizar as informações …

E , muitas vezes , a gente sai da consulta com a sensação de :”Meu Deus! O que eu vou fazer ? ”

Comadre, só para esclarecer aqui : Isso não é uma regra , tá ? Claro que existem médicos  super humanos, compreensivos, e , com uma paciência de Jó … com a gente, simples mortais ! E,também mamães que não são apavoradas e curiosas ! Isso é uma generalização ! Sem ofensas, de parte á parte, tá ?

O fato que eu queria conversar por aqui hoje é: como escolher um pediatra para os nossos filhos? O que levar em consideração ? Quais critérios usar ? O que é mais importante, já que o ideal, muitas vezes, não é o possível ?

Eu preparei umas dicas aqui, para te ajudar nesse processo de escolha, ou , se você está passando por um momento descontentamento … para te ajudar a levantar, quais os pontos-chave, para a escolha do novo profissional.

1- DISPONIBILIDADE é a palavra de ordem !E, para mim, Lígia , é uma das mais importantes …

Gente do céu, não existe você ligar para um pediatra, seu filho com febre, tossindo, ou vomitando , chorando …. e ouvir que tem consulta para daqui há 10 – 20 -30 dias !! Pediatra tem que atender HOJE! Você já passou por isso ?

Com criança , tudo anda muito rápido ! Tanto a melhora, quanto a piora , de uma doença…

E, com bebês de até um ano então… nem se fale ! É  tudo urgente !

Essa característica, pode te ajudar, ou nortear , todas as outras decisões, quando for escolher seu pediatra !

Eu sempre parto do princípio de que, todos são tecnicamente competentes … isso nem se discute !

 

2-ACESSIBILIDADE :

Se um (a) das suas opções tiver a agenda mais  flexível, ou se for amigo da família, ou parente próximo ou distante…

Mesmo que seja do convênio, mesmo que tenha a agenda lotada … se você tiver outra via de acesso, um pouco mais próxima … Eu recomendo que você considere a possibilidade.

A gente precisa ter uma’ linha aberta’ para nos comunicarmos com o pediatra!

Outro fator que pode fazer diferença entre o seu médico ser acessível ou não , é a secretária .

Ok , elas recebem as orientações deles, mas tem algumas que se mostram bem interessadas e preocupadas em resolver e atender a gente, já outras … blindam o nosso acesso ! A gente não consegue marcar horário, e nem falar com o médico, de jeito nenhum!

 

3- PREÇO / CONVÊNIO :

Claro que aqui, não dá pra gente fingir que , isso não faz diferença … Muitas vezes , usamos os profissionais que o nosso convênio médico nos disponibiliza , já que , pagamos por isso, por esse benefício … Mas, infelizmente, o profissional que gostaríamos de frequentar, não está ali…

Aí, é com você , minha amiga … Você sabe da sua realidade financeira, e , a forma como lida e administra seu dinheiro…

A dura realidade é : os profissionais que atendem por convênio , são mal remunerados nas consultas , e , para conseguirem ter uma remuneração mensal digna , agendam consultas a cada 15 minutos, lotam suas agendas … e , como são seres humanos, assim como eu e você…por mais que queiram e tentem fazer diferente, o esquema não permite !

É uma questão de sobrevivência …

 

4-LOCALIZAÇÃO  E HORÁRIOS :

Ás vezes, em cidades maiores, esse ponto pode ser decisivo … não adianta nada o profissional ser excelente , acessível, se você demora 2 horas para chegar  á sua clínica !

Aqui na minha cidade tem um pediatra de convênio, muito bom , por sinal, mas que é famoso por atender até de madrugada !! As mamães chegam, e , as consultas vão atrasando, ás vezes ele tem um parto de emergência para atender … e as mamães vão ficando ali, até meia noite, uma hora da manhã!!

É muita judiação ! De todos os lados envolvidos ! Mães, crianças e dele mesmo… imagina a condição desse profissional, atendendo até esse horário !! Mental e fisicamente , ele já terá ultrapassado todos os seus limites !

 

5-INDICAÇÕES :

Converse com as suas amigas, familiares, e pegue indicações ! Sabe aquelas mulheres com que temos mais afinidade?

Então , fale com essas ! Por terem “coisas em comum ” , é provável que , uma indicação delas , seja o que estamos procurando !

A boa fama, assim como a má fama correm rápido… se um profissional é muito bom, ou o contrário … sempre tem histórias sobre ele correndo por aí!

6- AFINIDADE :

Lembra que aqui, eu estou considerando que, tecnicamente, todos os profissionais são bons …

Acontece que , tem alguns que são mais técnicos, outros que são mais acolhedores, ou ainda , que complicam muito, gostam de detalhes , outros que são mais práticos … Alguns apoiam irrestritamente o aleitamento materno, outros não valorizam tanto… Uns que adoram uma medicação pesada, outros que preferem observar e acompanhar a evolução do quadro …

Outros são mais secos e objetivos, outros são mais carinhosos com a gente…

Aí já são questões bem individuais e subjetivas… e , dependem de você !

