Mamães no Divã -Parte I

12 Flares Facebook 9 Google+ 3 12 Flares ×

mamães-no-divãI

Eu já te contei por alto , comadre em outro momento , que as dúvidas e incertezas da maternidade me levaram a procurar uma terapeuta, que sugeriu que eu fizesse análise.

Eu estava me sentindo sufocada, perdida, angustiada… Aí veio a notícia que uma grande e querida amiga e comadre, mãe de um filho pequeno, estava lutando contra um Linfoma.Uma outra colega de profissão, filho da mesma idade que o meu , descobre que o menino estava com leucemia… Acho que, por eu não estar bem , essas notícias me arrancaram o couro… eu me sentia em carne viva!

Eu fiquei tão fragilizada que já não me reconhecia … Comecei a sentir medo da vida, do futuro…Não conseguia por as minhas idéias e sentimentos em ordem! Tudo caótico e dolorido demais !!

Então um dia, conversei com meu marido, e disse como estava me sentindo, e que estava pensando em procurar ajuda profissional . Ele me apoiou , como sempre, aliás,e  me sugeriu um nome.  Então, aos 39 anos e 11 meses… fui parar no divã !!

Eu tive a felicidade de encontrar uma profissional daquelas ! Assertiva, objetiva,competente, que sabe dosar as” broncas e conselhos” com reflexões que joga pra mim. E quando dei por mim , eu estava , simplesmente adorando a experiência !!! e , me perguntando por quê eu nunca havia procurado por isso !!

Ali , junto com a Carla, tive a chance de percorrer caminhos e cantinhos dentro de mim, que eu não conhecia !!Aprendi a pensar mais aberto, que a culpa  domina e oprime, que o pensamento e as reflexões são pra me libertar… que, ou eu tenho a minha mente, ou ela me tem…

Descobri que , se eu for uma pessoa melhor, mais resolvida e evoluída, melhor e mais completa mãe eu serei!

Conheci algumas teorias incríveis de Freud, me deixei levar por pensamentos… Quando dei por mim, o rádio do meu carro só vive desligado, meu ipod já não é mais meu companheiro inseparável nas corridas, mas sim minhas reflexões.

Aprendi que não comandamos nossos sentimentos, somente as nossas atitudes ! E o que fazer com eles então? Pois é…

Que temos que nos permitir vivenciar todas as experiências por inteiro, sejam elas boas ou ruins, temos de ir até o fim,até o fundo.

Fiquei sabendo que temos um cantinho , na nossa mente, na nossa personalidade, que não conseguimos mexer… é a nossa natureza, o nosso EU, mas , é melhor que saibamos bem sobre ele, para o mantermos sempre próximo de nós.

Que os nossos filhos vão repassar muito  do que passamos a eles, mesmo que não queiram !

Que sempre é tempo de plantar e colher. Que a vida é infinita nas suas possibilidades , assim como nossa mente.

Foi como uma luz forte se acendesse num cômodo que há muito só ficava na penumbra ! Consegui ver e enxergar , com verdade e sinceridade o que se passa aqui dentro.

Comecei uma arrumação de caixas e objetos amontoados na minha mente, que não estavam mais me permitindo circular por ali !

Consegui o mapa da mina, que é a minha mente, o meu interior… Nem sempre é facil e gostoso , viu comadre?  Mas muito proveitoso!!

Aprendi tantas coisas que escrevi mais 2 textos para falarmos sobre isso . Assim , aproveitamos melhor o assunto.Vou soltando devagar, tá ?

Se você tiver a chance, comadre , ou uma vontadinha, por menor que seja, experimente! Você não vai se arrepender!

Bjos e até tags coração

 

Related Posts

12 Flares Facebook 9 Google+ 3 12 Flares ×

Comments

comments

Speak Your Mind

12 Flares Facebook 9 Google+ 3 12 Flares ×