TDAH – Entendendo Melhor

47 Flares Facebook 45 Google+ 2 47 Flares ×

tdah-como-reconhecer

Oi Comadre! Você sabe o que é o TDAH – Transtorno do Déficit de Atenção/Hiperatividade ? Como reconhecer e entender melhor esse problema?

Eu escuto falar bastante sobre isso, e , em alguns  grupo de mamães que eu faço parte, eu percebo que o problema está aí , e bem mais do que eu imaginava… e muitas dessas mamães se sentem vendidas… perdidas… A maioria  só recebe  o diagnóstico depois de muitas frustrações e desgaste emocional e , a criança , no meio disso tudo ,termina com a sua auto estima lá no pé…

E fiquei pensando: E se fosse comigo, eu saberia reconhecer, ou pelo menos, suspeitaria de se tratar do TDAH? E descobri que não ! Que sou totalmente por fora desse assunto! E isso pra uma geminiana, mãe e blogueira, é inaceitável ! rsrsrs

Então, fiz uma pesquisa pela web, em materiais médicos e científicos, de fontes super sérias e confiáveis, para aprender um pouco , e , te contar tudo !

Vem comigo:

O QUE É TDAH?

É um quadro neurobiológico (das células do sistema nervoso, da sua organização e do seu funcionamento) crônico, que se caracteriza por falta de atenção, muita agitação e impulsividade.

O TDAH É MUITO FREQUENTE?

Acomete de 3 a5% das crianças em idade escolar e sua prevalência é maior entre os meninos.

O QUE CAUSA O TDAH ?

Existe uma predisposição genética, e também uma desordem nas substâncias dopamina e noradrenalina (neurotransmissores), que são responsáveis pela transmissão de estímulos nervosos, e no caso o TDAH, existe uma falha na região frontal e pré frontal do cérebro , que é responsável  pela inibição de comportamentos inadequados, pela capacidade de prestar atenção, memória, autocontrole, organização e planejamento. O uso de álcool e drogas durante a gravidez também são apontados como possíveis causas.

 

EXISTE SÓ UM TIPO DE TDAH?

Não, a doença pode ser classificada em três tipos:

1) TDAH com predomínio de sintomas de desatenção;

2) TDAH com predomínio de sintomas de hiperatividade/impulsividade e

3) TDAH combinado.

QUAIS SÃO AS” PRINCIPAIS PISTAS ” , DE QUE UMA CRIANÇA APRESENTA TDAH, do tipo “DESATENÇÃO”?

    1- Não consegue prestar muita atenção em detalhes ou comete erros por descuido(baixo rendimento escolar);

 

    2- Tem dificuldade em manter a atenção no trabalho, na escola ou no lazer;

 

    3- Não ouve quando abordado diretamente;

 

    4- Não consegue terminar as tarefas escolares, os afazeres domésticos ou os deveres do trabalho;

 

    5- Tem dificuldade em organizar atividades;

 

    6- Evita tarefas que exijam um esforço mental prolongado;

 

    7- Perde ou esquece coisas;

 

    8- Distrai-se facilmente;

 

    9- Esquece com facilidade de compromissos e de tarefas.

 

Para ser considerada portadora dessa faceta da doença, a criança precisa apresentar , pelo menos 6, desses 9 sinais.

 

E COMO RECONHECER A FORMA “HIPERATIVIDADE/IMPULSIVIDADE”?

A hiperatividade na criança é predominantemente motora, não tem parada, está sempre se movimentando.

A impulsividade se caracteriza pelo fato da criança agir ou reagir antes de pensar, e , geralmente , são muito impacientes.

A criança deve apresentar pelo menos 6, dos 9 itens abaixo:

    1- Está sempre inquieta, sempre se mexendo;

 

    2- Dificuldade em permanecer sentada;

 

    3- Corre ou sobe nas coisas;

 

    4- Dificuldade de realizar uma tarefa silenciosamente;

 

    5- Fala excessivamente;

 

    6- Responde a perguntas antes de serem formuladas;

 

    7- Age como se fosse movida a motor;

 

    8- Dificuldade em esperar a sua vez;

 

               9- Interrompe e se intromete;

 

EXISTEM OUTRAS DOENÇAS RELACIONADAS AO TDAH?

Existe, o que os especialistas chamam de “co-morbidades” , ou seja ,os portadores podem desenvolver  outras doenças que podem estar associadas á presença do TDAH, como a depressão e a ansiedade, por exemplo, que podem trazer consequências mais sérias , do que o próprio TDAH.

COMO É FECHADO O DIAGNÓSTICO ?

É sempre baseado no quadro clínico.

os sintomas devem manifestar-se na infância, antes dos sete anos, pelo menos em dois ambientes diferentes (casa, escola, lazer, trabalhos), durante seis meses, no mínimo.

Devem também ser responsáveis por desajustes e alterações no comportamento, que dificultam o relacionamento e o convívio social dos portadores, nas mais diversas situações.

Apesar de estar presente desde o nascimento, o problema costuma aparecer na escola e o diagnóstico deve ser feito por especialistas com base nos critérios de protocolos médicos estabelecidos .

Avaliações precipitadas podem dar origem a falsos positivos , o que acaba com uma excessiva e desnecessária prescrição de medicamentos.

COMO É O TRATAMENTO?

Depende. Cada caso é um caso, mas, normalmente, em crianças, o tratamento deve ser multidisciplinar, com Terapeutas Ocupacionais, Psicólogos, Psico-pedagogas…

É preciso restaurar auto-estima da criança, e , ensiná-la a driblar suas limitações e , conviver com elas , sem maiores traumas, com alguns truques e ajustes na sua rotina.

Em alguns casos ( na verdade, muitos,infelizmente), é necessário o uso de medicação( prefiro não falar em nomes de medicações por aqui, tá? me desculpe).

 

Existe uma grande discussão , hoje em dia, sobre o “modismo “,  que essas doenças são “a bola da vez”… Que muitas crianças “mal educadas”, sem limites , recebem esse diagnóstico, até por pressão dos pais que, por não saberem o que fazer, ou como agir, com crianças mais difíceis, preferem que sejam medicadas….

Eu não gosto de pensar desse modo… O que me dói, é imaginar o grande sofrimento que essas crianças, as escolas, professores  e familiares passam, até que a solução se apresente para essas crianças! Que essa doença pode , simplesmente apagar a auto estima de uma criança… que ela pode descobrir, cedo demais, as suas limitações… e ter que aprender a lidar com elas ! Tem muito adulto que não consegue !!

A discussão de “crianças difíceis” e sem limites,  e pais perdidos e culpados , que não conseguem impor limites na criação dos seus filhos, eu prefiro deixar para um outro post, pode ser? rsrs

Não estou fugindo, não ! Juro ! rsrs é só prá gente não misturar as coisas !

 

Seu filho tem o diagnóstico de TDHA?

Você já passou por alguma experiência ruim, ou diferente do que eu conversei aqui?

Me conta ! A gente divide… a gente multiplica ! Deixa um comentário aqui embaixo!

A gente vai se falando!

Bjos e até tags coração

 

Related Posts

47 Flares Facebook 45 Google+ 2 47 Flares ×

Comments

comments

47 Flares Facebook 45 Google+ 2 47 Flares ×