E, por fim …

 

7- CONFIANÇA :

Ela é o elo , que une todas as outras características, e que , ao mesmo tempo, sem ela , nenhuma outra qualidade ou característica , fazem sentido ou têm importância !

Claro , a gente pode e deve perguntar , questionar … isso faz parte do processo ! Agora , pense bem :

O pediatra é o nosso guia nessa estrada! Muitas vezes, a saúde e bem estar do nosso filho, podem depender desse profissional! É por isso que precisamos confiar nele, de olhos fechados ! De todo o nosso coração!

Essa confiança, pode fazer toda a diferença, na sua rotina, na sua vida de mãe!

 

Agora , eu preciso te falar uma verdade :  Cuidado para não exagerar !! Nós , as mamães , muitas vezes, fazemos tempestade em copo d água , muitas vezes enfiamos os pés pelas mãos …

Na nossa ansiedade, não escutamos o que o médico nos fala , tiramos as nossas próprias conclusões , usamos o

” dr. Google” para tirarmos as nossas dúvidas e conclusões …

Deixamos que as nossas crenças e vivências , nos impeçam de aprender  coisas novas … de escutar de verdade !

Ao mesmo tempo, não devemos ficar com dúvidas !

Eu penso que somos uma equipe : ele me dá as coordenadas, e eu , executo ! Tiro minhas dúvidas, levo as individualidades de cada uma das minhas crianças em conta, se for o caso, pergunto se é possível adaptar isso ou aquilo ….  mas , confio de todo o meu coração ! E , isso … não tem preço !!

Como você escolheu seu pediatra ? Que critérios usou ?

Está feliz com a sua escolha ?

Deixe seu comentário aqui embaixo, conta prá mim !

Conversar com você, saber das suas histórias , participar da sua vida…

É isso que dá sentido ao meu trabalho por aqui !

A gente vai se encontrando …

Bjos e atétags coração

Lígia

Ser Mãe de um Recém Nascido – Na Prática , a Teoria é Outra !

barulho1

Oi Comadre, tudo bem ?

Cuidar de um Recém Nascido  não é fácil, não é mesmo ? E, nessa minha jornada de mãe de 3 , de quem pesquisa a fundo o assunto há 10 anos , de quem já leu quase 100 livros sobre o assunto, de quem tem o privilégio de conversar aqui, todos os dias , com dezenas de mamães diferentes… tem uma coisa que vem me deixando bem p… da vida,( com o perdão da palavra) : a chatice e a opressão que cercam a maternidade hoje em dia !

Gente do céu !! É um tal de isso é proibido, isso não pode, a ciência comprovou que…

Vou dar a minha opinião sobre isso tudo, tá ? Se você me permite !

Em primeiro lugar, eu não consigo entender qual é o objetivo dessa “linha” … é de informar? Ou , como está na moda agora, empoderar , as mulheres / mães ? É assegurar a democratização da informação, da ciência, e oferecer a todas as mães a oportunidade de receberem informações “confiáveis, científicas, atestadas e comprovadas em teses de mestrado / doutorado”, em publicações científicas pelo mundo afora ?

Ou ainda, querer espalhar a sua mensagem, as suas vivências, para que todas consigam os mesmos resultados positivos ?

Seria alertar contra os índices alarmantes de cesáreas no Brasil, quando comparado ao resto do mundo ? Ou , ensinar ás mães que , o leite materno é o melhor e mais completo alimento que existe para os bebês até 6 meses ?

 

Eu não sei você, minha amiga e comadre, mas, quando eu escuto um discurso radical , de vozes inflamadas e dedos apontados , a minha primeira reação , é me encolher no meu canto, com medo de ser julgada, condenada e queimada viva na fogueira das mães “irresponsáveis , fracas e desinformadas”… com medo de descobrirem que , só amamentei exclusivo os meus 3 filhos até os 4- 5 meses , por exemplo, ou que tive 3 partos cesáreos, ou ainda… que ofereci chupeta para todos , mas só 2 pegaram ! Que fiz cama compartilhada com todos os que mostraram necessidade disso! Que já dei muita papinha industrializada para o meu filhos mais velho! Vixe… será que eu tenho salvação ? rsrs

 

Brincadeiras á parte, comadre, eu andei pesquisando á fundo a depressão pós parto ( é , eu também ADORO uma pesquisa científica !! rsrs) , Leia o post sobre depressão pós parto aqui  ,e, aluns dados me assustaram bastante : (Resumindo e simplificando bem, tá ?) Esse novo modelo de maternidade opressora , cheio de obrigações, metas e modelos engessados, associado ao período hormonal tumultuado e desfavorável, e, a algum histórico anterior da mulher, é o grande responsável pelo aumento dos casos de depressão pós parto nos últimos 10 anos !

Segundo a OMS ( Organização Mundial da Saúde), os índices mundias são de 10-15% das puérperas são acometidas pela depressão pós parto. Aqui no Brasil, atualmente se fala em 26% , podendo chegar até 40% , em algumas amostras  do estudo. ( Fontes : leia mais aqui , e aqui )

A mulher que não conseguiu( por várias razões) ter o parto que sonhava, que não consegue amamentar exclusivamente seu bebê no peito… que está exausta, sem dormir direito, sem ajuda ou , bons conselhos… Se sente tão perdida, tão sozinha, tão frustrada … que , o que era pra ser o momento mais feliz e pleno da sua vida, se transforma num grande pesadelo !! Ela olha ao seu redor, e não encontra uma saída ! E, ela está  muito fragilizada, nesse momento, para reunir forças e reagir!!

E, se tem algum histórico familiar associado, ou alguns outros fatores associados, como dificuldades financeiras, problemas no seu relacionamento com seu parceiro ou seu relacionamento com a mãe, ou se perdeu algum bebê antes ( só para citar alguns exemplos) , pronto ! Está feita a receita para a “Depressão pós parto ” , que deve ser tratada com medicações e terapia, e, que tem a duração média de 18 meses ! E, se não tratada, pode virar um quadro crônico de depressão, muito mais complicado de ser acudido depois.

E , para mim O PIOR DISSO TUDO : A depressão pós parto prejudica o desenvolvimento físico, afetivo e cognitivo do bebê, e compromete PARA SEMPRE o estabelecimento do VÍNCULO mamãe /bebê, que é de vital importância que seja estabelecido o quanto antes !

Olha só o estrago , comadre! Olha as consequências de criarmos uma fantasia, uma expectativa, irreal, e inatingível a respeito da maternidade !

O que informações boas, de qualidade, mas, mal aproveitadas são capazes de causar !!

No meu ponto de vista: Tudo o que é RADICAL BURRO ! Não leva em conta as particularidades, os sentimentos, as histórias dos personagens envolvidos nisso tudo !

Além de ser cruel e covarde, a forma como alguns médicos, cientistas, profissionais da saúde e até muitas mães, acharem que, por estarem respaldados por teorias e números, têm o direito de nos acuar dessa maneira !

 

Não se deixe intimidar ! Não se deixe oprimir !

E , nunca se envergonhe de ser a mãe que você é !!

 

Se informe sim! Se prepare, física e emocionalmente para o que está por vir … Mas se permita sentir o seu filho como o ser único que ele é ! Se permita amar infinitamente, sem limites , sem pudores…construir a sua maternidade , a sua relação e vínculo com seu bebê, com a sua cara, com o seu jeito !

Conte comigo para esse jornada ! Eu quero e posso te ajudar !

Aqui no “Mães Comadres” , você pode se sentir livre e orgulhosa para viver a sua maternidade do seu jeito !

Eu queria saber de você… me conta a sua história ! As suas dificuldades !

Qual a sua opinião sobre esse assunto ? A sua opinião é sempre muito bem vinda aqui , mesmo que seja diferente da minha!

A gente vai conversando por aqui !

Bjos e até tags coração

PS :Dá um curtir lá na nossa fanpage !pequena facebook-logo-

Se inscreve no nosso canal do Youtube ,pequena youtube-logo e receba as novidades !

O Luto e a Depressão Pós Parto – Entenda os “Porquês “

depressão-pos-parto

Oi comadre! Tudo jóia ?

A depressão pós parto é um assunto delicado, muitas vezes negligenciado , e pouco comentado…

As mamães se envergonham , se culpam e se escondem …

Os profissionais consideram “normal”, já que , estatisticamente, 80% das mulheres passam por uma “melancolia” , nesse período, conhecida como “baby blues” , e , muitas vezes , casos mais sérios, acabam sendo diagnosticados como ” dentro do esperado” .

Eu gravei um vídeo falando um pouco sobre o assunto . Clica e assiste !

O que acontece afinal ? Por quê isso acontece ?

Bom , fisiologicamente, a explicação é que a mulher, no período do pós parto  + amamentação , entra numa montanha russa hormonal, com queda brusca de alguns hormônios e aumento brusco de outros … E isso, por si só, já deixa a gente bem sensível, com os sentimentos “á flor da pele”.

 

Mas , e emocionalmente, lá dentro , da nossa cabeça, e do nosso coração, o que acontece ?

Aí é que está , minha amiga … Tem muita coisa acontecendo ali dentro , ao mesmo tempo !

Primeiro , os especialistas no assunto ( psicólogos e psiquiatras ) consideram que a recém mamãe, passados os primeiros dias, começa a vivenciar um luto . Mesmo que esteja tudo bem com seu bebê, que seu parto e a sua recuperação esteja  ocorrendo dentro do  esperado… Existe uma “morte ” da mulher que existia “antes ” do bebê : morre o corpo enxuto , morre o cabelo e unhas impecáveis, morre a vida social agitada, morrem as viagens , morre o casamento , morre a profissional super dedicada e eficiente, morre a filha , que era mimada e cuidada o tempo todo, ela agora, tem que cuidar …

 

É claro que,  a gente que já passou dessa fase,  sabe que  isso é uma questão de tempo ! Que , aos poucos, a nossa vida vai voltando … Não exatamente como era , mas é possível voltar a forma, ir ao salão, trabalhar e se realizar na sua profissão, ter um casamento bacana e sólido, voltamos a viajar ( para destinos mais tranquilos) , vamos á festas e restaurantes …

 

Mas , naquele momento ali, sozinha, exausta … o primeiro choque é muito grande, e a mulher se sente perdida , pois , a vida que tinha , não existe mais ! E , a vida que ela está vivendo agora, não é , nem de longe , o que ela queria e esperava ! “Eu quero a minha vida de volta !” “Eu quero o meu corpo de volta” “Eu quero o meu casamento de volta” , “Aonde é que eu estava com a cabeça, quando decidi ter esse filho ?”Esses são pensamentos recorrentes em 100% das mulheres , minha amiga ! Mas, quem não consegue lidar com isso, começa a se sentir frustrada e culpada…

E, a situação ainda piora em alguns casos, como , por exemplo : se ela não consegue amamentar, se o seu bebê é um “High-need baby “( daqueles que choram muito, querem muito colo, não dormem muito tempo seguido…) !Aí , ela começa a se achar incapaz, um lixo de mãe e de mulher !

Começa a ter vergonha do marido, da mãe, da sogra … não quer sair com o bebê, de jeito nenhum ! É um misto de “medo que algo ruim aconteça com ele” com ” e se ele começa a chorar , eu não vou saber o que fazer !”

Desenvolve um pavor de “perder o seu bebê ” , de “passar vergonha” , de ser julgada…

Sempre tem os palpites e as comparações inoportunas, não é mesmo ?

Ou , a incompreensão , por parte das pessoas mais próximas , que deveriam ajudar e apoiar . Eu me lembro de uma amiga minha que o marido dizia : “Mas o que te falta? Você tem tudo ! Nossa filha é saudável e linda ! ” e, mais culpada e triste  ela se sentia !

Existem alguns fatores que podem aumentar as chances da mulher passar por uma depressão pós-parto, como histórico anterior de depressão, transtorno bipolar, perda de outro bebê … e também , quanto mais normal e tranquila foi a sua gestação, quanto mais normal continuou a sua vida , até o momento do parto, maior o baque nesse primeiro momento ! A “Ficha cai de uma vez “, sabe ?

Se ela não tem muita ajuda ou apoio da família , se o casamento não está numa fase boa, ou se a família está passando por problemas de saúde graves ou financeiros, isso também pode afetar a sua segurança e abalar seu psicológico.

E , ainda, quanto maiores as expectativas dessa mãe, quanto mais exigente consigo mesma ela for , ou perfeccionista…Ou ainda, se teve acesso a informações muito radicais e engessadas…se alguma coisa não sair como ela esperava ou como planejou, ela vai se sentir perdida! Vai se cobrar, vai se culpar… e vai desistir !

A gente que é mulher e mãe, na minha opinião, tem a OBRIGAÇÃO de enxergar que o julgamento, as críticas e as comparações , são CRUÉIS E DESUMANAS !

Uma recém mamãe , não precisa de palpites ! Precisa de acolhimento e de ajuda!

Se você é uma gestante, minha amiga, busque sim , o máximo de informações que puder ! Mas , além de informações, tente se preparar , emocional e fisicamente para o que virá !

E, se , de repente, você estiver passando por esse momento difícil, não se recolha , não se culpe , não se envergonhe! Peça e aceite ajuda! Existe tratamento para isso ! E, nem sempre , medicamentoso ! Em muitos casos , só a terapia já resolve ! E, se precisar de medicação , aceite… e pense que, quanto antes você sair desse beco escuro, melhor!

E , acredite, isso vai passar !

Saiba Mais :  http://www.minhavida.com.br/saude/temas/depressao-pos-parto

http://www.ip.usp.br/portal/images/stories/lefam/ATT00026.pdf

ohttp://www.abcdasaude.com.br/ginecologia-e-obstetricia/depressao-pos-parto

Conte comigo , de coração, nessa sua jornada !

Ajudar a mulheres / mamães é a minha grande missão de vida! é por isso que estou aqui … é a isso que dedico meu tempo, minhas pesquisas, meus estudos !

Você tem alguma experiência semelhante? Já passou por isso ? Conhece alguém que está nessa situação ?

Compartilha esse conteúdo ! Me ajude a ajudar!

A gente vai se falando por aqui !

Aqui nesse post com vídeo , eu te dou dicas para os primeiros dias com seu bebê ! E, nesse outro aqui também!

Bjos e até !tags coração

Lígia

Gravidez – Microcefalia e a Febre Zika – Um Novo Alerta !

pregnant-woman-sleeping

Oi Comadre, tudo bem ?

Nos últimos dias, tenho visto na mídia, notícias sobre um aumento absurdo de casos de microcefalia nos bebês, na região Nordeste do Brasil. Que já foi decretado estado de emergência , e, especialistas de todo o país já estão se reunindo para tentar entender e levantar as possíveis causas para isso.

Por enquanto, a principal suspeita é a “Febre Zika” , lembra dela do verão passado?

Ela é transmitida pelo Aedes Aegypti , o mesmo que transmite a dengue, e a Febre Chikungunya … Ô mosquitinho maldito!Vou fazer um resumo da doença rapidinho para você:

  • A HISTÓRIA

Essa doença, a “Febre Zika” , é causada por um vírus, o ZIKV, que apareceu lá em Uganda, foi isolado pela priemira vez em 1947, em macacos numa floresta, e 20 anos depois, começaram a surgir casos de seres humanos contaminados.

  • SINTOMAS

São parecidos com os sintomas da dengue  e começam a aparecer 3 a 12 dias após a contaminação :

-febre baixa (entre 37,8 e 38,5 °) ;

-dor atrás dos olhos ;

-dor de cabeça;

-dor muscular;

-vermelhidão e coceira no rosto, tronco, pés e mãos;

– e, o principal sintoma da Febre Zika são as dores muito intensas nas articulações , e que podem demorar mais de 6 meses para sumirem completamente;

  • O DIAGNÓSTICO

O diagnóstico é feito pela clínica  e por exames de sangue , que vão diferenciar a Zika , da Dengue e da Chikungunya.

  • O TRATAMENTO

Por ser causada por um vírus, não existe tratamento para a doença, só para aliviar os sintomas.

Também não temos vacina , por enquanto.

Procure atendimento e orientações médicas sempre !

As medicações permitidas são analgésicos e antiinflamatórios . NÃO USAR  medicamentos á base de ácido acetilsalicílico, nem antiinflamatórios não hormonais á base de diclofenaco, ibuprofeno e piroxicam) .

Os sintomas ( a maioria) deve desaparecer entre 4-7 dias, se isso não ocorrer, procure novamente por atendimento médico, para descartar outras doenças associadas.

Quanto á microcefalia …

  • O QUE É A MICROCEFALIA ?

É uma condição neurológica em que o cérebro não se desenvolve normalmente, ainda dentro da barriga da mãe , ou nos primeiros meses de vida do bebê,( a circunferência da cabeça do bebê, ao nascer, é menor de 33 cm).

Pode ser causada por fatores genéticos e ambientais (em  algumas doenças genéticas, como Síndrome de Down ,por exemplo, os bebês também podem apresentar a microcefalia).

Não tem cura.

Em 90% dos casos tem alterações neurológicas como : retardo mental, hiperatividade, epilepsia, dificuldade de coordenação e equilíbrio, e também alterações motoras e físicas como nanismo, atraso nas funções motoras e fala e distorções faciais.

O diagnóstico é feito pelo médico, através do acompanhamento do desenvolvimento do bebê ( dentro da barriga da mãe, e depois de nascer) .

Bom , minha amiga… ainda não tem nada concluído pela ciência… por enquanto são suspeitas e conjecturas…

Mas, a gente que está ali, grávida, não tem muito tempo para esperar, não é mesmo ?

O que fazer então ?

Se prevenir é sempre o mais indicado ! Converse com seu médico, e use repelentes permitidos e eficientes ( físicos como véus para dormir, e químicos, como aqueles que a gente passa pelo corpo ).

Aqui nesse post , eu escrevi tudo sobre a dengue na gravidez, como previvir e no que ficar atenta, leia agora!

E aqui, eu escrevi sobre a Febre Chikungunya , leia também!

Aqui em casa, no começo desse ano, todos nós , e mais as duas funcionárias, tivemos a dengue.

Eu tive um tipo mais grave, em que as minhas plaquetas caíram, existia risco de hemorragia… Eu colhia sangue todos os dias, fiquei 3 dias direto, sem tirar, tomando soro ” em home care” , fiquei bem ruim e assutada mesmo … Aqui na minha cidade teve um surto , e eu vi muita gente morrer … gente de todas as idades… nunca imaginei que fosse

assim !!

Só quem já teve a Dengue para saber…

Se cuida ! Eu não desejo o que passamos por aqui nesse começo de ano, á ninguém !

Você já teve alguma experiência com a dengue ? E com as suas “primas ” do mal : a Chikungunya, e a Zika?

Conta prá mim ! Vou adorar conversar com você!

A gente vai se falando por aqui !

Bjos e até! tags coração

Lígia

Curte a Fanpage pequena facebook-logo-

Se Inscreve no Canal do Youtube pequena youtube-logo

 

Para saber mais sobre as doenças clique aqui :

http://www.minhavida.com.br/saude/temas/febre-zika

http://www.infectologia.org.br/

 

A Mala da Mamãe Para a Maternidade

MALA-DA-MATERNIDADE-DA-MAMÃE

Oi Comadre ! Está chegando a hora do seu bebê vir ao mundo ? Você está tranquila, ou mega ansiosa?

Aposto que a malinha do bebê já está super pronta… E a sua ?

Você sabe o que levar na SUA MALA  de MATERNIDADE?

Eu fiz uma lista baseada nas minhas 3 experiências, e do que eu venho conversando com as mamães por aqui, tá?

Aqui na minha cidade ,as mamães e os bebês ficam o menor tempo possível no hospital, já que não tem Maternidade na cidade, só Hospital !Então, quanto menos tempo naquele ambiente… melhor, não é?Ficamos entre 24 e 48 h no máximo, mesmo no caso de “cesárea”… Já a minha irmã , que já teve dois bebês , em São Paulo, disse que o protocolo, no caso de cesárea, são 3 dias, pelo menos, na Maternidade.

Como é na sua cidade, ou na Maternidade que você escolheu ?

 

Outra diferença bem grande , que eu achei daqui e de SP, é que , aqui, como não existe aquela “transmissão ao vivo ” do parto, aquela festa toda, com todos os parentes assistindo á chegada do bebê, as visitas são super restritas aos familiares mais próximos, como avós e tios. Amigos, na maternidade, é mais raro… Então, a mala dessas mamães que vão ter seus bebês nesse esquema “festa de família e amigos ” , deve ser feita com mais detalhes e cuidados ! rsrs  Como é por aí , na sua cidade?

Considerando, então, 3 dias de hospital , e muitas visitas ( algumas de pessoas não tão íntimas assim) , vamos á lista:

– a MALA pode ser pequena, tipo sacola, ou com rodinhas.

-3 pijamas da estação ( de calor, ou frio , depende da época do ano em que você vai ganhar seu bebê) , com aquelas aberturas para amamentar.

– 3 sutiãs de amamentação.

– 1 par de concha de amamentação ou protetores de bico , se você optar em usar( eu usei a concha e me ajudou muito);

-1 pomada para hidratar e cicatrizar o bico do seio tipo “Lanishoh” , se optar por usar ( eu só usei o leite mesmo);

-6 calcinhas de pós parto ( elas são mais altas, e têm um reforço na frente, que fica na altura da barriga).

– 1 cinta pós cirúrgica , se for a sua opção usar , ou orientação do seu médico .

– 1 sapato baixo e confortável , tipo “sapatilha” -( você pode já ir com ele para o hospital) de uma cor neutra, que combine com todas as roupas que estão na mala;

– 1 par de chinelos de quarto;

– 1 par de chinelos de borracha( para o banho);

– 1 toalha de banho e uma de rosto;

-Se você for “friorenta” como eu, leve uns 2 ou 3 pares de meia, mesmo se não estiver muito frio, e um pijama de manga comprida também – que lugar gelado que é hospital, gente !

– 3 roupas que você usava no 2° ou 3° trimestre da gestação, que tenham abertura na frente, para facilitar a amamentação, para você usar durante o período das visitas.

A SUA “NECESSAIRE” :

– escova de dentes e creme dental e fio dental;

-leve seu sabonete, shampoo e condicionador(mesmo que o hospital forneça- alguns têm cheiro muito forte, ou podem desencadear problemas alérgicos em você . Melhor não arriscar nada nesse momento);

-seu hidratante de corpo e rosto ( escolha os sem cheiro e sem ácidos !);

-Seus cosméticos e maquiagens de uso diário ( tem que estar linda para as primeiras fotos ! Nada de ficar com cara de doente! rsrs);

-1 pacote de absorventes tipo” noturno”;

-1 pacote de absorventes normais(que você costuma usar) ;

-elásticos ou prendedores de cabelo ( para não atrapalhar ao pegar o bebê e ao amamentar);

-lixa de unha;

– a câmera fotográfica, filmadora ou celular, e os carregadores de bateria.

Uhuu ! Tente deixar tudo o mais adiantado possível, porque, se acontece de romper a bolsa, ou alguma correria… a gente não consegue pensar muito , e os maridos … esses , nem se fala ! kkkk

Uma amiga  de Brasília me contou que, deixou tudo arrumadinho em casa, separou uma gaveta , no armário do bebê com as roupinhas que levaria para o bebê , e uma gaveta para as coisas dela, que iriam na sua mala de maternidade, tudo direitinho, na maior organização.Mas, um dia, após a consulta de pré natal , ela foi de emergência pra Maternidade. Pediu ao marido para trazer as suas coisas e as do bebê, explicou direitinho que as roupas estavam em duas gavetas da comoda do bebê… Sabe onde o marido trouxe as roupas? Em sacolas  plásticas de supermercado ! Ela não falou onde estavam as malas !rsrs  É prá  matar, não é ? Depois os maridos falam que os hormônios nos deixam muito “irritadinhas” … kkkk

Você tem alguma experiêcnia diferente? Alguma sugestão ?

Me esqueci de alguma coisa ?

Adoro saber a sua opinião e conversar de perto com você!

 

A gente vai se falando !

Bjos e atétags coração

 

A Liberdade De Escolha – É Disso Que Sou a Favor !!

livre-para-ser-mãe

Oi Comadre!! Hoje estou meio azeda … rsrsrs

Eu recebo muitos emails, de mamães me contando que sofrem muito, com as suas escolhas… E me perguntam : será que “isso é certo? ” “você é  a favor ?” disso ou daquilo …

Gente, eu fico com o coração apertado de ouvir e sentir a angústia dessas mamães ! Tenho vontade de pegá- las no colo … e de queimar em praça pública essas pessoas que se especializam em oprimir a maternidade , e reduzí-la a teorias e “tabelas “. Vão pro inferno !!

A gente, que é mãe, que está ali, no campo de batalha, cada uma com a sua rotina, com a sua personalidade, com seu bebê e suas particularidades… Só a GENTE SABE  o que é “certo e errado ” !! Só a gente sabe o que é possível !

Só a gente conhece os nossos limites !

Agora , a maternidade está sendo empacotada assim:

– Parto normal humanizado

-Aleitamento materno exclusivo, em livre demanda , até pelo menos 2 anos.

-Amamentar é um “direito ” da mulher, esteja ela onde estiver!Quem não quiser ver , que vire o rosto !

– A mãe, deve ficar o maior tempo possível, com seu filho, até os 3 anos de idade! De preferência, sem trabalhar, ou ajustar o seu trabalho á nova realidade da sua família !

– Chupetas e Mamadeiras devem arder no fogo eterno !

– O desconforto causado pelo nascimento dos dentes? Você deve ter calma, paciência e oferecer o peito para o bebê se acalmar… medicações que possam aliviar a DOR do seu bebê nem pensar !

– Você  tem que dar o banho de ofurô.

– Você tem que lidar com a dor inicial do seu peito, de forma natural e tranquila.Deve ser corajosa !

-Não pode reclamar das noites mal dormidas, ter um filho é uma benção !

-Não pode por o bebê pra dormir na sua cama , não pode por o bebê para dormir sozinho…

Socorrooo!

Se a mamãe, por algum motivo precisa, ou escolhe se submeter a uma cesárea… pronto ! Já se sente diminuída…

Se, algum motivo a impede de amamentar exclusivo seu bebê… mais uma derrota ! Ela se sente a pior …

E, se dá chupeta ou mamadeira para seu bebê… não conta prá ninguém !”é errado, né?”

Se usa uma concha de amamentação, pomadas no seio rachado e dolorido ” é fraca, não está preparada para ser mãe !”

Se põe o bebê pra dormir na sua cama, se sente amedrontada… Se coloca no berço, se sente julgada …

Se a mamãe se olha no espelho , e sente saudade da sua antiga vida, do seu corpo, das suas amigas… vem a culpa monstra !

Se a mamãe se sente constrangida em amamentar na frente dos amigos do marido, do sogro , ou do chefe… ‘ ela não é dona do próprio corpo e do próprio querer.”

Se volta a trabalhar, além da saudade do bebê e do cansaço da tripla jornada, ainda vem a vozinha lá de dentro “será que estou agindo certo ? Será que não estou abandonando meu filho ?”

Se deixa o emprego , e põe sua carreira no “pause” , para simplesmente curtir a maternidade e seu bebê… lá vem julgamentos e palpites !!

E montes de teorias, e montes de radicalismos sem sentido !

Na minha opinião, minha amiga, o que é “Certo ” é a gente poder fazer as nossas escolhas ! De forma consciente, sem ingenuidade ou desconhecimento … Se informar o máximo possível, mas usar o SEU filtro : Muitas coisas que você vai ouvir, não fazem sentido para você, ou simplesmente , não se encaixam na sua rotina !

Liberdade , é poder escolher, e arcar com as consequências, não é isso ?

Se você não conseguiu , ou não quis, um parto “normal humanizado “, se você não conseguiu , ou não pode amamentar exclusivo seu bebê até 6 meses, se você quis ou precisou voltar ao trabalho , FIQUE EM PAZ,com você mesma e com as suas escolhas !

Se para você , vivenciar a experiência do parto humanizado, parto domiciliar… for um sonho, vai fundo !

Se, você quer amamentar seu filho, por todos os benefícios físicos e emocionais que sabe que a amamentação traz pros dois, faça força ! Aguente firme o começo ! Vai valer á pena !

Saiba o que quer , onde quer chegar! Isso vai te fortalecer , e te manter no caminho que você escolheu, apesar das dificuldades !

Opressão, tabelas e teorias… não combinam com a maternidade ! De jeito nenhum !

O que combina com esse momento, é amor, um amor enorme e sufocante, são noites mal dormidas, cheirinho e chorinho de criança, e todo o sentido da vida , que elas conseguem nos apresentar …

Você já se sentiu oprimida, ou diminuída , por algumas escolhas que fez , com seu filho?

Como se livrou desse sentimento ?

Conta prá mim !

Leia mais : aqui , eu conto como foi a minha volta ao trabalho, e aqui , como me decidi babá ou berçario?

E aqui, ” confesso todos os meus pecados ” de mãe ! Leia , que você vai ver que , Sim, Você É Uma Excelente Mãe ! rsrs

 

A gente se fala !

Bjos e até tags coração

 

 

A Gravidez e o Teste do Cotonete – Assista o Vídeo

Oi comadre !Outro dia, recebi um email de uma leitora de Campinas-SP-me contando uma tragédia que aconteceu em Piracicaba, cidade próxima , no final de Janeiro desse ano …Fiquei chocada com a notícia, me coloquei no lugar dessa mãe, e descobri que,  poderia  ter sido comigo!

Tive 3 bebês e NUNCA me pediram esse exame !

Assiste ao vídeo que fiz, explicando tudo direitinho.

 

E, descobri depois que, exemplarmente, apesar de toda a sua dor, essa família está fazendo uma campanha com outdoors, entrevistas e etc para a conscientização das mamães, futuras mamães e até dos médicos… que apesar de conhecerem os riscos, acabam por um motivo ou outro , negligenciando …

E resolvi fazer a minha parte ! E contar tudo aqui, para vocês !

Você conhece alguma história assim?

Acha que pode contribuir , com a sua informação , para que outras tragédias sejam evitadas ?

Conta prá mim !

A gente vai se falando !

 

Bjos e até tags coração

Cinta Modeladora no Pós Parto – Usar ou Não ?

o-uso-de -cintas-pós-cirúrgicas

Oi Comadre! Você usou cinta cirúrgica depois do seu parto? O que seu médico orienta?

Eu usei, depois das 3 cesáreas… É , eu nunca “consegui” um parto normal … Eu chegava na 40° semana da gestação… e …nada acontecia! E, como os médicos não aconselham passar muito desse período… lá ia eu para mais uma cesárea!

Isso é uma das grandes frustrações que eu carrego… mas, isso é papo para outro post ! rsrs

Hoje , eu queria conversar sobre as cintas no pós parto!

Então, no meu caso, o médico falou assim: você pode usar , se achar que ficará mais segura e confortável , mas , não é “obrigatório “. Me apresentou as vantagens e os cuidados que eu deveria ter, e , deixou a decisão comigo .

Pesquisei bastante, liguei a “rádio comadre” rsrs( conversa com amigas e parentes) , e descobri que o assunto é bem controverso !!!

Vem comigo !

VANTAGENS :

 

ajuda a reorganizar os órgãos da mulher nos seus devidos lugares, após o parto.

dá mais segurança para a mulher andar, sentar, dirigir , principalmente num pós parto de cesárea.

Diminui o inchaço.

ela deixa a nossa silhueta bem fininha, mas não se engane, ela não fará milagres ! Tem que malhar bastante depois !

ajuda a prevenir o “seroma” ( que é o acúmulo  de água próximo á cicatriz, que pode causar infecção , e deixar a cicatriz feia e alta)

 

DESVANTAGENS :

 

alguns médico dizem  que, o uso constante, pode atrapalhar o fluxo sanguíneo do local.

atrapalha os movimentos dos músculos abdominais . Segundo a opinião de alguns médicos, isso atrapalha que eles trabalhem de forma  fisiológica , para eliminar a flacidez , causada pela distensão grande que sofreram por causa da gravidez.

 

CONTRA INDICAÇÕES:

sangramentos grandes, acima do normal.

infecção na cicatriz da cesárea.

 

QUANDO COMEÇAR A USAR ?

As opiniões são desencontradas…

uns dizem que, logo após a cesárea é melhor

outros , que só  24 ou 48 h após a cesárea, que é quando o intestino da mulher já está normalizado e funcionando.

 

ATÉ QUANDO USAR ?

no caso de parto cesáreo, 3 meses

no caso de parto vaginal, 1 mês já é o suficiente.

 

MODELOS DISPONÍVEIS :

 

cinta-pós-parto

Cintura alta com abertura embaixo

cinta-pós-parto2

macaquinhos com e sem perna , com abertura para amamentação

 

 

cinta-pos-parto1

com abertura na frente, e modelo comprido

cinta-pós-parto3

com abertura na frente, modelo ‘BERMUDA”

e2763d1f03f47a0ded27896913050a31-205_137

com velcro na frente

 

 

E tem também esse modelo, que é um intermediário entre calcinha e cinta :

 

cinta-pós-parto4

 

 

PREÇO

Depende do modelo e da marca: vai de 50 a 350,00 reais.

marcas mais conhecidas: Yoga, My lady, Esbelt, Demillus, Liz .

 

Eu usei a cinta tipo macaquinho na altura do joelho, que ia até abaixo dos seios, com abertura na frente , por uns 2 meses. Depois usei essa calcinha modeladora mais uns 2-3 meses.

DICA :

Escolha um tamanho que não fique muito apertado ! Assim você garante que não vai te fazer mal !

Ah ! A unanimidade sobre o assunto : é um benefício mais estético do que qualquer outra coisa !

Mas… se der uma ajudinha… por que não ? rsrs

 

Você tem alguma história prá contar ? Alguma experiência diferente disso que eu falei aqui ?

Me conta !!

Bjos e atétags coração